Buscar

Direito do Consumidor - Aula 08 V

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

DIREITO DO CONSUMIDOR 
 
 
 
1a Questão 
 
 
Com relação à prestação de serviços públicos é correto afirmar que: 
 
 
 
O serviço de fornecimento de água, por ser universal e de utilidade pública, não pode ser 
tutelado pelo Código de Defesa do Consumidor; 
 
O STJ não admite a cobrança progressiva sobre a tarifa de água, por ser tratar de uma 
serviço essencial ao indivíduo e poderia atigir os direitos fundamentais à vida. 
 
Os prestadores de serviço público remunerados por tarifas têm responsabilidade subjetiva 
pelos vícios e danos ocasionados por defeitos decorrentes da prestação dos serviços; 
 
A cobrança indevida na fatura de energia elétrica, por culpa da concessionária, não enseja a 
devolução em dobro prevista no parágrafo único do artigo 42 do Código de Defesa do 
Consumidor, por se tratar de tarifa pública não contratual; 
 A Agência Nacional de Energia Elétrica ¿ ANEEL e a Agência Nacional de Vigilância 
Sanitária ¿ ANVISA têm competência legal para atuar na proteção e defesa dos 
consumidores. 
 
 
2a Questão 
 
 
V Exame de Ordem Ao instalar um novo aparelho de televisão no quarto de seu filho, o consumidor 
verifica que a tecla de volume do controle remoto não está funcionando bem. Em contato com a loja 
onde adquiriu o produto, é encaminhado à autorizada. O que esse consumidor pode exigir com base 
na lei, nesse momento, do comerciante? 
 
 
 
A imediata substituição do produto por outro novo. 
 O conserto do produto no prazo máximo de 30 dias. 
 
Um produto idêntico emprestado enquanto durar o conserto. 
 
O dinheiro de volta. 
 
 
3a Questão 
 
 
V Exame de Ordem Quando a contratação ocorre por site da internet, o consumidor pode desistir da 
compra? 
 
 
 
Não. Quando a compra é feita pela internet, o consumidor é obrigado a ficar com o produto, 
a menos que ele apresente vício. Só nessa hipótese o consumidor pode desistir. 
 Sim. Quando a compra é feita fora do estabelecimento comercial, o consumidor 
pode desistir do contrato no prazo de sete dias, mesmo sem apresentar seus 
motivos para a desistência. 
 
Sim. Quando a compra é feita pela internet, o consumidor pode desistir da compra em até 30 
dias depois que recebe o produto. 
 
Não. O direito de arrependimento só existe para as compras feitas na própria loja, e não pela 
internet. 
 
 
4a Questão 
 
 
Acerca da responsabilidade por vícios do produto e do serviço nas relações de consumo, assinale a 
opção correta. 
 
 
 
A reparação por danos materiais decorrentes de vício do produto ou do serviço afasta a 
possibilidade de reparação por danos morais, ainda que comprovado o fato e demonstrada a 
ocorrência de efetivo constrangimento à esfera moral do consumidor. 
 
O fornecedor pode eximir-se da responsabilidade pelos vícios do produto ou do serviço e do 
dever de indenizar os danos por eles causados se provar que o acidente de consumo ocorreu 
por caso fortuito ou força maior ou que a colocação do produto no mercado se deu por ato de 
um representante autônomo do fornecedor. 
 
Quando forem fornecidos produtos potencialmente perigosos ao consumo, mesmo sem haver 
dano, incide cumulativamente a responsabilidade pelo fato do produto e a responsabilidade 
por perdas e danos, além das sanções administrativas e penais. 
 
A reparação por danos morais decorrentes de vício do produto ou do serviço afasta a 
possibilidade de reparação por danos materiais 
 A explosão de loja que comercializa, entre outros produtos, fogos de artifício e 
pólvora, causando lesão corporal e morte a diversas pessoas, acarreta a 
responsabilidade civil do comerciante decorrente de fato do produto, se ficar 
demonstrada a exclusividade de sua culpa pelo evento danoso. Nesse caso, aos 
consumidores equiparam-se todas as pessoas que, embora não tendo participado 
diretamente da relação de consumo, venham a sofrer as consequências do evento 
danoso. 
 
 
5a Questão 
 
 
A empresa Cristal Ltda., atendendo à solicitação da cliente Ruth, realizou orçamento para prestação 
de serviço, discriminando material, equipamentos, mão de obra, condições de pagamento e datas 
para início e término do serviço de instalação de oito janelas e quatro portas em alumínio na 
residência da consumidora. Com base no narrado acima, é correto afirmar que 
 
 
 
o orçamento terá validade de trinta dias, independentemente da data do recebimento e 
aprovação pela consumidora Ruth. 
 o valor orçado terá validade de dez dias, contados do recebimento pela 
consumidora; aprovado, obriga os contraentes, que poderão alterá-lo mediante 
livre negociação. 
 
uma vez aprovado, o orçamento obriga os contraentes e não poderá alterado ou negociado 
pelas partes, que, buscando mudar os termos, deverão fazer novo orçamento. 
 
Ruth não responderá por eventuais acréscimos não previstos no orçamento prévio, exceto 
se decorrente da contratação de serviço de terceiro. 
 
 
6a Questão 
 
 
O Código de Defesa do Consumidor adota a responsabilidade subjetiva se o fornecedor for 
 
 
 
produtor. 
 profissional liberal. 
 
importador. 
 
comerciante. 
 
construtor. 
 
 
7a Questão 
 
 
Carmen adquiriu veículo zero quilômetro com dispositivo de segurança denominado airbag do 
motorista, apenas para o caso de colisões frontais. Cerca de dois meses após a aquisição do bem, o 
veículo de Carmen sofreu colisão traseira, e a motorista teve seu rosto arremessado contra o 
volante, causando-lhe escoriações leves. A consumidora ingressou com medida judicial em face do 
fabricante, buscando a reparação pelos danos materiais e morais que sofrera, alegando ser o 
produto defeituoso, já que o airbag não foi acionado quando da ocorrência da colisão. A perícia 
constatou colisão traseira e em velocidade inferior à necessária para o acionamento do dispositivo de 
segurança. Carmen invocou a inversão do ônus da prova contra o fabricante, o que foi indeferido 
pelo juiz. Analise o caso à luz da Lei nº 8.078/90 e assinale a afirmativa correta. 
 
 
 O produto não poderá ser caracterizado como defeituoso, inexistindo obrigação do 
fabricante de indenizar a consumidora, já que, nos autos, há apenas provas de 
colisão traseira. 
 
Cabe inversão do ônus da prova em favor da consumidora, por expressa determinação 
legal, não podendo, em qualquer hipótese, o julgador negar tal pleito. 
 
Falta legitimação, merecendo a extinção do processo sem resolução do mérito, uma vez que 
o responsável civil pela reparação é o comerciante, no caso, a concessionária de veículos. 
 
NENHUMA DAS RESPOSTAS ACIMA 
 
A responsabilidade civil do fabricante é objetiva e independe de culpa; por isso, será cabível 
indenização à vítima consumidora, mesmo que esta não tenha conseguido comprovar a 
colisão dianteira. 
 
 
8a Questão 
 
 
Claudia comprou uma televisão LCD 48 polegadas na Casa Bons Negócios, com garantia de doze 
meses. No décimo terceiro mês de uso a televisão apresentou grave defeito de imagem, mas a Casa 
Bons Negócios se recusa a reparar o defeito ao argumento de já estar vencido o prazo de garantia. 
Em face da negativa da vendedora. É correto afirmar: 
 
 
 
está correto o entendimento da vendedora porque prevalece a garantia contratual; 
 
está correto o entendimento da vendedora porque o caso é de vício oculto do produto para 
o qual não há garantia legal. 
 
não está correto o entendimento da vendedora, porque o caso é de prescrição cujo prazo 
é de cinco anos; 
 
está correto o entendimento da vendedora (Casa Bons Negócios); 
 não está correto o entendimento da vendedora porque prevalece a garantia 
legal;

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes