A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Avaliando - CONTABILIDADE PÚBLICA

Pré-visualização | Página 1 de 2

CONTABILIDADE PÚBLICA
	Avaliando Aprend.: GST0088_SM_201508656801 V.1 
	Aluno(a): JENIFER CRISTINA SILVA
	Matrícula: 201508656801
	Desemp.: 0,4 de 0,5
	16/10/2018 08:42:46 (Finalizada)
	
	
	1a Questão (Ref.:201511446582)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	Para fins de controle das receitas e despesas na execução orçamentária, o artigo 35 da Lei nº 4.320/1964 dispõe que pertencem ao exercício financeiro:
	
	 
	as receitas nele arrecadadas e as despesas nele legalmente empenhadas;
	
	as receitas nele lançadas e as despesas nele formalmente empenhadas;
	
	as receitas nele reconhecidas e as despesas nele legalmente pagas.
	
	as receitas nele arrecadadas e as despesas nele formalmente pagas;
	
	as receitas nele reconhecidas e as despesas nele legalmente executadas;
	
	
	
	2a Questão (Ref.:201511446686)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	O Principio da Administração Publica que estabelece que todos os atos do gestor público devem ser transparente e ser de conhecimento de todos os cidadãos, tornado publico os atos praticados é o princípio?
	
	
	Moralidade
	
	Soberarnia
	
	Legalidade
	
	Impessoalidade
	 
	Publicidade
	
	
	
	3a Questão (Ref.:201511446901)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	Os Princípios de Contabilidade Pública estão estabelecidos em normas que são obrigatórias para todos os órgãos e entidades da administração direta e da administração indireta dos entes da Federação, incluindo seus fundos, autarquias, fundações e empresas estatais dependentes. Nesse contexto, o Princípio de Contabilidade que, sob as perspectivas do Setor Público, no âmbito da entidade pública, está vinculado ao estrito cumprimento da destinação social do seu patrimônio é o Princípio da
	
	
	Prudência
	
	Competência.
	 
	Continuidade
	
	Entidade
	
	Oportunidade
	
	
	
	4a Questão (Ref.:201511446657)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	De acordo com a Lei 4.320/64 as receitas do setor público estão classificadas nas seguintes categorias econômicas:
	
	
	efetivas e nominais
	
	originais e derivadas
	
	financeiras e orçamentárias
	
	orçamentárias e extra orçamentárias
	 
	correntes e de capital
	
	
	
	5a Questão (Ref.:201511446955)
	Pontos: 0,0  / 0,1  
	São bens que, embora constituam o patrimônio público, não possuem uma destinação determinada ou um fim administrativo específico:
	
	 
	do domínio público.
	
	dominicais.
	
	de uso comum do povo.
	
	do patrimônio administrativo.
	 
	de uso especial.
	
	
	1a Questão (Ref.:201511446748)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	Conforme o disposto nas Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público, o objeto da CASP é
	
	
	um conjunto de procedimentos administrativos que objetivam adquirir materiais, contratar obras e serviços, alienar ou ceder bens a terceiros, observando os princípios da administração pública.
	
	determinar os valores pelos quais os elementos patrimoniais devem ser reconhecidos e apresentados nas demonstrações contábeis.
	 
	o conjunto de direitos e de bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou a exploração econômica por entidades do setor público e suas obrigações.
	
	o orçamento público, contendo a discriminação da receita e da despesa de forma a evidenciar a política econômico-financeira e o programa de trabalho do governo.
	
	a mensuração, a estruturação e as variações que geram reflexos no patrimônio público, além de apresentar temas específicos, como o sistema de custos.
	
	
	
	2a Questão (Ref.:201511446771)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	A afirmativa "os atos dos administradores públicos devem, obrigatoriamente, ter como finalidade o interesse público, e não próprio ou de um conjunto pequeno de pessoas amigas ou outro interesse qualquer, que não seja público", refere-se ao princípio da:
	
	
	Eficiência
	 
	Impessoalidade
	
	Publicidade
	
	Moralidade
	
	Legalidade
	
	
	
	3a Questão (Ref.:201511446661)
	Pontos: 0,0  / 0,1  
	Ingressos ou entradas são palavras utilizadas para caracterizar as importâncias recebidas pelos cofres públicos. Entretanto, nem todas as entradas de recursos nos cofres públicos podem ser consideradas como receita pública. Assinale a alternativa que representa uma entrada de recursos nos cofres públicos que não configura uma receita pública.
	
	 
	Recebimento de cauções
	
	Recebimento de multas
	 
	Recebimento de contribuições
	
	Recebimento de taxas
	
	Recebimento de doações em dinheiro
	
	
	
	4a Questão (Ref.:201511446452)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	Com referência aos Instrumentos de Planejamento e Orçamento, que compõem o Ciclo Orçamentário, o instrumento que anualmente, enuncia as políticas públicas e respectivas prioridades para o exercício seguinte, e tem a finalidade de orientar a elaboração dos orçamentos fiscal, da seguridade social e de investimentos das empresas estatais, é:
	
	
	LOA- Lei Orçamentária Anual.
	
	PPA-Plano Plurianual.
	
	LPM- Lei de Planejamento Mensal
	
	LPA- Lei Plurianual.
	 
	LDO-Lei de Diretrizes Orçamentárias.
	
	
	
	5a Questão (Ref.:201511446394)
	Pontos: 0,0  / 0,1  
	Dentre as receitas abaixo, qual não se refere à classificação de Receitas Correntes:
	
	 
	Amortização de Empréstimos.
	 
	Receita Industrial
	 
	Receita Tributária
	 
	Receita de Contribuição
	 
	Receita de Serviços
	
	
	1a Questão (Ref.:201511446433)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo apurou um volume de gastos com pessoal foi superior ao limite fiscal, conforme Lei nº 101/2000 do município de Janaína do Leste. Com base em seus conhecimentos, qual seria o parâmetro utilizado pelo referido tribunal de contas?
	
	
	Receita de Capital Líquida.
	
	Despesa Corrente Líquida.
	
	Receita Patrimonial Líquida.
	 
	Receita Corrente Líquida.
	
	Receita de Capital.
	
	
	
	2a Questão (Ref.:201511446423)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(FCC - 2012 - TRE-CE - Analista Judiciário - Contabilidade) Segundo a norma brasileira de contabilidade nº 16.1 e conforme Resolução CFC nº 1.128/08, alterada pela Res. CFC nº 1.268/09, a citação "o ramo da ciência contábil que aplica, no processo gerador de informações, os Princípios de Contabilidade (Res.CFC nº 1.282/10) e as normas contábeis direcionados ao controle patrimonial de entidades do setor público", a fim de "fornecer aos usuários informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e física do patrimônio da entidade e suas mutações, em apoio ao processo de tomada de decisão; a adequada prestação de contas; e o necessário suporte para a instrumentalização do controle social", cujo objeto é "o conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados por aquelas entidades, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços ou à exploração econômica por entidades do setor e suas obrigações", caracteriza a nova Contabilidade:
	
	
	Societária.
	
	Avançada.
	 
	Governamental
	
	Integral.
	
	Gerencial.
	
	
	
	3a Questão (Ref.:201511446430)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	O déficit em contas de capital e o superavit em contas correntes é explicado, respectivamente, quando:
	
	
	A Receita de Capital < Despesa de Capital e a Despesa Corrente > Receita Corrente.
	 
	A Receita de Capital < Despesa de Capital e a Despesa Corrente < Receita Corrente.
	
	A Receita de Capital = Receita Corrente e