Curso de Direito do Trabalho - 2019
1481 pág.

Curso de Direito do Trabalho - 2019

Pré-visualização50 páginas
ISBN 9788553605767
Leite, Carlos Henrique Bezerra
Curso de direito do trabalho / Carlos Henrique Bezerra Leite. \u2013 11. ed. \u2013 São
Paulo : Saraiva Educação, 2019.
1. Direito do trabalho 2. Direito do trabalho - Brasil I. Título.
18-1058
CDU-349.2(81)
Índices para catálogo sistemático:
1. Brasil : Direito do trabalho 349.2(81)
Diretoria executiva Flávia Alves Bravin
Diretora editorial Renata Pascual Müller
Gerência editorial Roberto Navarro
Consultoria acadêmica Murilo Angeli Dias dos Santos
Edição Eveline Gonçalves Denardi (coord.) | Iris Ferrão
Produção editorial Ana Cristina Garcia (coord.) | Carolina Massanhi | Luciana
Cordeiro Shirakawa | Rosana Peroni Fazolari
Arte e digital Mônica Landi (coord.) | Claudirene de Moura Santos Silva |
Guilherme H. M. Salvador | Tiago Dela Rosa | Verônica Pivisan Reis
Planejamento e processos Clarissa Boraschi Maria (coord.) | Juliana Bojczuk
Fermino | Kelli Priscila Pinto | Marília Cordeiro | Fernando Penteado | Mônica
Gonçalves Dias | Tatiana dos Santos Romão
Novos projetos Fernando Alves
Diagramação (Livro Físico) Microart Design Editorial
Revisão Microart Design Editorial
Capa Casa de Ideias / Daniel Rampazzo
Livro digital (E-pub)
2
Produção do e-pub Guilherme Henrique Martins Salvador
Data de fechamento da edição: 30-11-2018
Dúvidas?
Acesse www.editorasaraiva.com.br/direito
Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem
a prévia autorização da Editora Saraiva.
A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na Lei n. 9.610/98 e punido pelo
artigo 184 do Código Penal.
3
Sumário
Agradecimentos
Prefácio
Nota do autor à 11ª edição
TÍTULO I - TEORIA GERAL DO DIREITO DO TRABALHO
Capítulo I - Noções Fundamentais
1. BREVE HISTÓRICO DO TRABALHO E DO DIREITO DO
TRABALHO
1.1. A Consolidação das Leis do Trabalho
1.1.1 A Reforma Trabalhista na CLT
1.2. A Constituição Federal de 1988
1.3. O trabalho como direito humano e fundamental
2. CONCEITO
3. DENOMINAÇÃO
4. DIVISÃO INTERNA
5. AUTONOMIA
6. NATUREZA JURÍDICA
7. OBJETO
8. FUNÇÃO
9. CARACTERÍSTICAS
10. OS DIREITOS SOCIAIS DOS TRABALHADORES COMO
DIREITOS HUMANOS FUNDAMENTAIS
11. OS DIREITOS DA PERSONALIDADE E O direito do trabalho
11.1. Conceito de direitos da personalidade
4
11.2. Natureza jurídica dos direitos da personalidade
11.3. Características dos direitos da personalidade
11.4. Classificação
11.5. Os direitos da personalidade e os direitos sociais dos
trabalhadores
11.6. Titularidade
11.7. Lesões aos direitos de personalidade nas relações trabalhistas
12. O DANO MORAL NA RELAÇÃO DE EMPREGO E A
REFORMA TRABALHISTA
12.1. Hipóteses mais comuns de danos morais na relação de
emprego
12.1.1. Dano moral na fase pré-contratual
12.1.2. Dano moral durante o contrato de trabalho
12.1.3. Dano moral na fase pós-contratual
12.2. Dano moral coletivo
Capítulo II - Fontes do Direito do Trabalho
1. FONTES DO DIREITO EM GERAL
2. FONTES DO direito do trabalho
2.1. Fontes materiais do direito do trabalho
2.2. Fontes formais do direito do trabalho
2.2.1. Fontes heterônomas
2.2.2. Fontes autônomas
2.2.2.1. Termo de conciliação firmado perante a Comissão de
Conciliação Prévia
3. A CONSTITUCIONALIZAÇÃO DO direito do trabalho E O
PROBLEMA DA HIERARQUIA DAS SUAS FONTES
Capítulo III - Princípios do Direito do Trabalho
1. PRINCÍPIOS: CONCEITO E IMPORTÂNCIA
2. PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS FUNDAMENTAIS
5
3. FUNÇÃO DOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS
FUNDAMENTAIS
4. PRINCÍPIOS DO direito do trabalho
4.1. Princípios constitucionais fundamentais e gerais do direito do
trabalho
4.2. Princípios constitucionais específicos do direito do trabalho
4.2.1. Princípio da fonte normativa mais favorável ao
trabalhador
4.2.2. Princípio da proteção da relação de emprego
4.2.3. Princípio de proteção ao salário
4.2.4. Princípio da proteção ao mercado de trabalho da mulher
4.2.5. Princípio da proibição ao trabalho infantil e da exploração
do trabalho do adolescente
4.2.6. Princípio da proteção ao meio ambiente do trabalho
4.2.7. Princípio da proibição de discriminação
4.2.8. Princípio do reconhecimento das convenções e acordos
coletivos
4.3. Princípios infraconstitucionais do direito do trabalho
4.3.1. Características
4.3.2. Enumeração dos princípios do direito do trabalho
4.3.2.1. Princípio da proteção
4.3.2.2. Princípio da condição (ou cláusula) mais benéfica
4.3.2.3. Princípio da irrenunciabilidade ou indisponibilidade
4.3.2.4. Princípio da continuidade da relação de emprego
4.3.2.5. Princípio da primazia da realidade
4.3.2.6. Princípio da razoabilidade
4.3.2.7. Princípio das garantias mínimas ao trabalhador
4.3.2.8. Princípio da boa-fé
4.3.2.9. Princípio da substituição automática das cláusulas
contratuais
6
4.3.2.10. Princípio da supremacia do interesse público
Capítulo IV - Hermenêutica do Direito do Trabalho
1. HERMENÊUTICA DO direito do trabalho
1.1. Interpretação
1.1.1. Método gramatical
1.1.2. Método lógico
1.1.3. Método histórico
1.1.4. Método sistemático
1.1.5. Método teleológico
1.1.6. Métodos modernos de interpretação constitucional dos
direitos fundamentais trabalhistas
1.1.6.1. Interpretação conforme a Constituição
1.2. Integração
1.2.1. As lacunas do direito do trabalho e a necessidade de
heterointegração (diálogo das fontes)
1.2.1.1. Analogia
1.2.1.2. Equidade
1.2.1.3. Princípios gerais de direito
1.3. Aplicação
2. EFICÁCIA DA NORMA TRABALHISTA
2.1. Eficácia da norma trabalhista no tempo e a Reforma
Trabalhista
2.2. Eficácia da norma trabalhista no espaço
3. EFICÁCIA DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS
TRABALHISTAS
3.1. Eficácia vertical e horizontal dos direitos fundamentais sociais
trabalhistas
TÍTULO II - DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO
Capítulo I - Relação de Trabalho e Relação de Emprego
7
1. RELAÇÃO DE TRABALHO E RELAÇÃO DE EMPREGO:
NATUREZA JURÍDICA \u2013 TEORIAS
1.1. Teorias contratualistas
1.2. Teorias anticontratualistas
1.3. Teoria eclética
1.4. Nossa posição
2. CONTRATO DE TRABALHO E RELAÇÃO DE EMPREGO
3. CARACTERIZAÇÃO DA RELAÇÃO DE EMPREGO
3.1. Importância do assunto
3.2. Critérios distintivos da relação empregatícia
3.2.1. Pessoalidade
3.2.2. Não eventualidade (ou ineventualidade)
3.2.3. Subordinação hierárquica ou jurídica
3.2.4. Onerosidade
3.2.5. Outros elementos
3.3. A parassubordinação jurídica e o direito do trabalho em crise
3.4. Subordinação estrutural, integrativa ou reticular
Capítulo II - Sujeitos da Relação de Emprego: o Empregado
1. A EXPRESSÃO \u201cTRABALHADOR\u201d
2. EMPREGADO
2.1. Empregado hipersuficiente
3. TRABALHADOR AUTÔNOMO
4. TRABALHADOR EVENTUAL
5. TRABALHADOR AVULSO
5.1. Trabalhador portuário avulso
6. TRABALHADOR TEMPORÁRIO
7. TRABALHADORES INTELECTUAIS
8. ALTOS EMPREGADOS
8
8.1. Diretor empregado
8.2. Empregado eleito diretor
8.3. Demais exercentes de cargos de confiança
9. TRABALHADOR DOMÉSTICO
9.1. Novo microssistema de regulação do trabalho doméstico
9.2. Denominação e conceito
9.3. O empregador doméstico e suas responsabilidades
9.4. Contrato de trabalho doméstico
9.5. Duração do trabalho doméstico
9.6. Remuneração do trabalhador doméstico
9.7. FGTS e seguro-desemprego
9.8. Efeitos da extinção do contrato de trabalho doméstico
9.8.1 Extinção do contrato de trabalho doméstico por tempo
determinado
9.8.2. Extinção do contrato de trabalho doméstico por tempo
indeterminado
9.8.2.1. Pedido de demissão
9.8.2.2. Rescisão indireta
9.8.2.3. Dispensa do trabalhador sem justa causa
9.8.2.4. Dispensa do trabalhador com justa causa
9.8.2.5. Morte do trabalhador e morte do empregador
doméstico
9.8.2.6. Culpa recíproca
9.8.3. Pagamento