Artigo - Engenharia e a Gestão
5 pág.

Artigo - Engenharia e a Gestão


DisciplinaAdministração para Engenheiros183 materiais1.342 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ENGENHARIA E A GESTÃO 
 
 
Marcos Rairan Matos Silva 
Prof. Me. Augusto Ferreira 
Universidade Federal do Pará \u2013 UFPA 
Administração Para Engenheiros 
 
RESUMO 
A atuação do engenheiro gestor é objeto de análises de variáveis que vão da vida acadêmica, cuja 
prioridade é a formação técnica, à prática profissional, que é marcada pelas relações sociais e 
exige articulação na área gerencial, voltada para o controle e o planejamento de demandas 
focadas em resultado. Partindo desse pressuposto, este trabalho tem como objetivo discutir os 
desafios profissionais do engenheiro que assume a carreira de gestor, bem como apresentar as 
características desejáveis e as ferramentas de gestão indispensáveis, tendo como foco esclarecer de 
maneira simplificada a carreira de um engenheiro gestor. 
 
Palavras-chave: Trabalho; Educação; Engenheiro e gestão. 
 
 
1 INTRODUÇÃO 
 
O ensino da engenharia passou a se orientar pelas linhas da economia, associada as 
necessidades sociais. O surgimento das escolas de engenharia destaca a preocupação com o 
desenvolvimento econômico e cientifico do país, com o intuito de atender às demandas sociais, que 
são, até os dias atuais, preocupação da engenharia. 
 
Conhecimentos técnicos, competências gerenciais, um segundo ou terceiro idioma e 
habilidades de relacionamento com diferentes áreas são fundamentais para o sucesso de um 
engenheiro, além de adaptar-se a estratégica da empresa, atrair e reter pessoas, habilidades essas 
que antigamente não eram trabalhadas. 
 
A formação prática de um engenheiro independentemente da área de especialização o torna 
um profissional com as características ideal para se tornar um gestor bem sucedido, já que os cursos 
de engenharia ensinam a fazer algo prático. Seja a construção de edifícios, produção de 
medicamentos ou máquinas, a orientação dos engenheiros é para a criação de algo que funcione e 
ajude a resolver os problemas da sociedade. 
 
2 A CARREIRA DE UM ENGENHEIRO GESTOR 
 
A carreira de gestão é uma realidade expressa no discurso das organizações que buscam 
profissionais cada vez mais preparados para assumir papéis de liderança, planejar o tempo de 
 
 
 
2 
trabalho de suas equipes, decidir e agir como se fossem os \u201cdonos do negócio\u201d, de acordo com as 
necessidades da empresa. 
 
As atividades do engenheiro, no ambiente industrial, como se vê, englobam tanto a área 
produtiva quanto o setor de manutenção, com diversas tarefas e funções relacionadas à gestão de 
pessoas, como relações sindicais, negociações trabalhistas, contratos terceirizados. 
 
Além disso, o trabalho do engenheiro gestor exige conhecimentos de muitas áreas, como 
comercial, ambiental, de saúde, de segurança do trabalho, de tecnologia da informação, de 
certificação em programas de qualidade. Esses conhecimentos estão ligados a saberes que são 
exigidos com o objetivo de contribuir para o alcance de resultados e metas, em prol do crescimento 
econômico da organização. 
 
2.1 Gestão de Pessoas 
 
Para atuar com eficiência na gestão do empreendimento, verificou-se ao longo dos anos uma 
modificação no perfil do responsável pela obra, que deixa de desempenhar funções essencialmente 
técnicas para atuar também na administração da produção. As empresas passam, assim, a 
especificar necessidades gerenciais sobre o perfil do engenheiro, como desenvolver habilidades para 
melhorar a gestão das pessoas. É valorizada a importância de saber estabelecer um bom 
relacionamento humano, a capacidade de trabalhar em equipe e a existência de características 
pessoais do profissional que sirvam de bom exemplo aos colegas e subordinados, como ética, 
assiduidade, criatividade e sensatez. 
 
 O engenheiro deve considerar sua responsabilidade para resolver problemas típicos 
relacionados com a mão de obra no canteiro de obras, tais como: estimular a motivação, promover a 
capacitação e contribuir para tornar agradável e seguro o ambiente de trabalho. Dessa forma, diante 
da crescente demanda de novas habilidades impetradas pela modernidade, as pessoas que fazem 
parte das organizações deixam de ser encaradas como meros recursos e passam a ser mais 
valorizadas. O conhecimento agregado passa a ser o diferencial para a administração de uma 
empresa e o desenvolvimento do conhecimento interno passa a ser um componente estratégico. 
 
 
3 AS CARACTERÍSTICAS DESEJÁVEIS DE UM GESTOR 
 
Uma pessoa capaz de gerir uma grande companhia precisa ter em mente que a sabedoria é 
 
 
 
3 
a qualidade mais preciosa que ela deve buscar. Os líderes devem ser ambiciosos, saber o que é uma 
oportunidade, aprender com o cotidiano e pensar na carreira fora da caixa. 
 
Além disso, alguém com capacidade de estar num posto de gerência deve saber pensar, ser 
criativo, saber mobilizar, transferir, engajar-se, ter visão estratégica e assumir responsabilidades. 
Com esses atributos, o profissional agrega valor para a organização e mostra ter construído a sua 
competência do saber (conhecimento), saber fazer (habilidade) e saber ser (atitude). Uma empresa 
busca alguém que reconhece e evita riscos, que tem pensamento independente e estabilidade 
emocional, que tem bom relacionamento interpessoal e que, acima de tudo, sabe fazer a gestão de 
pessoas dar lucro. 
 
Panejar, organizar, dirigir e controlar são premissas fundamentais na gestão, é importante 
que pelo menos uma de suas ideias seja a possibilidade de resolver problemas da empresa partindo 
de soluções humanas. As empresas buscam profissionais com desenvolvimento sistemático que gera 
alinhamento entre objetivos e valores da empresa e objetivos e valores do indivíduo. 
 
 
4 FERRAMENTAS DE GESTÃO 
 
Existem várias ferramentas que um engenheiro como gestor pode utilizar para que a empresa 
evolua constantemente. A maioria delas é simples e traduzem para a companhia uma melhoria 
bastante atraente. 
 
4.1 Análise SWOT 
 
Trata-se de uma das ferramentas de análise mais usadas por empresas. Na prática, este 
modelo prevê o monitoramento das variáveis, macro e micro ambientais, e das funções internas da 
empresa. É uma ferramenta muito versátil e vem sendo cada vez mais usada pelos engenheiros, uma 
vez que é realizada, a partir das seguintes perguntas: 
 
\uf0b7 Que aspectos vantajosos minha empresa possui? (Pontos fortes); 
\uf0b7 Que aspectos devem ser melhorados? (Pontos fracos); 
\uf0b7 Constituem oportunidades a serem aproveitadas? (Oportunidade); 
\uf0b7 São ameaças às quais devo proteger-me? (Ameaças). 
 
 
 
4 
Essas áreas são separadas entre análise interna (forças e fraquezas) e análise externa 
(oportunidades e ameaças). Além disso, também existe a visão dos elementos que ajudam (forças e 
oportunidades) e aqueles que atrapalham (ameaças e fraquezas). Assim, a SWOT se torna um 
exercício completo de análise de ambiente que deve ser aplicado em qualquer processo de 
planejamento estratégico. 
 
4.2 Certificações de Competências 
 
Como gerente, é de extrema importância também, certificar as competências das pessoas que 
serão escolhidas para exercer todas as funções necessárias para uma determinada empresa. 
 
O processo de certificação deve começar com um teste teórico e prático do tema direcionado 
para cada posto a ser assumido. Após isso, passemos aos treinamentos e estudos auto orientados. 
Depois do período de observação, fazem-se exames d proficiência e habilidades plena, para 
posteriormente, quando se fizer necessário, emitirem-se novas certificações periódicas, reciclando o 
funcionário. 
 
 
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 
 Graças à oportunidade cedida pelo professor Augusto Ferreira foi possível um maior