A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Apostila de Fotocolorimetria

Pré-visualização | Página 3 de 4

tende a O =>
ou seja, uma transmitância nula corresponde a uma absorbância infinita.
10
4.3 - CAUBRAÇÃO DO APARELHO
o fotocolorímetro deve ser calibrado sempre que for ligado, devido a instabilidade dos
componentes ópticos e eletrônicos, e durante o uso sempre que o seletor de filtro for acionado, devido
às diferenças de absorção de luz apresentadas pelos diferentes filtros.
·A calibração do fotocolorímetro se faz nos dois pontos extremos da escala de transmitância: 0%
e 100%. Este ajuste é feito atuando-se nos três Botões de Calibração, apresentados no sub-item 4. 'I.
Apesar dos ajustes se referirem à escala de transrrutància, uma vez calibrado, podem ser realizadas
tanto medidas de transrnitància como de absorbância.
O ajuste do 100% deve ser feito de forma que o fotocolorímetro desconsidere a luz absorvida
pela cubeta e pelo solvente da solução, para tal utiliza-se o que nós chamamos de "branco"..O "branco"
é constituído por uma cubeta contendo o solvente e tudo o mais presente na solução, exceto o soluto
cuja concentração deseja-se determinar. Em nossa experiência o "branco" será constituído por uma
cubeta contendo água destilada.
Assim, uma vez ajustado o 100% de transmitância com o "branco", ao colocarmos a cubeta
contendo a solução a ser analisada, a luz absorvida é devida somente ao soluto presente na solução.
A calibração de 0% de transmitància é feita retirando-se a cubeta do porta-cubetas e atuando-se
no botão de ajuste do 0% até que o ponteiro do galvanômetro coincida com o 0% da escala de
transrnitância. Como dito no sub-item 4.1, ao retirar-se a cubeta nenhuma luz atinge a fotocélula, o que
deve corresponder a 0% de transmitância.
,....
ROTEIRO PARA CALlBRAÇÃO DO FOTOCOLORíMETRO:
1) Ligar o equipamento;
2) Selecionar o comprimento de onda a ser utilizado;
3) Ajustar o 0%;
4) Colocar o "branco" no porta-cubetas do fotocolorímetro; .
5) Atuar no ajuste 100% grosso e em seguida no ajuste 100% fino, de forma que o ponteiro coincida
com a marca de 100% da escala de transmitância;
6) Retirar a cubeta e verificar se o ponteiro retorna para a posição 0%, caso o ponteiro não fique
exatamente sobre o 0%, repetir os passos 3, 4, 5 e 6.
5 - PF~OCEDIMENTO PRÁTICO
O objetivo desta aula prática é a determinação da concentração de uma solução de anilina
utilizando o método fotocolorimétrico, para tal devem ser seguidos o? passos abaixo descritos.
5.1 - PREPARAÇÃO DAS SOLUÇÕES
Cinco soluções de anilina vermelha, com diferentes concentrações devem ser preparadas a
partir de uma solução mãe de concentração 0,04% (g/100ml).
Sugere-se que seja feita uma diluição seriada com razão dois, seguindo-se o procedimento
abaixo
1) Separar cinco tubos de ensaio;
2) Colocar 5 ml de água destilada em cada um dos cinco tubos;
3) Colocar 5 ml da solução de anilina (0,04%) no primeiro tubo obtendo-se uma solução com volume
final de 10 ml e concentração 0,02%;
11
4) Retirar 5 ml do primeiro tubo (0,2%) e colocar no segundo;
5) Repetir o procedimento 4 para os tubos 2, 3 e 4, no tubo 5 teremos 10ml da solução com
concentração de 0,00125%.
Solução
mãe
0.04%
5ml
Diluição seriada
Fig. 12: Preparação das soluções a partir da solução mãe.
0.02% 0.01% 0.005% 0.0025% 0.00125 %
;' ..
Fig. 13: Tubos de ensaio contendo as soluções preparadas.
5.2 - CONSTRUÇÃO DO ESPECTRO DE ABSORÇÃO
Neste item serão obtidos os dados para a construção do gráfico Espectro de Absorção
(Absorbância x Comprimento de Onda). Para isso escolhe-se uma das cinco soluções de anilina,
anteriormente preparadas, e mede-se a absorbância em cada um dos cinco comprimentos de onda
disponíveis no fotocolorímetro. Deve-se dar preferência a uma das três soluções intermediárias, pois a
solução mais diluída e a mais concentrada tendem a apresentar, respectivamente, valores muito baixo e
muito elevado na escala de absõrbància.
Levantados os valores, estes devem ser colocados em uma tabela e depois utilizados para
construção do gráfico, em papel milimetrado, conforme modelo abaixo (figura 14).
A
À (nm) A
410
480
520
580
660
Fig. 14: Tabela e gráfico para Espectro de Absorção.
12
o objetivo da construção deste gráficó é a obtenção do comprimento de onda correspondente
ao fotopico {valor de absorbância mais elevado do Espectro de Absorção de uma substância). Este
comprimento de onda deve ser utilizado na obtenção dos dados para construção da Curva Padrão.
5.3 - CONSTRUÇÃO DA CURVA PADRÃO
Neste item serão obtidos os dados para construção da Curva Padrão ou Curva de Calibração,
gráfico que relaciona valores de absorbància com os respectivos valores de concentração da solução.
Para isso, fixa-se o comprimento de onda que apresentou maior absorbância no Espectro de Absorção
(fotopico) e mede-se as absorbâncias das cinco soluções preparadas anteriormente. Levantados os
valores, estes devem ser colocados na tabela abaixo e depois serem usados para traçar o gráfico em
papel milirnetrado.
C (g/
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
100ml) A
0125
025
05
1
2 ·L
c
Fig. 15: Tabela e gráfico para Curva Padrão.
A utilização do fotopico para a construção da Curva Padrão proporciona uma maior sensibilidade
na determinaçáo de concentrações desconhecidas por este método, como será explicado na aula de
discussão.
5.4 - UTILIZAÇÃO DA CURVA PADRÃO
o objetivo final desta prática é a determinação da concentração de uma solução de anilina
vermelha (Cx), utilizando o fotocólorímetro e a Curva Padrão, construída anteriormente.
Para tal deve-se medir a absorbância da solução de concentração desconhecida (Ax) e ler no
gráfico da Curva Padrão a concentração Cx correspondente.
Além do método gráfico, a determinação de concentrações desconhecidas pode também ser
realizada matematicamente, através do Fator de Calibração, que é calculado a partir da Curva Padrão
(Curva de Calibração) e corresponde ao inverso do coeficiente angular da reta de calibração. Neste
caso, mede-se a absorbância Ax e multiplica-se pelo Fator de Calibração (F), obtendo-se assim a
concentração Cx desconhecida, conforme equação 8.
(eq. 8)
13..
6 - CUIDJ\DOS A SEREM OBSE~VADOS DURANTE OS EXPERIMENTOS
1) Calibrar o aparelho ao ligá-Ia e sempre que for alterado seu filtro;
2) Transferir as soluções para a cubeta antes de colocá-Ias no fotocólorímetro;
3) Lembrar de enxugar a cubeta antes de introduzi-Ia no fotocolorímetro;
4) Não encostar nenhum tipo de objeto no mostrador de leituras do instrumento;
5) Posicionar-se adequadamente em relação ao mostrador de leituras a fim de evitar o erro .de
paralaxe. Este erro deve-se a um desvio entre o ponteiro e a escala de medição e ocorre sempre que
o mostrador de leituras esteja à esquerda ou à direita do campo de visão do observador. Alguns
equipamentos possuem um espelho associado à escala de medição para ajudar no correto
posicionarnento do operador. Quando posicionado corretamente o operador não deve ver a imagem
do ponteiro projetada no espelho.
7 - DISCUSSÃO
Na aula de discussão serão abordados os seguintes tópicos:
1) Construção dos gráficos em papel milimetrado.
2) Relação linear entre absorbància e concentração: A = kCd.
3) Efeito da concentração da solução no Espectro de Absorção.
4) Efeito da utilização do fotopico na Curva Padrão.
5) Rewessão linear.
6) Obtenção do Fator de Caiibraçâo.
8 - BIBLIOGRAFIA
- Campbell,J.M. e Campbell J.B., Matemática de Laboratório, 3a ed., Livraria Roca, São Paulo, 1986.
. Carneiro Leão, M.A., Práticas de Biofísica, 2a ed., Editora Guanabara Dois, Rio de Janeiro, 1911,
- Hargreaves, A.B., Métodos Físicos de Análises - Fotocolorimetria e pHmetria - Livraria Atheneu, Rio de
Janeiro, 1D79.
- Heneine, I.F., Biofísica Básica, Livraria Atheneu, 1993.
- Lehninger, Princípios de Bioquímica, Editora Sarvier, 1995.
Agradecimentos:
Agradecemos a colaboração, na elaboração desta apostila, das monitoras