A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
111 pág.
ADM 1 SEMESTRE UNOPAR

Pré-visualização | Página 3 de 25

confirmam os conceitos apresentados por Chiavenato.
Ponto que deve ser considerado são as competências de um administrador que o teórico Mintzberg (1973) na sua teoria abordou como: conhecimento, atitude e perspectiva.
Conhecimento: seriam as informações, definições, ideias, experiências e aprendizados adquiridos pelo gestor de acordo com sua especialidade. Como o mundo é dinâmico e competitivo, nesta competência o administrador deve estar em constante aprendizado.
Perspectiva: ter conhecimento não é o suficiente, para isso tem que colocar a teoria na prática, ou seja, saber aplicar o conhecimento para alcançar o resultado.
Atitude: após ter conhecimento e colocar em prática, temos que pensar no comportamento pessoal. Isso é necessário, pois cada um tem uma forma de agir de acordo com a situação, ou seja, um impulso e a determinação, bem como a convicção de fazer e acontecer.
 
Além das habilidades e competências desenvolvidas há os conhecimentos primordiais que cada administrador deve conhecer. De acordo com Drucker (2002) os principais temas são:
Conhecer as Áreas Funcionais (Conhecer a Empresa).
Conhecer o Processo Administrativo.
Conhecer a Anatomia e a Fisiologia da Empresa (Estrutura Organizacional e a Função).
Conhecer os Princípios Administrativos.
Conhecer as áreas funcionais como finanças, marketing, produção e recursos humanos proporcionará ao gestor a identificação pessoal com as áreas e principalmente, compreender as relações internas e dependentes entre elas.
Estudamos até agora as habilidades, competências e conhecimentos que são importantes para o sucesso profissional do gestor e de acordo com as teorias mais conhecidas. Ao analisar todo esse conteúdo, podemos nos assustar e pensar na dificuldade de se desenvolver, porém no dia a dia, já fazemos isso inconscientemente.
 
	Link
Sabemos que cada pesquisador ou teórico, poderá mencionar que essas habilidades não são o suficiente. Assim, façam a leitura do artigo Habilidades e Competências Gerenciais, escrita por Júlio Cesar, disponível no link:  <http://www.administradores.com.br/artigos/administracao-e-negocios/habilidades-e-competencias-gerenciais/54250/>.
5. FUNÇÕES DO ADMINISTRADOR 
Quais são as funções do administrador e o que cada função abrange?
São as atividades de planejar, organização, controlar e dirigir, e cada função contempla conforme Maximiano (2004, p. 27):
Planejamento: “[...] é o processo de definir objetivos, atividades e recursos”. Essa função do gestor é estratégica e deve ser elaborada com cuidado, pois irá orientar as atividades e recursos a serem administrados para alcançar o objetivo.
Organização: “[...] é o processo de definir o trabalho a ser realizado e as responsabilidades pela organização; é também o processo de distribuir os recursos disponíveis segundo algum critério”.
Direção: “[...] é o processo de realizar atividades e utilizar recursos para atingir os objetivos. O processo de execução envolve outros processos, especialmente o processo de direção, para acionar os recursos que realizam as atividades e os objetivos”.
Controle: “[...] é o processo de assegurar a realização dos objetivos e de identificar a necessidade de modificá-los”. Nesse processo será avaliado o que foi planejado, ou seja, se o resultado foi alcançado ou não.
	Questão para reflexão
Os quatro pilares do gestor são: planejamento, organização, controle e avaliação. Assim, discutam se os processos acontecem no cotidiano das empresas. Como eles acontecem? E se possível, compartilhem no fórum exemplos para podermos aprender uns com os outros.
Conhecemos as principais funções do gestor e percebemos que cada função envolve um processo diferenciado, ou seja, um modo, uma forma ou uma maneira diferente de realização. Outro detalhe é que cada ação deve ser desencadeada, de preferência, na ordem descrita com a finalidade de sucesso.
Essencialmente, quando um grupo de pessoas se reúne com o objetivo de atingir um dado resultado previsto, deve tentar fazê-lo de modo em que cada indivíduo conheça ou saiba exatamente qual é a sua atividade, sua tarefa ou o seu papel. Nesse aspecto, podemos dizer sumariamente que a ideia de processos envolve, então, quatro outros pontos básicos descritos por Casa Grande Júnior (2010):
Objetivo: alvo, fim, propósito; para dizer de maneira ainda mais específica, podemos pensar em uma meta, um ponto, uma linha, um lugar ou um estado que o(s) indivíduo(s) ou grupo(s) deseja(m) ou espera(m) bater, alcançar, conquistar ou estar. Podemos pensar nesse momento como a fase em que o(s) indivíduo(s) ou grupo(s) esteja(m), ao mesmo tempo, pensando quais objetivos pretendem alcançar, mas também, em como farão para alcançá-los.
Tarefas: obra ou porção de um trabalho que se deve realizar ou acabar em um determinado tempo ou prazo. As tarefas são conjuntos de encargos ou atividades pertinentes ou relativas a um dado projeto. Estas são realizadas por indivíduo(s) ou grupo(s) visando atingir um determinado fim ou objetivo. As tarefas podem ser separadas ou divididas entre os membros do grupo ou os indivíduos envolvidos no processo de realização de um determinado projeto ou atividade. Podemos pensar nesse momento como a fase de operação/ operacionalização das atividades/ tarefas.
Resultado: é a consequência, o efeito ou fim. Quando o indivíduo(s) ou grupo(s) envolvido(s) na realização de uma determinada tarefa decide(m), enfim, que todas as atividades propostas inicialmente chegaram ao fim previamente pensado e planejado; e que estão prontos ou aptos para extrair os resultados. Um dado importante sobre o resultado é que ele é, via de regra, variável, ou seja, pode ser satisfatório, parcialmente satisfatório ou insatisfatório. Esse momento é visto como a penúltima fase do projeto, o momento de conhecer o que se realizou. É principalmente aqui que os indivíduos podem ter uma ideia global sobre sua(s) atuação(ões) e envolvimento(s) na realização das tarefas.
Avaliação: de posse dos resultados, o(s) indivíduo(s) ou grupo(s) normalmente se reúne(m), e é importante que o faça(m), para avaliar, o u melhor, examinar, apreciar, prezar e tomar conta do(s) valor(es) atingido(s), da(s) meta(s) batida(s) e, enfim, dos objetivo(s) alcançado(s). Esse momento é essencial, pois pode nortear o(s) indivíduo(s) ou grupo(s) para planejar e realizar novas ações ou mesmo suscitar o desejo por novo(s) objetivo(s).
Neste contexto as funções e processos estão interligados e essenciais para conquistar o objetivo proposto. Mas é imprescindível ter objetivo e isso já faz parte da nossa natureza, um exemplo que devem se lembrar de é dos seus pais, amigos ou familiares questionarem sobre qual o seu objetivo, sua meta para o próximo ano, ou a profissão que gostaria de ter.
Constantemente mudamos os nossos objetivos e traçamos metas/tarefas a serem executadas e alcançamos ou não um resultado e no final avaliamos se poderíamos ter feito diferente e as dificuldades encontradas. Na gestão é igual, e teremos como na vida pessoal variáveis do ambiente interno e externo que interferem para que o processo delineado tenha conquistado o objetivo.
	Saiba Mais
Para abranger e aprofundar nosso estudo sobre o tema até agora abordado, peço que leiam o artigo “Funções de um Administrador”, disponibilizado através do link: <http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/funcoes-de-um-administrador/25691/>, escrito por João Placoná. Na leitura poderá perceber que tudo envolve as quatro funções descritas, e que implementar isso no dia a dia pode ser mais fácil na prática que na teoria.
Assista agora ao vídeo com o resumo que vimos até o momento.
	<http://www.youtube.com/watch?v=ux5KPcLVHlA
Por meio do vídeo podemos relembrar os principais conceitos do administrador, e pela representação das formigas observarem a importância das funções do administrador.
6. CULTURA ORGANIZACIONAL
 
Segundo Chiavenato (2010, p. 12):
A cultura organizacional envolve um complexo padrão de suposições e valores básicos – inventados, descobertos,