Direito_Constitucional Alexandre de Morais
666 pág.

Direito_Constitucional Alexandre de Morais


DisciplinaDireito Constitucional I47.612 materiais1.327.907 seguidores
Pré-visualização50 páginas
\u25a0
\u25a0
\u25a0
\u25a0
\u25a0
\u25a0
\u25a0
A EDITORA ATLAS se responsabiliza pelos vícios do produto no que concerne à sua edição (impressão e apresentação a
fim de possibilitar ao consumidor bem manuseá-lo e lê-lo). Nem a editora nem o autor assumem qualquer
responsabilidade por eventuais danos ou perdas a pessoa ou bens, decorrentes do uso da presente obra.
Todos os direitos reservados. Nos termos da Lei que resguarda os direitos autorais, é proibida a reprodução total ou
parcial de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, inclusive através de processos xerográficos,
fotocópia e gravação, sem permissão por escrito do autor e do editor.
Impresso no Brasil \u2013 Printed in Brazil
Direitos exclusivos para o Brasil na língua portuguesa
Copyright © 2017 by
EDITORA ATLAS LTDA.
Uma editora integrante do GEN | Grupo Editorial Nacional
Rua Conselheiro Nébias, 1384 \u2013 Campos Elíseos \u2013 01203-904 \u2013 São Paulo \u2013 SP
Tel.: (11) 5080-0770 / (21) 3543-0770
faleconosco@grupogen.com.br / www.grupogen.com.br
O titular cuja obra seja fraudulentamente reproduzida, divulgada ou de qualquer forma utilizada poderá requerer a
apreensão dos exemplares reproduzidos ou a suspensão da divulgação, sem prejuízo da indenização cabível (art. 102
da Lei n. 9.610, de 19.02.1998).
Quem vender, expuser à venda, ocultar, adquirir, distribuir, tiver em depósito ou utilizar obra ou fonograma reproduzidos
com fraude, com a finalidade de vender, obter ganho, vantagem, proveito, lucro direto ou indireto, para si ou para outrem,
será solidariamente responsável com o contrafator, nos termos dos artigos precedentes, respondendo como
contrafatores o importador e o distribuidor em caso de reprodução no exterior (art. 104 da Lei n. 9.610/98).
 
Capa: Danilo Oliveira
 
Produção Digital: Equiretech
 
Fechamento desta edição: 24.01.2017
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil).
Moraes, Alexandre de
Direito constitucional / Alexandre de Moraes. \u2013 33. ed. rev. e atual. até a EC nº 95, de 15 de dezembro de 2016 \u2013 São Paulo: Atlas,
2017.
ISBN: 978-85-97-01129-6
1. Brasil \u2013 Direito constitucional 2. Direito constitucional I. Título.
96-5065 CDU-342
O Senhor é meu pastor, e nada me faltará\u2026
Guia-me pelas veredas da Justiça por amor ao Seu nome.
(SALMO de Davi 22-23)
Para Viviane e
nossos gêmeos, Giuliana e Alexandre,
agradecendo a paciência,
a felicidade,
o carinho e
o amor.
E, a partir da 13ª edição, novamente agradeço
a Deus por dar mais luz à minha vida com
a vinda de Gabriela.
Em 2016, o papel da Jurisdição Constitucional foi imprescindível para o equilíbrio republicano, confirmando as tradicionais
lições, que afirmam que o fortalecimento democrático exige a atuação das Cortes Supremas, no fiel exercício de intérpretes
máximos do texto constitucional, como verdadeiros árbitros das sociedades, agindo como órgãos moderadores em defesa da
plena aplicabilidade das normas constitucionais, garantindo a harmonia e independência dos poderes e a integral efetividade na
proteção dos Direitos Humanos Fundamentais.
Interpretações inéditas para temas novos e alterações interpretativas para temas anteriormente analisados foram os grandes
momentos da jurisdição constitucional no ano passado.
Em caso singular entre as Cortes Supremas, em menos de 25 anos, novamente, o Supremo Tribunal Federal foi acionado
para disciplinar as normas procedimentais do impeachment; além de atuar em importantes decisões sobre os limites
constitucionais das imunidades parlamentares, tanto materiais, quanto processuais \u2013 especialmente em relação à prisão em
flagrante.
A defesa intransigente da eficácia máxima dos direitos fundamentais foi outro ponto constante de discussão, como, por
exemplo, em decisões sobre a liberdade religiosa, o sigilo bancário e o fiscal.
Destaque-se, também, que, com a promulgação de novas cinco emendas constitucionais em 2016, nosso texto
constitucional superou, em pouco mais de 28 anos, a marca de uma centena de alterações, sendo 95 emendas constitucionais e 6
emendas de revisão.
Agradeço as valiosas sugestões dos amigos e leitores, e o constante debate de ideias no âmbito da jurisdição constitucional.
Janeiro de 2017.
O Autor
A realização do presente trabalho deve-se à ideia de condensar, em um único texto, a análise doutrinária e jurisprudencial
da Constituição Federal, expondo de forma simples a teoria geral do direito constitucional e as normas constitucionais básicas
que regem nosso ordenamento jurídico e consagram a existência de um Estado Democrático de Direito.
A ideia é permitir que o estudo didático dos vários títulos e capítulos da Constituição Federal permita aos operadores do
direito, aos estudantes e aos candidatos a concursos de ingresso em carreiras jurídicas uma segura fonte de consulta para a
solução das problemáticas constitucionais e seus reflexos nos diversos ramos do direito. Assim, sempre que necessário,
pretendeu-se abordar a aplicabilidade da Carta Magna no direito penal, civil, processual, comercial e assim por diante,
colacionando farta jurisprudência.
Além do estudo dos artigos do texto maior, abrange-se a teoria geral do constitucionalismo, o poder constituinte e o
controle de constitucionalidade.
Trata-se de um estudo profundo das normas constitucionais atuais, comparando-as com as Constituições brasileiras
anteriores e de diversos países. Dá-se ênfase especial aos mecanismos de controle do poder estatal, com amplo estudo dos
direitos e garantias fundamentais do homem e sobre a divisão das funções estatais entre os três Poderes de Estado e o Ministério
Público como garantidora dessas.
Temas polêmicos são abordados, procurando sempre posicionar o leitor sobre as diversas interpretações, trazendo à colação
ilustradas opiniões de doutrinadores nacionais e estrangeiros e julgados dos Tribunais Superiores, Tribunais Regionais Federais
e Tribunais Estaduais.
A obra é enriquecida com a citação da posição do Supremo Tribunal Federal em todas as questões importantes, indicando-
se os repertórios ou mesmo o Diário da Justiça onde a íntegra da ementa ou do acórdão poderá ser encontrada.
Procurou-se, portanto, dar-se visão mais prática e ampla da Constituição, simplificando seu estudo e pretendendo auxiliar
em sua efetiva aplicação e consequente consagração do respeito às liberdades públicas.
Dessa forma, o leitor poderá ter visão geral do Direito Constitucional e de sua aplicação diária a todos os demais ramos
jurídicos, interpretado pela doutrina nacional e estrangeira, pelos Tribunais e, principalmente, pelo Guardião da Constituição
Federal: o STF.
São Paulo, janeiro de 1997.
O Autor
1
1
1.1
2
3
3.1
3.2
3.3
3.4
3.5
3.6
3.7
3.8
3.9
4
4.1
4.2
4.3
5
5.1
6
7
8
9
9.1
2
1
2
3
4
4.1
4.2
4.3
5
5.1
5.2
 DIREITO CONSTITUCIONAL
Constitucionalismo
Estado Constitucional: Estado de Direito e Estado Democrático
Conceito de Constituição
Classificação das constituições
Quadro geral
Quanto ao conteúdo: constituições materiais, ou substanciais, e formais
Quanto à forma: constituições escritas e não escritas
Quanto ao modo de elaboração: constituições dogmáticas e históricas
Quanto à origem: constituições promulgadas (democráticas, populares) e outorgadas
Quanto à estabilidade: constituições imutáveis, rígidas, flexíveis e semirrígidas
Quanto à sua extensão e finalidade: constituições analíticas (dirigentes) e sintéticas (negativas, garantias)
Constituição Federal de 1988
Outras classificações
Aplicabilidade das normas constitucionais
Normas constitucionais de eficácia plena, contida e limitada
Normas constitucionais com eficácia absoluta, plena, relativa restringível e relativa complementável ou dependentes
de complementação
Normas programáticas
Interpretação das normas constitucionais
Interpretação conforme a Constituição \u2013 Declaração