A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Trabalho de Superestrutura Viária - Prof Rodrigo Fideles

Pré-visualização | Página 3 de 3

Rodoviários do DNIT para o estado de Minas Gerais e os 
documentos da Agência Nacional do Petróleo (ANP), para estabelecer o preço do cimento 
asfáltico de petróleo (CAP). No presente trabalho não foram evidenciados os custos relativos 
à dimensão logística do projeto, de modo que o preço demonstrado tange apenas aos serviços 
a serem executados. A período de referência para ambas as consultas foi de Maio de 2018. 
 
5.2 DEMONSTRATIVO DO ORÇAMENTO 
 
Tabela 5 – Orçamento demonstrativo 
 
ITEM CÓDIGO DESCRIÇÃO UNID. QUANT. PREÇO UNIT TOTAL 
 1.  PAVIMENTAÇÃO 
 1. 1.  4011209  Regularização do subleito m² 5.180,00 0,75 3.885,00 
 1. 2.  4011211  Reforço de subleito com material de jazida m³ 117,00 7,95 930,15 
 1. 3.  4011297  Base de solo-cimento com 4% de cimento e mistura na pista com material de jazida m³ 777,00 57,94 
 
45.019,38 
 1. 4.  4011351  Imprimação com asfalto diluído m² 5.180,00 0,23 1.191,40 
 1. 5.  4011353  Pintura de ligação (se houver) m² 5.180,00 0,19 984,20 
 1. 6.  5914650 
Carga, manobra e descarga de mistura betuminosa a frio em 
caminhão basculante de 10 m³ - carga de usina 60 t/h (PMF) e 
descarga em vibro-acabadora 
t 1.087,80 8,19 8.909,08 
TOTAL   60.889,21 
  LDI  26,70%   TOTAL GERAL   76.720,14 
Fonte: Autoria própria. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
16 
 
5.3 CPU PAVIMENTAÇÃO 
 
Figura 6 – CPU Regularização do subleito 
 
Fonte: SICRO – Maio de 2018 
 
Figura 7 – CPU Reforço de subleito com material de jazida 
 
Fonte: SICRO – Maio de 2018 
 
 
 
 
 
17 
 
Figura 8 – CPU Base de solo-cimento com 7% de cimento e mistura na pista com 
material de jazida 
 
Fonte: SICRO – Maio de 2018 
 
Figura 9 – CPU Imprimação com asfalto diluído 
 
Fonte: SICRO – Maio de 2018 
 
 
 
 
 
 
18 
 
Figura 10 – CPU Pintura de ligação 
 
Fonte: SICRO – Maio de 2018 
 
Figura 11 – CPU Carga, manobra e descarga de mistura betuminosa a frio em 
caminhão basculante de 10 m³ - carga de usina 60 t/h (PMF) e descarga em 
vibro-acabadora 
 
Fonte: SICRO – Maio de 2018 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
19 
 
Figura 12 – Preço médio mensal ponderado praticado pelos distribuidores de 
produtos asfálticos (R$/KG) 
 
 
Fonte: ANP – Maio de 2018 
 
 
 
20 
 
6. CONCLUSÃO 
 
Neste trabalho procuramos realizar todas as etapas do projeto para a implementação de 
uma rodovia cumprindo as normas estabelecidas pelo DNIT e ABNT, além das diretrizes 
pré-estabelecidas pelo professor. 
 
Realizamos todas as etapas do nosso trabalho começando pelos estudos de tráfego e do 
subleito. Em seguida, realizamos o dimensionamento do pavimento flexível, elaboramos a 
constituição das camadas e os quantitativos. No final fizemos o Orçamento. 
 
Através deste trabalho pudemos compreender a importância dos estudos da 
Superestrutura Viaria na execução dos Projetos de Rodovia. Percebemos que a organização e 
a execução dos estudos preliminares são de extrema relevância para as próximas diretrizes a 
serem seguidas. 
 
Uma situação que entendemos ser relevante destacar é a necessidade de reforço do 
subleito em um determinado trecho, quando estávamos executando o dimensionamento das 
camadas. Na amostra coletada na estaca 16+10 o CBR da Amostra foi inferior ao CBR de 
Projeto, demandando então a necessidade de reforçar o sub leito deste a semi-distância entre a 
estaca 13 a estaca 16+10, até a semi-distância entre a estaca 16+10 e a estaca 22. 
 
Concluímos que o projeto de pavimentação é de extrema importância para a execução 
da obra, observando-se todos os detalhes e cálculos a serem planejados e realizados. 
Reiteramos também a importância do estudo do orçamento, tendo como uma das finalidades a 
verificação da viabilidade financeira para a implementação do projeto e execução da obra. 
 
Destacamos ainda a importância da orientação do Professor Rodrigo Fidelis no 
desenvolvimento do nosso trabalho, além das experiências compartilhadas conosco, 
proporcionando assim a visualização de um cenário prático e possibilitando compararmos o 
resultado do nosso trabalho em uma possível implementação. 
 
Por fim, entendemos que é preciso calcular e planejar. É necessário um um 
planejamento financeiro e logísticos, simulação de cenários, e ainda, possível revisão 
orçamentária. 
 
 
21 
 
7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 
BERNUCCI, L. B. - Pavimentação Asfáltica - Formação básica para engenheiros. 
Disponível em: 
<http://www.ufjf.br/pavimentacao/files/2018/03/Cap-4-Tipos-de-revestimentos-asf%C3%A1l
ticos.pdf> Acesso em: 13 de novembro de 2018. 
 
SICRO - Sistema de Custos Referenciais de Obras . Data base: Maio/2018. Região Sudeste. 
Estado: Minas Gerais. 
Disponível em: 
<http://www.dnit.gov.br/custos-e-pagamentos/sicro/sudeste/minas-gerais/2018/maio/maio-20
18> Acesso em: 20 de novembro de 2018. 
 
FIDELIS, Rodrigo. Dados do Trabalho fornecidos pelo professor . PUC MINAS, 1° 
semestre de 2018. 
Disponível em: SGA ALUNO - Materiais Didáticos. 
Acesso em: [vários acessos durante o semestre]. 
22

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.