A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Questões de prova de Sociedade Anônima

Pré-visualização | Página 3 de 4

e estarão presentes à assembleia quem conhecer o laudo, a fim de prestar as informações que forem solicitadas. Se o subscritor aceitar o valor aprovado pela assembleia, os bens serão incorporados ao patrimônio da companhia, competindo aos primeiros diretores cumprir as formalidades necessárias à respectiva transmissão. Se a assembleia não aprovar a avaliação, ou o subscritor não aceitar a avaliação aprovada, ficará sem efeito o projeto de constituição da companhia. Os bens não poderão ser incorporados ao patrimônio da companhia por valor acima do que lhes tiver dado o subscritor.
21. O primeiro procedimento formal para a empresa abrir o capital é protocolizar um pedido de registro na Comissão de Valores Mobiliários – CVM, que é o órgão regulador e fiscalizador do mercado de capitais brasileiro. Simultaneamente, para que a empresa possa ter suas ações e outros valores mobiliários negociados, deve solicitar sua listagem em entidade específica. Se seu objetivo é a abertura de capital, identifique a característica que se apresentará a partir do deferimento do pedido citado:
R.: Suas ações serão negociadas em bolsa de valores.
22. Caio, administrador de uma companhia, descobriu que outro administrador da mesma companhia, César, tem atuado em proveito próprio, causando prejuízo ao patrimônio da empresa, agindo com violação do princípio do dever legal de lealdade. Caio, embora não esteja participando da conduta ilícita, não quer se indispor com César, que também é seu amigo, razão pela qual se mantém em silêncio sobre o caso. Tendo em vista os fatos acima narrados e, ainda, a hipótese de o caso ser revelado a terceiros, responda às perguntas que se seguem. Explique se qualquer acionista da referida sociedade poderá imediatamente oferecer ação de responsabilidade contra César. Caio poderá ser responsabilizado pela conduta de César? Por quê?
R.: Para ser proposta uma ação de responsabilidade civil contra o administrador, é necessária prévia deliberação e consentimento da assembleia geral da companhia. A legitimidade ordinária para propor tal ação é da própria companhia. Porém, se a ação não for proposta por ela nos três meses seguintes à assembleia geral, todos os acionistas terão legitimidade extraordinária para propô-la. Se a assembleia geral não autorizar a propositura da ação, ainda assim ela poderá ser proposta, desde que a(s) parte(s) ativa(s) represente(m) 5% ou mais do capital social.
Prevalece a regra de que um administrador não pode ser responsabilizado por ato ilícito praticado por outro. Porém, Caio, em exceção, poderá ser responsabilizado pela conduta de César porque foi conivente com os atos que prejudicavam a companhia, embora não participasse do ilícito, e deixou de agir, de tomar as providências necessárias.
23.
R.: Em regra, não há responsabilidade solidária entre os administradores.
24. As ações podem ser das seguintes espécies:
R.: Ações ordinárias, preferenciais e de fruição
25. Às vezes, não é necessário que uma empresa seja dona da outra para que a legislação determine que a relação entre elas seja tão próxima que mereçam cuidados especiais. É daí que aparecem os conceitos de subsidiária, controlada e coligada. Na conformidade do que preceitua o § 1º do artigo 243 da Lei das Sociedades Anônimas, o que são sociedades coligadas?
R.: São coligadas as sociedades quando uma participa com 10% ou mais do capital da outra, sem controlá-la.
26. Os direitos dos sócios podem ser classificados em duas espécies: sociais e individuais. Os individuais, também chamados de essenciais, originam-se na lei que regula as sociedades anônimas, a Lei das Sociedades por Ações; já os sociais nascem juntamente com o estatuto societário ou com quaisquer mudanças que sejam feitas nele. Os direitos essenciais não são suscetíveis de transformação, nem pelos estatutos, nem pela assembleia geral, já os direitos sociais admitem modificação, quando estiver prevista no estatuto. Alguém que tenha adquirido ações de uma companhia, como qualquer acionista, tem a garantia do direito essencial de:
R.: Participar dos lucros sociais da companhia. 
27. Indique para que devem ser utilizadas as ações que ostentam as duas características (escritural e sem valor nominal).
R.: Reduzir a guarda de papéis e deságio.
28. Identifique uma disposição normativa, no universo da legislação societária, para a emissão de ações pelas companhias:
R.: A possibilidade de emissões sem aprovação da assembleia geral.
29. Na conformidade do que preceitua o § 1º do artigo 243 da Lei das Sociedades Anônimas, o que são sociedades coligadas?
R.: São coligadas as sociedades quando uma participa com 10% ou mais do capital da outra, sem controlá-la.
30. Analise as diversas estruturas societárias existentes e identifique uma das formas de expressão da sociedade anônima.
R.: É sempre mercantil e se rege pelas leis e usos de comércio.
31. Explique como é feita a avaliação dos bens que irão formar o capital social.
R.: avaliação dos bens será feita por 3 peritos ou por empresa especializada, nomeados em assembleia geral dos subscritores, convocada pela imprensa e presidida por um dos fundadores, instalando-se em primeira convocação com a presença de subscritores que representem pelo menos metade do capital social e, em segunda convocação, com qualquer número. Os peritos ou a empresa avaliadora deverão apresentar laudo fundamentado, com a indicação dos critérios de avaliação e dos elementos de comparação adotados, também instruído com os documentos relativos aos bens avaliados, e estarão presentes à assembleia quem conhecer o laudo, a fim de prestar as informações que forem solicitadas. Se o subscritor aceitar o valor aprovado pela assembleia, os bens serão incorporados ao patrimônio da companhia, competindo aos primeiros diretores cumprir as formalidades necessárias à respectiva transmissão. Se a assembleia não aprovar a avaliação, ou o subscritor não aceitar a avaliação aprovada, ficará sem efeito o projeto de constituição da companhia. Os bens não poderão ser incorporados ao patrimônio da companhia por valor acima do que lhes tiver dado o subscritor.
32. Explique se é lícito a CVM instaurar processo administrativo investigatório contra Caio. Indique qual teria sido o ato ilícito praticado por Caio. Teria havido violação a algum dispositivo da legislação societária? Se sim, cite qual. Quais são as penalidades que podem ser impostas a Caio pela CVM, caso reste comprovada a conduta descrita no enunciado?
R.: É possível a CVM instaurar processo administrativo, precedido de etapa investigatória, para apurar atos ilegais de administradores de companhias abertas. A situação pode caracterizar uso indevido de informação privilegiada, bem como violação aos deveres de lealdade e/ou sigilo, em razão da alienação em bolsa de todas as ações de emissão da companhia de que o diretor era titular, antes da divulgação ao mercado do resultado negativo obtido no exercício social. Ademais, como diretor de companhia aberta, Caio teria violado o dever de informar. A CVM pode aplicar ao diretor as penalidades previstas na legislação societária. 
33. Defina o que é estabelecido pela Lei das Sociedades Anônimas, enfatizando a diferença fundamental entre as companhias abertas e fechadas.
R.: Estabelece a Lei das Sociedades Anônimas que a diferença está no fato de os valores mobiliários de suas respectivas emissões estarem ou não admitidos à negociação em bolsa ou no mercado de balcão, sendo obrigatório o registro da companhia na Comissão de Valores Mobiliários – CVM. A companhia aberta, também chamada de empresa de capital aberto, é a que capta recursos junto ao público e é fiscalizada pela CVM. A companhia fechada, também chamada de empresa de capital fechado, obtém seus recursos, em regra, dos próprios acionistas.
1. O que é bolsa de valores?
R.: A bolsa de valores é o mercado organizado onde se negociam ações de sociedades de capital aberto e outros valores mobiliários.
2. Como funciona a bolsa de valores?
R.: O investidor

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.