A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
OSTEOLOGIA

Pré-visualização | Página 1 de 3

OSTEOLOGIA
O termo Osteologia significa, o estudo dos ossos.
Apesar de sua aparência simples, o osso é um tecido vivo, complexo e dinâmico, formado por um conjunto de tecidos distintos e especializados que contribuem para o seu arranjo final.
Os tecidos que compõem o osso são:
Tecido ósseo
Tecido cartilaginoso
Tecido epitelial
Tecidos formadores de células sanguíneas
Tecido nervoso
Tecido adiposo
O estudo microscópico do tecido ósseo distingue a substância óssea compacta e a substância óssea esponjosa.
Embora os elementos constituintes sejam os mesmos nos dois tipos de substância óssea, eles dispõem-se diferentemente conforme o tipo considerado e o seu aspecto macroscópico também difere.
Na substância óssea compacta, as lamínulas de tecido ósseo encontram-se fortemente unidas umas às outras pelas suas faces, sem que haja espaço livre interposto. 
Por esta razão, este tipo é mais denso e duro.
Na substância óssea esponjosa, as lamínulas ósseas, mais irregulares em forma e tamanho, se arranjam de
forma a deixar entre si, espaços ou lacunas que se comunicam umas com as outras e que, a semelhança do canal medular, contém medula.
As lacunas entre as lamínulas ósseas são chamadas de trabéculas ósseas.
Nos ossos longos a diáfise é composta por osso compacto externamente ao canal medular, enquanto as epífises são compostas por osso esponjoso envolto, por uma fina camada de osso compacto.
Nos ossos planos, a substância esponjosa situa-se entre duas camadas de substância compacta.
Nos ossos da CALVÁRIA, a substância esponjosa é chamada de DÍPLOE.
Os ossos curtos são formados por osso esponjoso revestido por osso compacto, como nas epífises dos ossos longos.
PERIÓSTEO
No vivente e no cadáver o osso se encontra sempre revestido por delicada membrana
conjuntiva, com exceção das superfícies articulares.
Esta membrana é denominada PERIÓSTEO e apresenta dois folhetos, um superficial, e outro profundo.
O folheto profundo está em contacto directo com a superfície óssea.
A camada profunda é chamada OSTEOGÊNICA pelo fato de suas células se transformarem em células ósseas, que são incorporadas à superfície do osso, promovendo assim o seu espessamento.
Os ossos são altamente vascularizados. As artérias do periósteo penetram no osso, irrigando-o
e distribuindo-se na medula óssea.
Por esta razão, desprovido do seu periósteo o osso deixa de ser nutrido e morre.
Os vasos sanguíneos passam para o interior dos ossos, através dos forames nutrícios, enquanto os nervos apenas os circundam.
FUNÇÕES DO ESQUELETO:
SUSTENTAÇÃO E CONFORMIDADE.
Os ossos funcionam como base estrutural para o corpo, sustentando os tecidos moles e fornecendo pontos de fixação para os tendões da maioria dos músculos esqueléticos.
A forma do corpo está diretamente relacionada com o esqueleto, sem os ossos o corpo humano seria como o corpo de uma larva. A posição ereta seria impossível.
PROTEÇÃO.
O sistema ósseo também protege os órgãos internos dos traumatismos do exterior.
O encéfalo é protegido pelo crânio.
A medula espinal, pela coluna vertebral.
O coração e os pulmões pelo gradil costal, composto por costelas e o osso esterno.
Os órgãos pélvicos são protegidos pelos ossos do quadril, que formam a cavidade pélvica.
PARTICIPAÇÃO NO MOVIMENTO OU ALAVANCAGEM.
O movimento é produzido quando uma tração exercida pelos músculos esqueléticos incide sobre os ossos, no momento de sua contração.
Pelo fato de muitos ossos se articularem e esta união óssea permitir movimentos, o esqueleto desempenha um papel importante na determinação do tipo e da amplitude do movimento que o segmento será capaz de fazer, bem como, a própria anatomia do osso acaba por limitar movimentos indesejáveis.
HOMEOSTASIA MINERAL.
O tecido ósseo armazena vários minerais, especialmente cálcio e fósforo, que contribuem para fortalecer o osso.
O osso também pode liberar minerais na corrente sanguínea. Para manter os balanços minerais críticos e para distribuir minerais para outros órgãos.
HEMATOPOIÉSE.
Produção de células sanguíneas.
No interior de certas partes dos ossos, a medula óssea vermelha produz eritrócitos, leucócitos e plaquetas.
ARMAZENAMENTO DE TRIGLICERÍDEOS.
No recém-nascido, toda a medula óssea é vermelha e está envolvida na hematopoiése.
Entretanto, com o avançar da idade, a produção de células sanguíneas diminui, e a maior parte da medula passa a ser formada por adipócitos. Sendo chamada então, de medula óssea amarela.
CLASSIFICAÇÃO
Os ossos classificam-se quanto à forma em:
Osso Longo.
Exemplo. O fêmur. A tíbia. O úmero. O rádio. A ulna. As falanges.
Osso Curto.
Exemplo. Ossos carpais. Alguns ossos tarsais. A patela.
Osso Plano. (laminar)
Exemplo. Alguns ossos do crânio.
Osso Irregular.
Exemplo. as vértebras. Alguns ossos da face e do crânio.
Adjetivando, essas quatro classificações principais, existem outras duas:
Osso pneumático.
São ossos que contêm cavidades cheias de ar. São encontrados apenas no Crânio e na face. 
Exemplo. Frontal. Osso plano e pneumático.
Maxila. Etmóide. E temporal. Ossos irregulares e pneumáticos.
Osso sesamóide.
São ossos que se formam entre articulações, como os ossos suturais do crânio e entre tendões e ligamentos como a patela, cuja principal função é proteger a articulação do joelho.
A patela é o maior osso sesamóide do corpo humano. É considerado um osso curto sesamóide. 
Algumas exceções, como as costelas, se classificam apenas, como ossos alongados.
Em todo osso longo, o corpo, geralmente cilíndrico, recebe o nome de diáfise, e as extremidades, recebem o nome de epífises.
A diáfise é ôca.
E seu interior, chamado de canal medular, é ocupado pela medula óssea.
A medula óssea é Vermelha nas crianças e jovens. E com o passar dos anos, vai sendo substituída por tecido adiposo, sendo chamada então de Medula Óssea Amarela.
Também na epífise, há um grande número de cavidades, formadas pelo entrecruzamento das trabéculas ósseas. Essas cavidades também contêm a medula vermelha. Formadora de células sanguíneas
O ESQUELETO HUMANO
Oficialmente, o esqueleto humano é formado por 206 ossos, que podem ser classificados quanto à localização em:
Esqueleto Axial e Esqueleto Apendicular.
O ESQUELETO AXIAL, é formado por:
Ossos do Crânio e da face,
Ossos da coluna vertebral, composta pelas vértebras, sacro e cóccix.
Costelas e osso Esterno.
O Crânio ou neurocrânio, é formado por quatro ossos medianos. E dois ossos bilaterais.
São ossos medianos:
Osso frontal.
Osso Etmóide.
Osso Esfenóide.
Osso Occipital.
São ossos bilaterais:
Ossos Parietais.
Ossos Temporais.
Totalizando, assim, oito grandes ossos.
Além desses oito ossos, há três ossículos auditórios, bilaterais, alojados na orelha média:
Martelo
Bigorna
e Estribo.
E também alguns ossos extranumerários. Que no caso do crânio, são chamados de ossos suturais. Pois, formam-se entre as suturas, que são articulações fibrosas entre os ossos do crânio.
A face ou viscerocrânio é formada por seis ossos bilaterais e dois ossos medianos.
São bilaterais, os ossos:
Maxila.
Zigomático.
Nasal.
Lacrimal.
Concha nasal inferior.
Palatino.
São medianos, os ossos:
Vômer
e a Mandíbula, único osso móvel da cabeça.
Anexo entre as vértebras cervicais e a mandíbula está o osso hióide, o osso da deglutição.
Único osso que não se articula com o esqueleto. Está fixado apenas por músculos e ligamentos.
Em continuação ao crânio está a coluna vertebral que é formada pelas vértebras cervicais, torácicas, lombares e pelos ossos Sacro e cóccix.
As vértebras são uma série de anéis sobrepostos, sobretudo de maneira que o orifício central de cada uma corresponda com o do superior e o do inferior.
De tal maneira que no centro da coluna vertebral existe um canal. no qual está a medula espinal, órgão nervoso de fundamental importância.
A articulação que se interpõe entre uma vértebra e a vértebra seguinte permite a mobilidade de