A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Alimentação do lactente com fórmulas lácteas

Pré-visualização | Página 1 de 1

RESUMO P2 MATERNO INFANTIL – ALIMENTAÇÃO DO LACTENTE COM FÓRMULAR LACTEAS 
Indicações do aleitamento artificial: 
• Infecção materna pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) Risco de transmissão: 7 
a 22% 
• Infecção materna por Herpes simples e Herpes Zoster; Hepatite C; Hanseníase 
• Alguns erros inatos do metabolismo 
• Trabalho; dificuldades no manejo; crescimento e desenvolvimento inadequados 
Fórmulas Lácteas: 
• Leite de vaca – maior similaridade ao leite humano 
• Soja – fórmulas caseiras: baixo teor de metionina; fórmulas industrializadas: adição de 
metionina, porém custo elevado/baixa palatabilidade 
• Leite de cabra – composição centesimal semelhante ao leite de vaca; maior teor de 
cálcio e lipídios; custo 5x maior que o leite de vaca. 
Riscos associados ao consumo de leite de vaca: 
• Inadequação nutricional 
• Maior incidência de morbidades 
• LM: maior desenvolvimento cognitivo 
• Maior custo doméstico e maior ônus para o setor saúde 
• Desenvolvimento da anemia – perda de sangue oculto (40% das crianças que 
consomem leite de vaca) 
O leite de vaca e humano possuem mesma quantidade de Fe, porém o humano tem uma 
absorção muito melhor (50% comparado com 10%) 
Leite materno x Fórmula infantil 
Leite em pó adaptado: 
• Visam a aproximação da composição do LM mas NÃO pode ser considerado um 
substituto do LM porque apresenta diferenças nutricionais e ausência de propriedades 
imunológicas 
• Alto custo 
• Mais adequado às necessidades do bebê quando comparado ao LV 
 
Fórmula infantil para lactentes (partida) – produto em forma líquida ou em pó destinada à 
alimentação de lactentes, em substituição ao leite materno, até o sexto mês de vida 
Fórmula infantil de seguimento para lactentes – produto em forma líquida ou em pó 
destinada à alimentação de lactentes, em substituição ao leite materno, a partir do sexto mês 
de vida 
Fórmulas infantis modificadas - Formulações específicas para atendimento de crianças em 
situações especiais 
Cálculo da dieta 
 
1) Calcular as necessidades 
energéticas: 
Necessidades energéticas = 
Kcal/Kg peso/dia x peso 
2) Escolher a fórmula 
3) Determinar a capacidade gástrica da criança 
25 a 30 ml/Kg/mamada 
valor múltiplo de 30 
4) Calcular o valor energético da mamadeira 
5) N° de mamadeiras = dividir a necessidade energética total pelo valor energético da 
mamadeira 
Falhas comuns: erros na diluição, água não-fervida, armazenamento de fórmula 
preparada, aquecimento em microondas, adição de cereais e açúcar, autoadministração 
da fórmula pelo lactente 
Riscos à Saúde: 
• Fórmula infantil industrializada → melhor opção para a criança não amamentada 
• Levar em consideração a possibilidade dos seguintes sintomas: 
o Constipação 
o Flatulência 
o Agitação 
o Regurgitação 
o Vômitos 
*avaliar a necessidade de troca da fórmula 
Forma láctea caseira: 
• leite de vaca → alternativa mais empregada em substituição ao aleitamento materno 
o Baixo custo, Facilidade de acesso 
Cuidados no preparo: 
• Ministério da Saúde: fervura do leite pasteurizado e aquecimento do leite esterilizado. 
• Obs.: processamento térmico industrial e caseiro → perda de nutrientes como 
vitaminas C, B1, B6, B12 e ácido fólico. 
• Leite em pó: reconstituição com água 
 
 
Preparo e administração da fórmula 
Preparo da mamadeira imediatamente antes de ser servida 
Conservação em geladeira = máximo 24h 
Esterilização dos utensílios (bicos e mamadeiras) 
Leite de vaca fluido = ferver 
Leite de vaca em pó = ferver a água e farinha 
Administração = pelo responsável