Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Avaliação II Fundamentos Históricos do Direito

Pré-visualização | Página 1 de 2

Acadêmico: Robeson de Lima (1133373) 
Disciplina: Fundamentos Filosóficos do Direito (16784) 
Avaliação: Avaliação II - Individual FLEX ( Cod.:442891) ( peso.:1,50) 
Prova: 10797227 
Nota da Prova: 9,00 
Legenda: Resposta Certa Sua Resposta Errada 
1. Pitágoras de Samos (570-490 a.C.) fundou uma corrente de pensamento que entende 
serem os números ou as relações matemáticas o fundamento de todas as coisas, uma 
vez que acreditavam que tudo possuía uma essência harmônica e imutável. Atribui-
se a Pitágoras o primeiro conceito de justiça. Sobre o exposto, assinale a alternativa 
CORRETA: 
 a) Trazia em si absoluto desprezo aos deuses e ao culto. 
 b) Justiça moral é honrar pai e mãe. 
 c) O ato justo seria a chamada "justiça aritmética", segundo a qual cada indivíduo 
receberia uma punição ou um ganho quantitativamente. 
 d) Justiça não é sinônimo de autoridade e obediência estando implícita a ideia de 
hierarquia. 
 
2. Dentre a vasta obra de Platão que adota como forma de exposição do pensamento o 
diálogo, há uma que pode ser considerada a maior de todas, onde expõe um 
importante sistema de reflexão sobre o Direito e a Política. Sobre a referida obra, 
assinale a alternativa CORRETA: 
 a) Fédon. 
 b) A República. 
 c) Diálogos. 
 d) O Manifesto Comunista. 
 
3. Para Platão, a Filosofia tem como objetivo esclarecer o sentido da ética, uma vez que 
permite a alma humana orientar-se para o bem e assim, desviar-se do mal. Para 
explicar melhor a função prática da ética, Platão usa uma metáfora: a ética é como 
um timoneiro que para não permitir que o barco seja guiado pela correnteza, assume 
a direção a ser seguida. Desde essa perspectiva, ou seja, da necessidade de guiarmos 
nossas escolhas pela ética, Platão estabelece fundamentos essenciais da Filosofia. 
Acerca de tais fundamentos, analise as sentenças a seguir: 
 
I- O sentido de ética enquanto pressuposto da ordem política e jurídica que não se 
restringe à mera virtude, mas o agir orientado para o bem sem abandoná-lo sob pena 
de "deixar o barco navegar pelo sentido da correnteza e não para onde o timoneiro 
deseja chegar". 
II- O direito existe independente da vida social (da convivência na polis), sendo 
desnecessário o fator humano para a concepção filosófica do justo. 
III- A Filosofia - o educar-se - tem por finalidade o exercício da cidadania, para a 
"verdade". 
IV- O bem e o justo nascem desde a reflexão acerca da verdadeira essência - que está 
no mundo das ideias - sendo a finalidade da justiça o exercício do bem comum. 
 
Assinale a alternativa CORRETA: 
 a) As sentenças II e V estão corretas. 
 b) As sentenças II e III estão corretas. 
 c) As sentenças I e II estão corretas. 
 d) As sentenças I, III e IV estão corretas. 
 
4. As máximas: "O justo segundo a natureza é a regra do interesse que temos em não 
nos prejudicarmos nem sermos prejudicamos mutuamente" e "Nunca houve justiça 
em si, mas nas relações recíprocas, quaisquer que sejam seu âmbito e as condições 
do tempo, uma espécie de pacto a fim de não prejudicar nem ser prejudicado", são 
atribuídas a um filósofo que entendia que a justiça era uma convenção compreendida 
pela razão e pela natureza, porque os homens sendo injustos se aproximariam do 
sofrimento seja pelo castigo ou pela perseguição. Sobre o exposto, assinale a 
alternativa CORRETA: 
 a) Epicuro de Samos. 
 b) Aristóteles. 
 c) Lucrécio de Roma. 
 d) Marco Aurélio. 
 
5. A íntima relação dos termos "política" e "polis" não decorre tão somente do vínculo 
semântico. A multifacetada experiência ocorrida em Atenas entre os séculos IV a VI 
a.C. evidenciou contradições capazes de gerar um ambiente decisivo para o 
surgimento da reflexão política. Sobre o exposto, classifique V para as sentenças 
verdadeiras e F para as falsas: 
 
( ) Para o povo grego, o modo de vida digno dependia de uma pré-condição: o 
exercício da liberdade. A liberdade significava a independência em relação às 
necessidades básicas de vida, eliminando qualquer modo de vida ligado à 
sobrevivência. 
( ) Não apenas o homem comum possuía liberdade, mas também os artesãos livres 
e os mercadores, com exceção dos escravos, pois estavam excluídos todos os que 
não podiam dispor de liberdade de ação e de movimento. 
( ) Apenas aos homens livres pertencia o direito de escolha de uma vida digna: a 
vida voltada aos prazeres do corpo - em que o belo é consumido tal como é dado; a 
vida dedicada aos assuntos da polis - atividade que por excelência produz belos 
efeitos; e a vida de filósofo - dedicada à contemplação e à investigação das coisas 
eternas, cuja beleza não poderia ser alterada nem pela produção nem pelo consumo 
humano. 
( ) Dentre as atividades humanas gregas que mantinham um bios digno - um modo 
de vida autenticamente humano e livre de necessidades e privações - a vida política 
ocupava especial destaque, pois viver na polis significava desfrutar de uma forma de 
organização política particular e livremente escolhida. 
 
Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA: 
 a) V - V - F - V. 
 b) V - F - V - V. 
 c) F - F - V - F. 
 d) F - V - F - F. 
 
6. A Idade Média foi um longo período histórico da Europa entre os séculos V e XV, 
que se inicia com as invasões bárbaras sobre o Império Romano, colimando em sua 
desintegração e termina durante a transição para o novo processo civilizatório, a 
Idade Moderna. Caracteriza-se por uma economia rural, enfraquecimento comercial, 
sistema de produção feudal e marcada por relações estamentais. Com relação ao 
pensamento medieval, assinale a alternativa CORRETA: 
 a) A sociedade medieval é caracterizada por relações sociais e políticas não 
hierarquizadas, pela qual a doutrina cristã definia o eixo de controle da sociedade 
por meio de princípios norteadores da moral, ética, leis e fundamento das 
instituições políticas e jurídicas. 
 b) Durante a Idade Média, não houve questionamentos acerca da absoluta oposição 
entre a fé e a razão, pois entendia-se que o pensamento dogmático cristão não 
poderia estar subordinado à razão. 
 c) A filosofia e o direito conseguem se distanciar, mantendo-se independentes da 
hegemonia do clero, sem se submeter ao controle da teologia cristã e da doutrina 
da Igreja. 
 d) No período medieval, o bem maior não é mais o Estado, mas, sim, o homem 
dentro da sociedade, que deve seguir os valores culturais, ideológicos, políticos e 
filosóficos, vinculados pela centralização do poder eclesiástico e do cristianismo. 
 
7. Tomás de Aquino foi um frade italiano da Ordem Pregadores cujas obras tiveram 
grande influência na teologia e na filosofia, sendo considerado um importante 
representante da Escolástica - linha filosófica medieval de base cristã. Com base no 
pensamento tomista, assinale a alternativa INCORRETA: 
 a) Aquino se opunha às inovações da ciência, reconhecia na natureza a criatividade 
divina. Para ele, a racionalidade humana era um dom divino e o exercício da 
liberdade era dádiva concedida por Deus. 
 b) Na concepção tomista, o homem é um ser livre, constitui uma escolha dele agir 
em sentido inverso ao da bondade divina. 
 c) As obras mais conhecidas de Tomás de Aquino são a Summa Theologica e 
Summa contra Gentiles. 
 d) Os princípios que devem reger as leis humanas se originam do estado natural do 
homem, tais qualidades formam o Direito Natural. 
 
8. Das inúmeras contribuições e reinvenções da filosofia grega pelos romanos no 
período Pós-clássico, destaca-se o Epicurismo e o Estoicismo. O Epicurismo tem sua 
origem no pensamento de Epicuro de Samos (341-270 a.C.) e o Estoicismo é 
fundado por Zenão de Citium (333-
Página12