Relatório wisc
3 pág.

Relatório wisc


DisciplinaPsiclogia15 materiais53 seguidores
Pré-visualização1 página
RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Nome: 
Data de Nascimento:		Idade:		Sexo:
Ano: Turno:	Repetências: 
Escola: Período da Avaliação: 
MOTIVO DO ENCAMINHAMENTO
\u201cA pedido dos professores, pela dificuldade do aluno em leitura, escrita e oralidade, por não fazer inferências simples, não conseguindo fazer interpretações de informações explícitas em textos/enunciados e pela dificuldade em se concentrar para realizar as atividades\u201d. 
SÍNTESE DA ÁREA TRABALHADA
Para realização do processo avaliativo, foram colhidos dados a partir das trocas de informações com a equipe pedagógica, professor sala regular; análise dos relatórios realizados em contexto escolar: Ficha de Referência Pedagógica; entrevistas com os pais ou responsáveis; observação do material escolar e o relatório de avaliação Psicoeducacional do contexto escolar; observação durante a avaliação no contexto escolar; ficha de interesse social; aplicação de teste formal verbal e não verbal, para verificação do potencial intelectual.
Em relação ao desempenho cognitivo, aplicou-se o teste WISC-III, que trata de um teste formal utilizado na avaliação da habilidade mental que consiste em 12 subtestes divididos em 02 subgrupos identificados com verbal, (com 06 subtestes) e outro de execução (com 06 subtestes). Estes 02 subgrupos contêm tanto estímulos sociais quanto não sociais que exige do avaliando ora respostas verbais ora respostas de execução.
Apresentou, no momento, desempenho cognitivo quantitativo na média esperada para sua idade cronológica nas escalas que exigem velocidade de processamento, execução e organização perceptual, porém qualitativamente demonstrou baixo desempenho nestas áreas. Em relação às escalas: verbal, compreensão verbal e resistência à distração demonstrou desempenho cognitivo quantitativo e qualitativo abaixo da média esperado para sua idade cronológica, ano escolar matriculado e experiência. 
Demonstrou potencialidades em atividades que exigiam identificação visual de objetos; capacidade de isolar características essenciais; análise-síntese (reconhecimento das partes que compõe mobilização da memória (remota); identificação visual de objetos e interpretação das situações sociais.
MEDIDAS DE INTERVENÇÃO
Estimular a curiosidade com atividades diversificadas, como gincanas, jogos, competição, etc.; realizar atividades que exigem memorização (como por exemplo: fazer ditado ou dizer várias palavras ao mesmo tempo e pedir que o educando escreva quais ele memorizou ou outros tipos de tarefas referentes ao mesmo tema); incentivar na busca de novos conhecimentos adquiridos por meio de livros, revistas, TV, etc.; estimular a leitura para elevar o nível cultural; organizar teatro em sala de aula tendo como finalidade o desenvolvimento da capacidade de verbalização e comunicação com o grupo; desenvolver sua capacidade de comparar objetos, formas e seres a nível abstrato, para elevar seu nível de abstração; estimular o pensamento associativo, concreto, social ou abstrato; realizar atividades que ajude a desenvolver a memória mediata; trabalhar com histórias diversificadas e pedir para que o educando \u201cconte-a\u201d, com o objetivo de desenvolver o nível de compreensão e abstração; estimular a atenção e a capacidade de se concentrar, apresentando-lhe atividades que tenha pouco estímulo; desenvolver atividades inicialmente menos complexas para diminuir sua ansiedade e posteriormente aumentar o nível de dificuldade, para que o educando saiba trabalhar com esta ansiedade e consequentemente elevar sua auto-estima; desenvolver o pensamento lógico por meio de exercícios e manuseios de materiais concretos; estimular o raciocínio dedutivo; procurar desenvolver junto com o educando um ritmo adequado para execução das tarefas; situar-se no tempo e no espaço, fazendo-o narrar acontecimentos desenvolver o raciocínio matemático, através de atividades de seu interesse incluindo jogos, partindo do concreto até chegar a abstração; desenvolver a maturidade do educando, apresentando-lhe situações-problemas do dia a dia para que busque solução; estimular o pensamento, buscando dar respostas completas e coerentes; desenvolver o pensamento hipotético, ou seja, pensar sobre algo que não está presente; estimular a percepção imediata do todo para elaborar a relação entre as partes que o compõe, exemplo: completar as partes que faltam num determinado desenho; incentivar o educado a tentar sempre novas soluções diante de alguma dificuldade; estimular a capacidade de planejamento; trabalhar o esquema corporal levando o educando a consciência do seu próprio corpo; apresentar ao educando figuras desconhecidas recortadas em várias partes e pedir-lhe que monte; apresentar-lhe uma figura completa e pedir ao educando que a recorte em várias partes e monte-a novamente; montar por meio de recorte ou desenho as partes que compõe cada ambiente específico. Exemplo: partes que compõe a cozinha, quarto, banheiro, sala, etc.
ENCAMINHAMENTO
No momento, apresentou desempenho cognitivo abaixo da média esperada para sua idade cronológica, ano escolar e experiência, sugerindo o encaminhamento para Sala de Recursos Multifuncional \u2013 Tipo I. Vale ressaltar que há dados de que o aluno já tenha frequentado o apoio educacional especializado nos anos iniciais do Ensino Fundamental e foi desligado. Conduto, observando e analisando suas condutas e aspectos da aprendizagem, neste momento, faz-se de extrema importância seu encaminhamento à SRM-Tipo I dos anos finais do Ensino Fundamental, para trabalho adequado e assertivo às suas potencialidades e dificuldades, tanto cognitivas quanto pedagógicas. Propõe-se reavaliação psicológica, a partir de um ano do presente, para analisar o prognóstico. 
OBSERVAÇÕES COMPLEMENTARES
Coloco-me a disposição para quaisquer esclarecimentos.
Apucarana, 13 de novembro de 2015
Psicóloga
CRP