A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
204 pág.
ciencias_humanas_em_br

Pré-visualização | Página 9 de 50

desenvolvido.
d) Uma pessoa entrando numa loja para comprar
alguma coisa.
A alternativa certa é a letra “C”. O muro da Figura 3
pode representar a fronteira de um país
desenvolvido, onde os migrantes de países
subdesenvolvidos nem sempre são bem recebidos.
Pois é, muitos brasileiros já passaram por isso. Figura 3
Fonte: O Estado de S. Paulo, 24 abr. 2002.
CONFLITO E TERRITÓRIO
Os territórios sempre são disputados,
independentemente do seu tamanho. Existem
diferentes disputas de territórios. Por exemplo, há luta
por territórios entre países, entre povos diferentes,
entre fazendeiros e trabalhadores rurais etc.
Nos pontos comerciais dos centros urbanos, as
calçadas se transformam em territórios disputados
entre comerciantes de lojas, camelôs e ambulantes.
Mas por que os grupos sociais sempre lutaram
na defesa dos seus territórios? Ora, isso é simples,
porque o território representa a base para
a sobrevivência e o desenvolvimento de qualquer
sociedade.
Leia o texto que segue.
A água, como qualquer outro recurso,
é motivo para relações de poder ou de
conflitos. O controle e/ou
a posse da água são sobretudo de
natureza política, pois interessam a
uma coletividade.
RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do poder. Tradução de Maria Cecília
França. São Paulo: Ática, 1993. p. 213.
38
Ciências Humanas e suas Tecnologias Ensino Médio
4
Desenvolvendo competências
De acordo com o texto, o que torna a água motivo
de conflito é o fato de:
a) a água ser encontrada em todas as regiões.
b) a água poder ser disputada e controlada.
c) a água ser um recurso renovável.
d) a água representar mais da metade da
cobertura do planeta.
A água se torna motivo de luta porque ela pode
ser controlada, represada, por exemplo. Logo, a
Examine a Figura 4, abaixo. Na figura, aparecem dois tipos de gráficos. Na parte superior,
aparece um mapa, representando a região do Oriente Médio onde estão situados Israel e a
Palestina (Cisjordânia). Observe que no centro desse mapa, há uma linha (O ---- L). Essa
linha será representada no gráfico logo abaixo do mapa, na forma de um corte. É como se
você estivesse vendo a região de perfil. Esse tipo de representação chama-se perfil
topográfico.
Figura 4
Fonte: Adaptado da revista Herodote, [S. l.], n. 29, e 30 [199-?].
alternativa correta corresponde à letra “b”. As
outras alternativas falam do fato de a água ser
um recurso renovável e abundante, e isso não
é motivo de conflito.
A próxima questão discute a luta pelo território
da região da Cisjordânia entre israelenses e
palestinos. A região da Cisjordânia é habitada
principalmente por palestinos, mas a presença
de Israel – presença especialmente militar – é
muito forte.
39
Capítulo II - A construção do território
TERRITÓRIO E MOVIMENTOS
SOCIAIS
No Brasil, boa parte dos movimentos sociais está
relacionada à luta pelo território, seja no campo
ou na cidade. Nas cidades a luta é pela moradia.
Esse problema tem se agravado nos últimos
tempos pelo inchaço das cidades. No campo, a
luta pela terra envolve, de um lado, as
comunidades indígenas e os trabalhadores rurais
sem-terra e, do outro lado, os grandes
proprietários rurais, os garimpeiros e os
madeireiros.
Com base na análise dessa figura, e considerando o conflito entre árabes e israelenses,
pode-se afirmar que, para Israel, é importante manter ocupada a área disputada
(Cisjordânia), por tratar-se de uma região:
a) de planície, propícia à atividade agropecuária.
b) estratégica, dado que abrange as duas margens do rio Jordão.
c) ocupada, majoritariamente, por colônias israelenses.
d) que garante hegemonia israelense sobre o mar Mediterrâneo.
e) estrategicamente situada, devido ao relevo e aos recursos hídricos.
5
Desenvolvendo competências
O movimento dos trabalhadores rurais sem-terra
Tente resolver a seguinte questão:
Em uma disputa por terras, em Mato Grosso do Sul, dois depoimentos são colhidos: o do
proprietário de uma fazenda e o de um integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais
sem Terras:
Depoimento 1
“A minha propriedade foi conseguida com muito sacrifício pelos meus antepassados. Não
admito invasão. Essa gente não sabe de nada. Estão sendo manipulados pelos comunistas.
Minha resposta será à bala. Esse povo tem que saber que a Constituição do Brasil garante
a propriedade privada. Além disso, se esse governo quiser as minhas terras para a
Reforma Agrária, terá que pagar, em dinheiro, o valor que eu quero.”
Depoimento 2
“Sempre lutei muito. Minha família veio pra cidade porque fui despedido quando as
máquinas chegaram lá na Usina. Seu moço, acontece que eu sou um homem da terra. Olho
pro céu, sei quando é tempo de plantar e de colher. Na cidade não fico mais. Eu quero um
pedaço de terra, custe o que custar. Hoje eu sei que não estou sozinho. Aprendi que a terra
tem um valor social. Ela é feita para produzir alimento. O que o homem come vem da
terra. O que é duro é ver que aqueles que possuem muita terra e não dependem dela para
sobreviver, pouco se preocupam em produzir nela.” – integrante do Movimento dos
Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), de Corumbá – MS.
40
Ciências Humanas e suas Tecnologias Ensino Médio
A partir da leitura do depoimento 1, os argumentos utilizados para defender a posição do
proprietário de terras são:
I. A Constituição do país garante o direito à propriedade privada; portanto, invadir
terras é crime.
II. O MST é um movimento político controlado por partidos políticos.
III. As terras são o fruto do árduo trabalho das famílias que as possuem.
IV. Este é um problema político e depende unicamente da decisão da justiça.
Está correta APENAS a alternativa:
a) I.
b) I e IV.
c) II e IV.
d) I , II e III.
e) I, III e IV.
A partir da leitura do depoimento 2, quais os argumentos utilizados para defender a
posição de um trabalhador rural sem terra?
I. A distribuição mais justa da terra no país está sendo resolvida, apesar de que muitos
ainda não têm acesso a ela.
II. A terra é para quem trabalha nela e não para quem a acumula como bem material.
III. É necessário que se suprima o valor social da terra.
IV. A mecanização do campo acarreta a dispensa de mão-de-obra rural.
Estão corretas as proposições:
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) II e IV, apenas.
d) I, II e III, apenas.
e) III, I, IV, apenas.
CONFLITOS DE TERRA E TERRITÓRIOS
INDÍGENAS
Quando analisamos os conflitos de terras
envolvendo povos indígenas, não podemos
esquecer que eles têm um conceito de território
diferente da sociedade capitalista.
Até agora discutimos os conceitos de territórios
e podemos ver que, numa sociedade capitalista
como a nossa, os territórios têm o seu valor
econômico. A sociedade valoriza a terra como
mercadoria. Para os capitalistas, os territórios
significam a possibilidade de extração de riqueza.
Uma característica marcante da sociedade
capitalista é que ela separa o que é produzido
de quem consome.
E qual a visão dos povos indígenas sobre o
território?
Para os povos indígenas, mais importante que o
valor econômico das terras é o seu valor cultural,
ou seja, a ligação de cada povo com a sua terra.
Leia com atenção os textos a seguir. Trata-se de
trechos de um documento divulgado por ocasião
da Conferência Mundial dos Povos Indígenas
Sobre Território, Meio Ambiente e
Desenvolvimento, realizada no Rio de Janeiro,
em 1992.
41
Capítulo II - A construção do território
inalienável
que não é alienável, ou seja,
que não pode ser transferido.
CARTA DA TERRA DOS POVOS INDÍGENAS
Os Povos Indígenas foram colocados pelo Criador na Mãe Terra. Nós pertencemos à
Terra, não podemos ser separados de nossas terras e de nossos territórios.
Nossa propriedade territorial deve ser inalienável.
As fronteiras tradicionais de nossos territórios, incluindo as águas, devem ser
respeitadas.
As nossas florestas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.