A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
AULA 2

Pré-visualização | Página 4 de 4

Outro mecanismo de gerenciamento de resultados contábeis utilizado pelos 
gestores é o big bath accounting. Mas no que ele consiste? 
 
 
12 
Este é um tipo de gerenciamento de resultados que tem como objetivo piorar 
um resultado ruim com o intuito de obter um resultado melhor no futuro. Como 
assim? O objetivo consiste em piorar o resultado da empresa? 
Sim, exato! Vamos pensar no seguinte caso: a empresa Alfa possui accruals 
que, ao serem registrados, vão afetar negativamente o resultado da empresa, 
assim, evitam o lançamento desses accruals enquanto o resultado for positivo. 
Contudo, no momento de uma crise financeira e/ou de um resultado operacional 
ruim, a empresa lança esses accruals que vão piorar o resultado do exercício, 
com o intuito de, nos próximos períodos, obter resultados mais favoráveis. 
Um outro caso em que pode ocorrer big bath accounting é com a mudança 
de gestão na organização. O novo gestor pode utilizar esse mecanismo para 
atribuir ao antigo gestor um desempenho ruim e, assim, garantir resultados 
futuros melhores, que serão atribuídos à nova gestão. 
5.3 Window dressing 
O window dressing é um mecanismo de gerenciamento de resultados que 
visa maquiar os resultados contábeis tornando-os mais positivos. O exemplo 
mais comum relatado pela literatura é a operação de window dressing realizada 
pelos fundos de investimentos. 
Imagine o seguinte caso: um fundo de investimentos investe em ações A, B, 
C e D. Ainda, o fundo de investimentos usualmente divulga o desempenho do 
fundo de forma trimestral. No quarto trimestre, as ações A e B superaram o índice 
total, mas representavam pouco dentro do peso do fundo de investimentos, 
enquanto as ações C e D ficaram abaixo do índice total, mas representavam 
muito dentro do peso do fundo de investimentos. Assim, o gestor do fundo de 
investimentos decide “maquiar os resultados” e, portanto, vende as ações C e D, 
substituindo por ações com maior índice. Essas decisões dos gestores vão levar 
os stakeholders a avaliarem o rendimento do fundo de investimentos de forma 
positiva, induzindo os demais agentes econômicos a tomarem decisões de 
maneira equivocada. 
TROCANDO IDEIAS 
Estamos caminhando para o final desta aula. Vamos agora trocar ideias 
com os colegas sobre os principais aspectos tratados? 
 
 
13 
Para consolidar os conhecimentos adquiridos nesta aula, vamos realizar 
uma atividade de fórum. Você deverá articular os conceitos aprendidos sobre os 
tópicos teóricos da teoria das escolhas contábeis e o gerenciamento de resultado 
contábil, com o intuito de diferenciar as práticas de cada tema estudado. Reflita: 
escolha contábil e gerenciamento de resultados correspondem a mesma 
prática? Para responder a esse questionamento, exponha a sua opinião na 
plataforma AVA, elaborando um texto com base nos principais conceitos das 
teorias supracitadas. Essa atividade auxiliará na fixação dos conteúdos 
estudados. 
NA PRÁTICA 
Esta atividade tem cunho prático, para que vocês possam desenvolver 
habilidades. O tema de discussão da atividade prática é gerenciamento de 
resultados, o qual discutimos nos Temas 4 e 5 desta aula. 
Para Martinez (2008, p. 13), é crucial entender que o gerenciamento dos 
resultados contábeis não é fraude contábil. No gerenciamento dos resultados 
contábeis, opera-se dentro dos limites do que prescreve a legislação contábil, 
entretanto nos pontos em que as normas contábeis facultam certa 
discricionariedade para o gerente, este realiza suas escolhas não em função do 
que dita a realidade concreta dos negócios, mas em função de outros incentivos. 
Enquanto a fraude contábil é caracterizada pelo ato intencional de falsificar e/ou 
alterar documentos contábeis, registro e demonstrações contábeis. Reúna os 
conhecimentos adquiridos durante esse curso e vamos fazer um exercício de 
abstração: 
O Sr. João Paulo é contador da empresa Alfa e trabalha sob a gerência 
do Sr. Henrique Cardoso, CEO da empresa Alfa. O Sr. Henrique Cardoso recebe 
remuneração variável atrelada ao desempenho da organização. O indicador 
utilizado para mensurar o desempenho é o lucro contábil. 
O Sr. João Paulo decide registrar um número elevado de accruals no 
período X4 que antecede a avaliação de desempenho do CEO. Esses accruals 
elevam o resultado contábil do período, reportando um lucro três vezes maiores. 
Agora, vocês deverão refletir e decidir se o ato praticado pelo Sr. João 
Paulo se caracteriza como fraude contábil ou gerenciamento de resultados. 
Apresente uma posição em relação ao cenário apresentado e justifique sua 
escolha. (A sugestão de resposta está ao fim deste documento). 
 
 
14 
FINALIZANDO 
Esta aula nos auxiliou a adentrar ao mundo teórico contábil e 
compreender como surgiram e se desenvolveram as duas principais correntes 
de pesquisa da área: a teoria normativa e a teoria positiva. Ainda, discutimos 
alguns tópicos avançados derivados da corrente positiva da contabilidade, como 
a teoria das escolhas contábeis e os estudos de gerenciamento de resultados. 
Nos dois primeiros temas desta aula, foram apresentadas as duas 
correntes teóricas que guiaram o desenvolvimento das pesquisas nas ciências 
contábeis: a teoria normativa e a teoria positiva. Discorremos, também, sobre o 
desenvolvimento histórico de ambas as perspectivas, suas características e as 
principais críticas. 
Nos três últimos temas, o enfoque esteve em tópicos avançados da teoria 
contábil, desenvolvidos sob influência da corrente positiva. No tema 3, foi 
apresentada a teoria das escolhas contábeis e as implicações da 
discricionariedade normativa. No tema 4, expressamos os conceitos e definições 
de gerenciamento de resultados e a sua relação com a discricionariedade 
normativa. O último tema aprofundou os principais mecanismos de 
gerenciamento de resultados: income smoothing, big bath accounting e window 
dressing. 
 
 
 
15 
REFERÊNCIAS 
HEALY, P. M.; WAHLEN, J. M. A review of the earnings management literature 
and its implications for standard setting. Accounting Horizons. v. 13, n. 1, p. 
365-383, 1999. 
IUDICIBUS, S. Teoria da contabilidade: evolução e tendências. Revista de 
Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UFRJ, v. 17, n. 2, p. 
5-13, 2012. 
MARTINEZ, A. L. Detectando earnings management no Brasil: estimando os 
accruals discricionários. Revista Contabilidade & Finanças, v. 19, n. 46, p. 7-
17, 2008. 
NIYAMA, J. K. Teoria Avançada da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2014. 
RIVERA-CASTRO, M. A.; MARTINEZ, A. L. Income smoothing como critério para 
montagem de carteiras: evidências empíricas no mercado brasileiro. In: XXXII 
EnANPAD. Anais... Rio de Janeiro, 2008. 
SCHIPPER, K. Commentary on earnings management. Accounting Horizons, 
v. 3, n.1, p. 91-102, 1989. 
SILVA, D. M.; MARTINS, V. A.; LEMES, S. Escolhas contábeis: reflexões para a 
pesquisa. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 13, n. 29, p. 129-156, 
2016. 
 
 
 
16 
RESPOSTA 
Considerando o conflito de interesses existente entre o contador e o CEO, 
uma vez que o primeiro está abaixo na hierarquia organizacional do segundo e 
o João Paulo é responsável pela elaboração dos demonstrativos contábeis, 
existe uma grande possibilidade de o lançamento representar um gerenciamento 
de resultados. O segundo elemento é que não há evidências de alteração ou 
destruição de documentos contábeis, o que poderia caracterizar uma fraude 
contábil. Assim, o cenário indica um possível gerenciamento de resultados.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.