A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
79 pág.
livro_03_novo_conceito_de_bdi

Pré-visualização | Página 2 de 16

048
049
054
056
057
063
066
069
071
073
074
075
076
077
078
UNIDADE III
Paulo Roberto Vilela Dias 7
1
O Problema
Os órgãos públicos, as empresas construtoras, as empresas de engenharia consultiva e os profis-
sionais da área de engenharia por desconhecimento da boa técnica da Engenharia de Custos, pela 
ausência de normas técnicas e de matéria adequada na graduação de engenharia e arquitetura, além 
de literatura insuficiente sobre o tema, acabam por utilizar o conceito de BDI de maneira equivocada.
Este problema vem de longa data e a cada dia tem se evidenciado mais, causando muitos transtornos 
ao mercado de serviços de engenharia e, principalmente, aos profissionais da área.
A aplicação do Novo Conceito de BDI visa, ainda, corrigir inúmeras outras falhas apresentadas pelos 
órgãos contratantes e auditores e porque não dizer, também, por muitos construtores. 
O Novo Conceito de BDI será aqui tratado, de duas maneiras distintas, de acordo com o nicho de 
mercado, a saber:
• órgãos públicos contratantes e;
• prestadores de serviços de engenharia e arquitetura, incluindo construções novas, reformas, 
serviços de consultoria (projetos e gerenciamento) e outros. É possível incluir os serviços de 
engenharia consultiva devido à metodologia de cálculo adotada, de acordo com o novo conceito 
de BDI.
Recomenda-se que as empresas prestadoras de serviços utilizem a metodologia apresentada, de 
acordo com o novo conceito do BDI, quando a proposta de preços for endereçada para órgãos feder-
ais ou quando as obras e serviços de engenharia utilizam recursos federais, pois os órgãos auditores 
estão exigindo critério semelhante. Entretanto, sabe-se, que em breve, a aplicação desta metodolo-
gia, nas contratações de obras e serviços de consultoria, estará difundida em todas as esferas de 
governo, e também, nas empresas particulares.
Ressalte-se que esta metodologia facilita a gestão do contrato, uma vez que possibilita melhor 
análise de aditivos e equilíbrio econômico-financeiro contratuais.
O BDI é parte integrante da elaboração do Preço de Venda de um serviço de engenharia, portanto, 
não pode ser tratado isoladamente.
Preço de Venda = Custo Direto x (1 + BDI/100)
Engenharia de Custos: Novo Conceito de BDI8
2
O Projeto do Empreendimento
É de fundamental importância a elaboração prévia do projeto do empreendimento para possibilitar 
o cálculo adequado do preço de venda do serviço. 
Sem projeto, sem estimativa de custos!
1. Segundo a Lei N. 8.666/93 das Licitações, temos: 
SEÇÃO III
DAS OBRAS E SERVIÇOS
Art. 7º As licitações para a execução de obras e para a prestação de serviços obedecerão ao dispos-
to neste artigo e, em particular, à seguinte sequência:
I - projeto básico;
II - projeto executivo;
III - execução das obras e serviços.
§ 1º A execução de cada etapa será obrigatoriamente precedida da conclusão e aprovação, pela au-
toridade competente, dos trabalhos relativos às etapas anteriores, à exceção do projeto executivo, o 
qual poderá ser desenvolvido concomitantemente com a execução das obras e serviços, desde que 
também autorizado pela Administração.
§ 2º As obras e os serviços somente poderão ser licitados quando:
I - houver projeto básico aprovado pela autoridade competente e disponível para exame dos inter-
essados em participar do processo licitatório;
II - existir orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição de todos os seus custos 
unitários;
SEÇÃO II
DAS DEFINIÇÕES
Art. 6º Para os fins desta Lei, considera-se:
IX - Projeto Básico - conjunto de elementos necessários e suficientes, com nível de precisão ad-
equado para caracterizar a obra ou serviço, ou complexo de obras ou serviços objeto da licitação, 
elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos preliminares, que assegurem a viabili-
dade técnica e o adequado tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite 
a avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de execução, devendo conter os 
seguintes elementos:
Paulo Roberto Vilela Dias 9
a) desenvolvimento da solução escolhida de forma a fornecer visão global da obra e identificar 
todos os seus elementos constitutivos com clareza;
b) soluções técnicas globais e localizadas, suficientemente detalhadas, de forma a minimizar a 
necessidade de reformulação ou de variantes durante as fases de elaboração do projeto executi-
vo e de realização das obras e montagem;
c) identificação dos tipos de serviços a executar e de materiais e equipamentos a incorporar à 
obra, bem como suas especificações que assegurem os melhores resultados para o empreendi-
mento, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução;
d) informações que possibilitem o estudo e a dedução de métodos construtivos, instalações 
provisórias e condições organizacionais para a obra, sem frustrar o caráter competitivo para a 
sua execução;
e) subsídios para montagem do plano de licitação e gestão da obra, compreendendo a sua pro-
gramação, a estratégia de suprimentos, as normas de fiscalização e outros dados necessários 
em cada caso;
f) orçamento detalhado do custo global da obra, fundamentado em quantitativos de serviços e 
fornecimentos propriamente avaliados.
X - Projeto Executivo - o conjunto dos elementos necessários e suficientes à execução completa da 
obra, de acordo com as normas pertinentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT;”
O projeto tem por objetivo possibilitar a elaboração adequada da estimativa 
 de custos do empreendimento.
2. Nossa Avaliação quanto ao Projeto do Empreendimento
Entendemos ser impossível aos prestadores de serviços a elaboração de uma proposta de preços 
responsável, caso não exista o projeto de todas as partes da construção.
Assim, no caso da inexistência total ou parcial de projeto da construção, caberia aos licitantes so-
licitar a impugnação do edital de licitações ou convite (em obras particulares), de acordo com a lei. 
Os construtores éticos certamente não participarão de licitações onde o projeto não permita a elab-
oração responsável do orçamento da obra.
“Portanto, parte-se da única premissa possível para a
realização deste estudo, ou seja, a existência de um bom
projeto completo da construção a ser implantada”.
Para as obras de restauração e reformas, são aceitos apenas os projetos exequíveis, porém, a mo-
dalidade de contratação, obrigatoriamente, deverá ser a de Empreitada por Preços Unitários.
Engenharia de Custos: Novo Conceito de BDI10
3. Orientação Técnica sobre Projeto Básico
É importante que o projeto básico permita que as empresas prestadoras de serviços de engenharia 
tenham a oportunidade de elaborar uma estimativa de custos adequada, assim, aconselha-se que 
o projeto básico seja elaborado a partir de uma das orientações técnicas apresentadas a seguir. 
• Orientação Técnica, OT – IBR 001/2006 – Projeto Básico, emitida pelo IBRAOP – Instituto Bra-
sileiro de Auditores de Obras Públicas disponível no site www.ibraop.com.br ;
• Estudo elaborado pelo IBEC-PB disponível nos sites www.ibec.org.br e www.ibecpb.org.br
Conheça a Orientação Técnica para Projetos Básicos elaborada pelo IBEC.
4. Memorial Descritivo da Construção
É imperioso que o edital contenha o projeto, inclusive o memorial descritivo da construção, isto é, 
que apresente as especificações dos serviços com o máximo rigor possível.
Independente do título utilizado, que pode ser denominado de memorial descritivo, caderno de 
encargos ou especificações dos serviços, a apresentação adequada destes, com o máximo de detal-
hamento possível, dará condições de se gerir melhor o contrato.
Deve-se incluir no Edital de Licitações, caderno de especificações 
 com bom nível técnico e de detalhamento. 
5. Estimativa de Custos de Empreendimentos de Engenharia
O termo “Estimativa de Custos” de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.