Resumo HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Aulas 1 a 10
9 pág.

Resumo HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Aulas 1 a 10


DisciplinaHistória da Educação I15.868 materiais375.092 seguidores
Pré-visualização3 páginas
AULA 01
EDUCAÇÃO DIFUSA
Educação Difusa: era possível transmitir, de forma oral, o conhecimento e os costumes de geração para geração
Educação nas comunidades primitivas
Comunidades primitivas: educação assistemática, difusa e de tradição oral. 
Não existia escola como precursora do conhecimento, e o ensino variava de acordo com a cultura de cada tribo.
Comunidades tribais: os ensinamentos eram transmitidos pelo testemunho, pela convivência, pelos modelos e exemplos, já que partiam da naturalidade do cotidiano, promovendo o aprendizado de hábitos, atitudes e habilidades necessários à sobrevivência e à convivência. 
Evolução da História da Educação
No Brasil, esta disciplina surgiu como parte da Filosofia da Educação e se manteve dessa maneira até por volta dos anos 1960. 
Os cursos de formação de professores não possuíam tal cadeira, cujos temas eram trabalhados sob a perspectiva filosófica.
A História da Educação contribui para o aprofundamento de outros campos do saber.
A História da Educação amplia a memória e a experiência, bem como as possibilidades pedagógicas.
Aula 02
EDUCAÇÃO NA ANTIGUIDADE \u2013 GREGOS E ROMANOS
Sócrates (469 a.C.-399 a.C.)
Entendia a Filosofia como a procura da verdade, trilhando o caminho da sabedoria.
Criou a Maiêutica: método de ensino investigativo que se baseava nas interrogações para dar à luz o conhecimento.
Platão (428 a.C.-347 a.C.) 
Valorizava a Academia como local da Filosofia. 
Busca da verdade como condição do conhecimento filosófico.
Seu método separa os dois mundos: sensível e inteligível.
A educação precisa levar à reminiscência, que conduz o homem e a cidade à verdade. Nesse sentido, são canais de harmonização humana:
O aprendizado da música e da matemática;
O equilíbrio do corpo por meio da ginástica;
O exercício da dialética para a contemplação da verdade.
\u201cA educação liberta, ilumina os que estão no mundo das sombras e leva à verdade. \u201d
Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.)
Para Aristóteles, somente na pólis, o homem se realizava plenamente em busca do bem supremo.
A educação era, portanto, uma condição da pólis e não podia ser negligenciada.
Para Aristóteles, a política era a ciência mais importante, e apenas por meio da educação, o homem desenvolvia a prática do bem-estar comum
Criou o método peripatético: discutia as questões filosóficas mais profundas, relacionadas à metafísica, à física e à lógica.
Educação grega
O ensino das letras e dos cálculos demorou um pouco mais para se difundir, pois, na formação escolar, a preocupação recaía, prioritariamente, sobre a prática esportiva. 
Os gregos tratavam a educação como um processo de preparação para a vida social. O homem era visto como um ser racional: o centro do universo.
A educação ateniense propiciou o surgimento e o desenvolvimento da filosofia, que pode ser dividida em três fases: 
- Período pré-socrático
- Período socrático
- Período helenístico.
Paideia: é a essência de toda a verdadeira educação, é a que dá ao homem o desejo e a ânsia de se tornar um cidadão perfeito e o ensina a mandar e a obedecer.
Educação espartana
A estrutura da educação espartana (agogê) foi organizada por Licurgo (800 a.C.-730 a.C.)
O ensino era obrigatório e estava voltado para a formação militar
Até os 7 anos, os meninos ficavam em casa e eram treinados de forma rigorosa
Após esse período, o Estado assumia a educação: os jovens eram afastados da família, recebiam ensinamentos militares e treinavam Ginástica; Saltos; Natação; Corrida; Lançamentos de dardo e de disco.
Educação romana
Resistência à influência helenística.
Em Lácio era respeitada uma tradição ancestral, com a finalidade de educação prática e social.
Proporcionar à criança o saber necessário para ser soldado ou proprietário rural
Nesse período, a educação da criança era de responsabilidade da família
Paterfamilias: homem que tem autoridade sobre a família e sobre um domínio) 
A educação romana sofre uma influência da cultura grega devido ao papel dos escravos gregos na educação das crianças romanas.
O Império Romano proporcionou uma educação: humanística, cosmopolita e universal
AULA 03
EDUCAÇÃO NA IDADE MÉDIA
São Tomás de Aquino representou a Filosofia cristã na Idade Média, cujo método de pensamento crítico ficou conhecido como Escolástica
A Filosofia cristã dos primeiros séculos de nossa era, formulada pelos padres e baseada em conceitos da Filosofia grega, que elaborou as doutrinas religiosas do cristianismo no combate ao paganismo e às heresias, ficou conhecida como Patrística
Herdadas da Antiguidade Clássica e organizadas na Idade Média, as sete artes liberais eram divididas em (desempenhadas por homens livres)
Trivium: Lógica, Gramática e Retórica
Quadrivium: Aritmética, Música, Geometria e Astronomia
Na Idade Média latina, a partir da segunda metade do século XIII e no século XIV, a Filosofia apresentava-se de duas formas distintas:
Filosofia articulada à Teologia: era oficialmente praticada nas Faculdades de Artes das universidades
Filosofia voltada à tradição antiga: retomava a tradição antiga do exercício de filosofar como fonte do mais alto prazer e da felicidade
Renascimento
Iniciado no século XIV
Foi um movimento de renovação intelectual, cultural e artístico
Redescobriu padrões clássicos greco-romanos, sobretudo na literatura e na filosofia
O ser humano tornava-se foco principal em contraste com o divino do mundo feudal
Características do movimento renascentista
Antropocentrismo: o homem como o centro do universo
Hedonismo: A busca pela felicidade humana, na medida em que o ser humano readquire importância frente às questões religiosas
Individualismo: A expressão de preponderância do indivíduo sobre o coletivo prevalece
Racionalismo: O conhecimento deve ser explicado à luz da razão, que se sobrepõe às explicações divinas e religiosas
Classicismo: revalorização da cultura greco-romana, buscando romper com os padrões medievais. 
AULA 04
EDUCAÇÃO NA IDADE MODERNA I
Século XVI: Reforma de Lutero e educação
A Reforma Protestante foi liderada por Martinho Lutero (1483-1546).
Ações de Lutero:
Traduziu a Bíblia para o alemão, facilitando o acesso dos fiéis aos textos sagrados 
Exigiu das autoridades políticas a criação de Escolas Cristãs (1524), diferenciadas dos modelos escolásticos
Lutero também se preocupou com o papel da família na educação dos filhos
Contrarreforma, Companhia de Jesus e educação
A Igreja Católica respondeu aos ataques de Lutero e implantou a Contrarreforma. Para isso, o Papa João III, nomeado em 1534, convocou o Concílio de Trento.
A Companhia de Jesus
Fundada em 1534 por um pequeno grupo, sob a liderança de Inácio de Loyola (1491-1556)
Em 1540, foi definitivamente reconhecida pela Igreja.
Era composta por membros que tinham caráter regular e secular, pois faziam parte de uma ordem religiosa com estatutos e autoridades próprias. 
Sua organização se assemelhava a de um exército pela disciplina e pelo empenho, voltado para a expansão da influência da Igreja no mundo
Os sacerdotes assumiram, também, o papel de educadores, criando estabelecimentos de ensino, em que as disciplinas fundamentais eram combinadas com a instrução religiosa e o desenvolvimento da fé
Método Ratio Studiorum
Método de ensino instituído pelo jesuíta Inácio de Loyola
Se baseava nas sete artes (Trivium e Quadrivium)
O método estabelecia o currículo, as normas e as orientações nas atividades educacionais das escolas em qualquer lugar que estivessem.
Seus fundamentos básicos estavam direcionados para o ensino religioso e a catequese
Século XVII: Revolução Científica
A Igreja Católica teve imensa contribuição para o avanço da ciência. Muitos cientistas eram Padres ou estudiosos deixaram heranças fecundas e irrefutáveis nas mais diversas áreas do conhecimento e em vários ramos científicos, tais como:
Astronomia
Medicina
Geologia
Antropologia
Psicologia
Pedagogia
Geografia
Física
Química
Taynara
Taynara fez um comentário
Muito bom o conteudo! Me Ajudou muito!!!
0 aprovações
Carregar mais