Slides - Ivonete revisado FINAL
22 pág.

Slides - Ivonete revisado FINAL


DisciplinaHanseniase49 materiais158 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Click to edit Master title style
Click to edit Master subtitle style
*
*
*
AS ATIVIDADES LÚDICAS NO TRATAMENTO DA CRIANÇA PORTADORA DE HANSENÍASE NA SEGUNDA INFANCIA: sob a ótica da terapia ocupacional
Orientadora: Esp. Ana Maria dos Santos Pinho Martins
MARIA IVONETE DOS SANTOS MORAES
CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO - UNICEUMA
COORDENADORIA GERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
COORDENADORIA DE TERAPIA OCUPACIONAL
*
*
*
Introdução 
*
*
*
OBJETIVOS:
GERAL
ESPECÍFICOS:
a importância da ludicidade -> desenvolvimento físico, social e cognitivo da criança;
abordagens terapêuticas ocupacionais utilizadas no tratamento da criança portadora de hanseníase;
atividades lúdicas desenvolvidas com crianças portadoras de hanseníase
*
*
*
2. HANSENÍASE 
Conceito
Situação do Brasil
Lesões Dermatológicas
Classificação Clínica: (Indeterminada e Tuberculóide) PB e (Virchowiana e Dimorfa MB);
Atividades diagnósticas: clínico, diferencial e laboratorial.
O tratamento da hanseníase -> cadeia epidemiológica possibilitando a cura e reabilitação física e social. 
Profilaxia - exames de contato,vacina BCG, educação em saúde 
*
*
*
4.A LUDICIDADE E A SEGUNDA INFÂNCIA 
Pode referir-se tanto a sentimentos de prazer, satisfação e de diversão diante de atividades lúdicas, tais como jogos e brincadeiras, quanto de espaços lúdicos como parques e acampamentos e, ainda de objetos lúdicos, como os brinquedos (SCHWARTZ, 2004).
Os estudos de Piaget evidenciaram que as atividades lúdicas sensibilizam, socializam e conscientizam, de modo que devem ser aplicadas nas diferentes fases da aprendizagem escolar (WEBER, 2005).
 
*
*
*
5.TERAPIA OCUPACIONAL E A LUDICIDADE 
A ludicidade tem uma importância significativa durante a segunda infância como um processador de associações e relacionamentos sociais. As interações sociais são muito acentuadas nessa fase, de modo que as crianças aprendem a influenciar os outros verbalmente.
Para Caníglia (2005, p. 73) \u201co terapeuta ocupacional busca qualificar as atividades do indivíduo em seu cotidiano doméstico, laboral e lúdico\u201d.
Para isso, avalia tanto as capacidades e facilidades quanto as dificuldades e limitações temporárias ou permanentes, promovendo assim, planos e projetos para sua rotina de vida no âmbito do lar, trabalho e lazer.
*
*
*
Para Takatori (2003) o brincar na terapia ocupacional refere-se as atividades que se inserem no contexto da relação terapêutica, enquanto que os brinquedos são os materiais do terapeuta ocupacional colocado à disposição da criança e suas brincadeiras
Por outro lado, as brincadeiras são maneiras naturais através da qual a criança desenvolve habilidades motoras, aprende a concentrar-se, criar coisas, exercitando assim sua imaginação e iniciativa, paciência, independência, confiança em si mesma e controle do meio em que vive (OLIVEIRA, 2002).
Portanto, o terapeuta ocupacional é o facilitador na indicação e utilização das atividades lúdicas, de modo que precisam estar atentos aos interesses lúdicos delas, bem como a faixa etária 
*
*
*
6.ABORDAGENS TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS 
Modelo Lúdico: 
Refere-se ao comportamento de prazer e satisfação, necessário, saudável e persistente nas diversas fases da vida.
Modelo Cognitivista: 
Estágio das operações concretas referente a segunda infância que compreende a idade de 6 a 12 anos. 
Para Piaget, operação refere-se a qualquer ato representacional que é parte de um conjunto de atos interligados. 
Modelo Desenvolvimental: 
Para Caníglia (2005, p. 135) \u201cdesenvolvimento é o aprimoramento funcional e qualitativo relacionado às aquisições das habilidades sensório-motoras, cognitivas e psicossociais\u201d.
*
*
*
7.AS ATIVIDADES LÚDICAS NO TRATAMENTO DA CRIANÇA PORTADORA DE HANSENÍASE NO HOSPITAL AQUILES LISBOA
Tipo de Pesquisa de campo: Quantitativo-descritivo
Técnica de pesquisa: Observação direta sistemática e participante
Ambiente : Hospital Aquiles Lisboa
Período : janeiro a março de 2007, sendo realizada uma sessão por semana, totalizando assim treze atendimentos
Universo : 16 crianças portadoras de hanseníase na segunda infância (6 a 12 anos)
*
*
*
ATIVIDADES LÚDICAS DESENVOLVIDAS 
*
*
*
1ª) SESSÃO: Apresentação do grupo
Dinâmica interativa
Objetivos propostos: 
Estabelecer o vínculo
estimular a verbalização 
promover socialização e interação do grupo.
Parecer observacional:
Interação positiva no grupo e com a terapeuta. 
*
*
*
2ª) SESSÃO:Jogo Lince
Objetivos propostos: 
vínculo terapêutico; 
verbalização; 
socialização;
 tolerância, 
interação do grupo percepção visual. 
Parecer observacional:
Participação ativa
Expressão dos sentimentos
*
*
*
3ª) SESSÃO: Brincadeiras livres
Objetivos propostos:
Promover socialização, estimular a atenção concentração, 
Estimular a tomada de iniciativa
Propiciar a cooperação 
Proporcionar a interação do grupo
Parecer observacional:
As crianças sentiram-se bem à vontade, muitas trocaram brinquedos, enquanto outras permaneceram com o mesmo até o final da atividade. 
*
*
*
4ª) SESSÃO: Jogo do mico
Objetivos propostos: 
Estimular a verbalização;
Promover socialização 
Propiciar a associação de idéias,
Estimular a atenção e concentração
Enfatizar pensamento lógico e proporcionar a interação do grupo
Parecer observacional:
Ocorreu uma maior interação grupal à medida as crianças entendiam o jogo, pois muitas delas se dispunham a explicar umas as outras. 
*
*
*
5ª) SESSÃO: Brincadeiras com balões 
Objetivos propostos:
 Promover socialização; 
proporcionar a interação do grupo, 
estimular o desenvolvimento físico e favorecer a tolerância.
Parecer observacional: 
Durante a atividade as crianças participaram ativamente, dançavam no ritmo da música à medida que buscavam proteger seu balão. Fizeram isso sem machucar-se ou a outros.
*
*
*
6ª) SESSÃO: Jogo da memória 
Objetivos propostos:
Estimular aspectos cognitivos promover socialização proporcionar a interação do grupo
Estimular a atenção e concentração,
Favorecer a tolerância,
Propiciar a associação de idéias e enfatizar pensamento lógico.
Parecer observacional: 
Durante esta atividade, notou-se a atenção e concentração dispensada pelas crianças, além da tolerância a medida que aguardavam ansiosamente sua vez para virar as cartas descobertas pelos colegas. 
*
*
*
7ª) SESSÃO: Loto de imagens 
Objetivos propostos: 
Estimular percepção visual; 
Proporcionar a interação do grupo; 
Estimular a atenção e concentração; 
Favorecer a tolerância; 
Estimular o espírito de liderança; 
Propiciar a associação de idéias;
Enfatizar pensamento lógico. 
Parecer observacional: 
O nível de atenção e concentração aumentou, propiciando o pensamento lógico, a percepção e a memória visual, além de associação de idéias.
*
*
*
8ª) SESSÃO: As sílabas
Objetivos propostos: 
Favorecer a tolerância;
Estimular percepção visual; 
Estimular a atenção;
Estimular o espírito de liderança;
Propiciar a associação de idéias;
Enfatizar pensamento lógico.
Parecer observacional:
Concentração e atenção
Vontade de liderança 
 
*
*
*
9ª) SESSÃO: Ver e ler 
Objetivos propostos: 
Interação do grupo;
Socialização, atenção e concentração;
Associação de idéias;
Pensamento lógico.
Parecer observacional: 
Trabalho em grupo;
Ajuda Mútua.
*
*
*
10ª) SESSÃO: Desenho livre
Objetivos propostos:
Estimular a livre expressão de sentimento;
Promover a socialização;
Favorecer a noção de cores e forma;
Estimular a verbalização;
Desenvolver a coordenação manual.
Parecer observacional: 
interação entre as crianças;
cores e formas variadas. 
expressões de sentimentos
*
*
*
Conclusão
*
*
*
As atividades lúdicas mexem com a fantasia, imaginação e a criatividade infantil, afetando a