A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
digestão das proteínas

Pré-visualização | Página 1 de 1

PROF.AXEL 
 
GABRIELA CALAÇA – 2º PERÍODO DE MEDICINA 
1 14 de fevereiro de 2019 
DIGESTÃO E ABSORÇÃO DAS PROTEÍNAS: 
 Possuímos mais de 300 aminoácidos, mas somente 20 constituem as proteínas; 
 As proteínas são macromoléculas formadas por até 20 AA diferentes unidos por ligação peptídica; 
 As proteínas são degradadas em peptídeos e aminoácidos; 
 Enzimas proteolíticas: 
 Endopeptidases: cliva ligações no meio da cadeia peptídica. Ex: pepsina, tripsina, quimiotripsina 
e elastase; 
 Exopeptidases: cliva ligações nas extremidades da cadeia peptídica. 
- carboxipeptidase A e B: C-terminal; (secretada pelo pâncreas) 
- aminopeptidase: N-terminal; (secretada pelas células da mucosa intestinal) 
 Existem duas regiões nas proteínas que conseguimos identificar, a região amino- terminal ou carboxi-
terminal; 
 Funções das proteínas: 
- Transporte de oxigênio; 
- Proteção do corpo contra organismos patogênicos (anticorpos); 
- Catalizadoras de reações químicas (enzimas); 
- Receptora de membranas; 
- Atuação na contração muscular (actina e miosina); 
- Formação de hormônios; 
 São encontradas em: 
- Carnes; 
- Leite; 
- Ovos; 
- Cereais integrais; 
- Feijão; 
- Legumes; 
- Vegetais folhosos; 
 Dogma central da biologia: 
DNARNAmProteína 
- O DNA é a informação, o RNAm é o intermediário e a proteína é a ação; 
- Todas as ações que a célula tem são através das proteínas; 
 Categorias das proteínas: 
 Proteínas globulares; 
 Proteínas fibrosas; 
 Ou ainda, podem ser classificadas em: 
 Proteínas simples; 
 Proteínas conjugadas; 
 
- A digestão das proteínas se inicia no estômago (onde o estômago produz ácido clorídrico e sintetiza e 
excreta a enzima pepsina), posteriormente o alimento parcialmente digerido no estômago vai para o 
duodeno onde vai sofrer a digestão pelas enzimas através do suco pancreático e a parte final é no intestino 
delgado, na borda em escova, onde ocorre a terceira parte da digestão das proteínas que é através das 
enzimas proteolíticas, que transformam trais proteínas em aminoácidos que são absorvidos; 
- O pH do estômago faz com que as proteínas sejam desnaturadas (mudando o seu formato); 
- Essa desnaturação das proteínas é realizada para que ela fique em sua forma linear, para o corpo ter 
acesso a diversas partes da proteína; 
- Tem diversas proteínas que são digeridas pelas enzimas, transformando essas em aminoácidos, que são 
as partes absorvidas e utilizadas pelo organismo; 
- Quando os aminoácidos são absorvidos no intestino eles vão através da corrente sanguínea até o fígado, 
onde são estocados e posteriormente são distribuídos para as células; 
PROF.AXEL 
 
GABRIELA CALAÇA – 2º PERÍODO DE MEDICINA 
2 14 de fevereiro de 2019 
- Durante a fase de desenvolvimento da criança há a necessidade de uma ingestão maior de proteínas 
porque está o tempo todo formando células novas; 
 - As proteínas tem uma possibilidade de digestão e absorção muito eficiente; 
 
DIGESTÃO DAS PROTEÍNAS: 
 Proteínas inteiras não conseguem ser absorvidas (são grandes demais para passarem na membrana de 
forma intacta); 
 Enzimas digestivas: hidrolisam as ligações peptídicas; 
 Secretadas como pré-enzimas inativas: previnem a autodigestão; 
 Iniciada no estômago: 
- HCl das células parietais, pH de 1,6 a 3,2; 
- Desnatura as estruturas quaternárias, terciárias e secundárias; 
- Pepsinogênio das células principais: 
 Cliva a fenilalanina, tirosina e triptofano (aminoácidos aromáticos); 
 Deixam o estômago uma mistura de proteínas insolúveis, proteínas solúveis, peptídeos e aminoácidos; 
 Os aminoácidos e peptídeos que chegam até o estômago estimulam as células G a produzir a gastrina, a 
gastrina é o hormônio que vai atuar diretamente nas células parietais estimulando a produção de ácido 
clorídrico; 
 No fundo e no antro há um controle inibitório da secreção ácida (inibição da gastrina), o hidrogênio 
ionizado estimula as células D a produzir somatostatina, que inibe as células G a produzir gastrina, sem 
gastrina não há produção de ácido clorídrico pelas células parietais; 
 
DIGESTÃO DAS PROTEÍNAS NO INTESTINO DELGADO: 
 Enzimas pancreáticas secretadas: 
- tripsinogênio; 
- quimiotripsinogênio; 
- pro-carboxipeptidase; 
- pro-elastase; 
- colagenase; 
 
 
 No duodeno há o controle da secreção gástrica e pancreática; 
PROF.AXEL 
 
GABRIELA CALAÇA – 2º PERÍODO DE MEDICINA 
3 14 de fevereiro de 2019 
 Se algum alimento chegar no duodeno com pH ácido, vai estimular as células S a produzir 
secretina, essas células irão estimular o pâncreas a produzir bicarbonato de sódio para 
neutralizar a acidez que veio com o alimento; 
 Lipídios que chegam no duodeno estimulam as células I a produzirem CCK (colecistoquinina), que 
estimula o pâncreas a produzir as enzimas pancreáticas; 
 Na borda em escova do intestino delgado tem: 
- Aminopeptidase: cliva a região N-terminal dos aminoácidos; 
- Dipeptidases: cliva dipeptídeos; 
- Enteroquinase (ou enteropeptidase): ativam o tripsinogênio que produz a tripsina, e a tripsina 
por sua vez ativa todas as outras enzimas proteolíticas; 
 
ABSORÇÃO DAS PROTEÍNAS: 
 Os di e tripeptideos utilizam um sistema de transporte diferente dos AA isolados; 
 O mesmo tipo de transportador sofre várias influências: 
- maior captação pelo transportador: 
 Maior cadeia lateral; 
 Isômeros L; 
 AA neutros; 
 Dipeptídeos; 
 - menor captação pelo transportador: 
 Cadeias menores; 
 Isômeros D; 
 AA ácidos ou básicos; 
 Tripeptídeos;