Buscar

Direito do Consumidor - Aula 08 VII

Prévia do material em texto

DIREITO DO CONSUMIDOR 
 
 
 
1a Questão 
 
 
Aurora contratou com determinada empresa de telefonia fixa um pacote de serviços de valor 
preestabelecido que incluía ligações locais de até 100 minutos e isenção total dos valores pelo 
período de três meses, exceto os minutos que ultrapassassem os contratados, ligações interurbanas 
e para telefone móvel. Para sua surpresa, logo no primeiro mês recebeu cobrança pelo pacote de 
serviços no importe três vezes superior ao contratado, mesmo que tivesse utilizado apenas 32 
minutos em ligações locais. A consumidora fez diversos contatos com a fornecedora do serviço para 
reclamar o ocorrido, mas não obteve solução. De posse dos números dos protocolos de reclamações, 
ingressou com medida judicial, obtendo liminar favorável para abstenção de cobrança e de 
negativação do nome. Considerando o caso acima descrito, assinale a afirmativa correta. 
 
 
 
NENHUMA DAS RESPOSTAS ACIMA 
 
A conversão da obrigação em perdas e danos independe de pedido do autor, em qualquer 
hipótese. 
 
A tutela liminar será concedida, desde que não implique em ordem de busca e apreensão, 
que requer medida cautelar própria e justificação prévia. 
 A conversão da obrigação em perdas e danos faz-se independentemente de 
eventual aplicação de multa. 
 
A multa diária ao réu pode ser fixada na sentença, mas desde que o autor tenha requerido 
expressamente. 
 
 
2a Questão 
 
 
A responsabilidade civil dos fornecedores de serviços e produtos, estabelecida pelo Código do 
Consumidor, reconheceu a relação jurídica qualificada pela presença de uma parte vulnerável, 
devendo ser observados os princípios da boa-fé, lealdade contratual, dignidade da pessoa humana e 
equidade. A respeito da temática, assinale a afirmativa correta. 
 
 
 
NENHUMA DAS RESPOSTAS ACIMA 
 
A inversão do ônus da prova nas relações de consumo é questão de ordem pública e de 
imputação imediata, cabendo ao fabricante a carga probatória frente ao consumidor, em 
razão da responsabilidade civil objetiva. 
 
A responsabilidade civil subjetiva dos fabricantes impõe ao consumidor a comprovação da 
existência de nexo de causalidade que o vincule ao fornecedor, mediante comprovação da 
culpa, invertendo-se o ônus da prova no que tange ao resultado danoso suportado. 
 A responsabilidade civil objetiva do fabricante somente poderá ser imputada se 
houver demonstração dos elementos mínimos que comprovem o nexo de 
causalidade que justifique a ação proposta, ônus esse do consumidor. 
 
A responsabilidade civil do fabricante é subjetiva e subsidiária quando o comerciante é 
identificado e encontrado para responder pelo vício ou fato do produto, cabendo ao segundo 
a responsabilidade civil objetiva. 
 
 
3a Questão 
 
 
A empresa Cristal Ltda., atendendo à solicitação da cliente Ruth, realizou orçamento para prestação 
de serviço, discriminando material, equipamentos, mão de obra, condições de pagamento e datas 
para início e término do serviço de instalação de oito janelas e quatro portas em alumínio na 
residência da consumidora. Com base no narrado acima, é correto afirmar que 
 
 
 
Ruth não responderá por eventuais acréscimos não previstos no orçamento prévio, exceto 
se decorrente da contratação de serviço de terceiro. 
 o valor orçado terá validade de dez dias, contados do recebimento pela 
consumidora; aprovado, obriga os contraentes, que poderão alterá-lo mediante 
livre negociação. 
 
o orçamento terá validade de trinta dias, independentemente da data do recebimento e 
aprovação pela consumidora Ruth. 
 
uma vez aprovado, o orçamento obriga os contraentes e não poderá alterado ou negociado 
pelas partes, que, buscando mudar os termos, deverão fazer novo orçamento. 
 
 
4a Questão 
 
 
Acerca da responsabilidade por vícios do produto e do serviço nas relações de consumo, assinale a 
opção correta. 
 
 
 
Quando forem fornecidos produtos potencialmente perigosos ao consumo, mesmo sem haver 
dano, incide cumulativamente a responsabilidade pelo fato do produto e a responsabilidade 
por perdas e danos, além das sanções administrativas e penais. 
 
A reparação por danos materiais decorrentes de vício do produto ou do serviço afasta a 
possibilidade de reparação por danos morais, ainda que comprovado o fato e demonstrada a 
ocorrência de efetivo constrangimento à esfera moral do consumidor. 
 
A reparação por danos morais decorrentes de vício do produto ou do serviço afasta a 
possibilidade de reparação por danos materiais 
 
O fornecedor pode eximir-se da responsabilidade pelos vícios do produto ou do serviço e do 
dever de indenizar os danos por eles causados se provar que o acidente de consumo ocorreu 
por caso fortuito ou força maior ou que a colocação do produto no mercado se deu por ato de 
um representante autônomo do fornecedor. 
 A explosão de loja que comercializa, entre outros produtos, fogos de artifício e 
pólvora, causando lesão corporal e morte a diversas pessoas, acarreta a 
responsabilidade civil do comerciante decorrente de fato do produto, se ficar 
demonstrada a exclusividade de sua culpa pelo evento danoso. Nesse caso, aos 
consumidores equiparam-se todas as pessoas que, embora não tendo participado 
diretamente da relação de consumo, venham a sofrer as consequências do evento 
danoso. 
 
 
5a Questão 
 
 
Mauro adquiriu um veículo zero quilômetro da fabricante brasileira Surreal, na concessionária 
Possante Ltda., revendedora de automóveis que comercializa habitualmente diversas marcas 
nacionais e estrangeiras. Na época em que Mauro efetuou a compra, o modelo adquirido ainda não 
era produzido com o opcional de freio ABS, o que só veio a ocorrer seis meses após a aquisição feita 
por Mauro. Tal sistema de frenagem (travagem) evita que a roda do veículo bloqueie quando o pedal 
do freio é pisado fortemente, impedindo com isso o descontrole e a derrapagem do veículo. Mauro, 
inconformado, aciona a concessionária postulando a substituição do seu veículo, pelo novo modelo 
com freio ABS. Diante do caso narrado e das regras atinentes ao Direito do Consumidor, assinale a 
afirmativa correta. 
 
 
 Havendo necessidade de reposição de peças ou componentes no veículo de Mauro, 
a fabricante Surreal deverá, ainda que cessada a fabricação no país, efetuar o 
reparo com peças originais por um período razoável de tempo, fixado por lei. A 
reposição com peças usadas só é admitida pelo Código do Consumidor quando 
houver autorização do consumidor. 
 
Mauro tem direito à substituição, pois o fato de o novo modelo ter sido oferecido com o 
opcional do freio ABS, de melhor qualidade, configura defeito do modelo anterior por ele 
adquirido. 
 
NENHUMA DAS RESPOSTAS ACIMA 
 
Se o veículo adquirido por Mauro apresentar futuro defeito no freio dentro do prazo de 
garantia, a concessionária Possante Ltda. é obrigada a assegurar a oferta de peças de 
reposição originais enquanto não cessar a fabricação do veículo. 
 
Somente quando cessada a produção no país do veículo adquirido por Mauro, a fabricante 
Surreal ficará exonerada do dever legal de assegurar o oferecimento de componentes e 
peças de reposição para o automóvel. 
 
 
6a Questão 
 
 
O Código de Defesa do Consumidor adota a responsabilidade subjetiva se o fornecedor for 
 
 
 
produtor. 
 
importador. 
 
comerciante. 
 profissional liberal. 
 
construtor. 
 
 
7a Questão 
 
 
Quando a contratação ocorre por site da internet, o consumidor pode desistir da compra? 
 
 
 Sim. Quando a compra é feita fora do estabelecimento comercial, o consumidor 
pode desistir do contrato no prazo de sete dias, mesmo sem apresentar seus 
motivos para a desistência. 
 
Sim. Quando a compra é feitapela internet, o consumidor pode desistir da compra em até 30 
dias depois que recebe o produto. 
 
Não. O direito de arrependimento só existe para as compras feitas na própria loja, e não pela 
internet. 
 
Não. Quando a compra é feita pela internet, o consumidor é obrigado a ficar com o produto, 
a menos que ele apresente vício. Só nessa hipótese o consumidor pode desistir. 
 
 
8a Questão 
 
 
V Exame de Ordem Quando a contratação ocorre por site da internet, o consumidor pode desistir da 
compra? 
 
 
 
Não. Quando a compra é feita pela internet, o consumidor é obrigado a ficar com o produto, 
a menos que ele apresente vício. Só nessa hipótese o consumidor pode desistir. 
 Sim. Quando a compra é feita fora do estabelecimento comercial, o consumidor 
pode desistir do contrato no prazo de sete dias, mesmo sem apresentar seus 
motivos para a desistência. 
 
Sim. Quando a compra é feita pela internet, o consumidor pode desistir da compra em até 30 
dias depois que recebe o produto. 
 
Não. O direito de arrependimento só existe para as compras feitas na própria loja, e não pela 
internet.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes