A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
teorico_II

Pré-visualização | Página 1 de 5

Inserir Título Aqui 
Inserir Título Aqui
Administração 
Aplicada à Engenharia 
de Segurança
A Administração e as Principais Escolas
Responsável pelo Conteúdo:
Prof. Ms. Uerley Magalhães Franchi
Revisão Textual:
Profa. Ms. Luciene Oliveira da Costa Santos
Nesta unidade, trabalharemos os seguintes tópicos:
• Introdução ao Tema
• Leitura Obrigatória
Fonte: iStock/Getty Im
ages
Objetivos
• Mostrar ao aluno as principais escolas da administração, e destacar suas diferenças e 
evoluções, assim como as características de cada uma.
Caro Aluno(a)!
Bem-vindo(a) à segunda unidade da disciplina de Administração Aplicada à Segurança 
do Trabalho.
Nesta unidade, abordaremos algumas das escolas da administração, suas características 
e as mudanças provenientes delas. Também destacaremos pontos positivos e negativos 
e a aplicabilidade das mesmas. 
Não se esqueça de acessar o material didático, onde encontrará o conteúdo e as atividades 
propostas para esta unidade, assim como o material complementar, que foi escolhido 
com muito cuidado para aprimorar seu aprendizado.
Caso tenha dúvidas, entre em contato com o tutor; seja objetivo(a) e direto(a) para que 
receba a resposta o quanto antes.
Bons Estudos!
A Administração e as Principais Escolas
UNIDADE 
A Administração e as Principais Escolas
Introdução ao Tema
Sendo esta uma sociedade institucionalizada composta por várias organizações. 
Desse modo, percebemos que as empresas controlam todas as atividades especializadas 
(por exemplo, a prestação de serviços), ligadas diretamente aos bens de consumo, 
mais especificamente na sua produção. Portanto, as organizações são compostas por 
pessoas e recursos físicos, materiais, tecnológicos etc. 
Tendo conhecimento de que as pessoas seguem o ciclo natural da vida inteira 
participando direta ou indiretamente de organizações, fica visível que as organizações 
são extremamente heterogêneas e diversificadas, variando, assim, seus tamanhos, 
características, estruturas e objetivos. Dessa forma, podemos exemplificar e classificá-
las como não lucrativas (como os serviços públicos, igrejas etc.), ONGs, que são 
organizações não governamentais e entidades filantrópicas, entre outras. 
A área de conhecimento humano ligada ao estudo das organizações é chamada 
de Teoria das Organizações (TO). No caso das organizações que atingem certo 
porte, devido às suas operações, faz se necessário o uso de uma administração mais 
detalhada, ocasionando, assim, a necessidade da organização hierárquica, para que 
funcionem melhor todos os seus processos. Sendo assim, a Administração emprega 
planejamento, estruturação e controle de todas as tarefas dentro de uma organização. 
Portanto, torna-se algo imprescindível para existência e sobrevivência de uma 
organização (Empresa) no mercado. A TGA (Teoria Geral da Administração) trata do 
estudo da Administração das empresas, atentando para o seu tipo de segmento.
Devido aos aspectos exclusivos de cada organização, o administrador define 
estratégias e os recursos que planeja utilizar para conseguir uma evolução positiva em 
todos os setores. Contudo, vale salientar que o administrador bem-sucedido em uma 
organização pode não ser bem-sucedido em outra devido a diversos fatores, entre 
eles, personalidade, capacidade de agir em diferentes situações, adaptação etc. Com 
isso, toda vez que uma empresa deseja incluir um novo colaborador em seu quadro de 
funcionários, os mesmos passam por uma infinidade de testes e de entrevistas para 
que sejam verificadas suas habilidades e competências.
Sabemos que sempre existe algum problema no período de transição de um 
colaborador para outra organização. Mesmo que o seu conhecimento profissional 
das atividades e funções da área seja amplo, o mesmo será avaliado pela forma de 
como realiza o seu trabalho e os resultados que obtém com os recursos disponíveis. 
Segundo Theodore Levitt, ao mencionar “administrador profissional”, lembra que, um 
administrador não é denominado profissional como um físico ou químico que passaram 
por testes de conhecimento específicos para o recebimento de seus respectivos 
títulos, enquanto o administrador é lembrado por seus conhecimentos amplos e em 
diversos setores, e lembrado dentro de uma empresa por seu perfil, personalidade 
e conhecimento técnico de administração. Justamente por isso, essa verificação de 
perfil é realizada, para que seja feita uma melhor adequação na empresa junto ao 
pessoal que irá trabalhar em equipe, sabendo que existem diversas maneiras certas de 
conduzir as tarefas de uma empresa, mesmo que realizadas por um só administrador. 
6
7
As Principais Escolas da Administração
• Administração Científica (ou Taylorismo): trata-se de um modelo de administração 
desenvolvido por Frederick Taylor. Segundo ele, o sucesso da fábrica estava 
estritamente ligado à produtividade, que, por sua vez, dependia dos seus colaboradores. 
A Administração Científica pretendia eliminar movimentos desnecessários dos 
colaboradores, dividindo-os de modo que cada um realizasse uma tarefa específica 
e contabilizando o tempo que estes levariam para realizar determinada tarefa, além 
de treiná-los e incentivá-los com remuneração extra. Isso fez com que a eficiência 
dos colaboradores fosse maximizada, o que, consequentemente, traria um aumento 
na produtividade da fábrica. O nome “Científica” se dá por ser um modelo regido 
por normas, leis e princípios definidos dentro do ambiente de trabalho. 
• Gestão Administrativa: desenvolvida por Henry Fayol, era uma escola que enxer-
gava a administração, pela primeira vez, como uma disciplina e profissão. Desse 
modo, Fayol estabeleceu princípios (não regras, ou leis) gerais da administração, 
após conseguir recuperar a empresa, a qual era diretor geral, da falência. Fayol 
dividiu as funções e operações das organizações em 6 (Técnicas, Comerciais, Finan-
ceiras, De segurança, De contabilidade, De administração). Segundo ele, a função 
mais importante em uma empresa é a de administrar. Dessa forma, dividiu as fun-
ções do administrador em 5 (Planejar, Organizar, Comandar, Coordenar, Controlar). 
Ao mesmo tempo, elaborou 14 princípios de administração, sendo eles: Divisão de 
trabalho, Autoridade e responsabilidade de todos, Disciplina, Centro de comando, 
Centro de direção, Subordinação do interesse de ambos, Remuneração, Centraliza-
ção, Hierarquia, Ordem, Equidade, Estabilidade, Iniciativa e Espírito de equipe. 
• Teoria da Burocracia: observando que, etimologicamente, burocracia significa 
“poder do escritório”, Max Weber idealizou a teoria da burocracia, cujo objetivo 
é organizar um grande número de indivíduos, cada um com sua respectiva função 
formalizada e codificada sob a hierarquia e as relações impessoais. Conforme 
Weber, a burocracia apresentaria um alto grau de eficiência e seria o modo mais 
racional de exercer dominação sobre os outros, por conta de se tratar de um 
sistema impessoal e com imposição de regras legais, possibilitando assim maior 
acesso aos cargos. Princípios: divisão do trabalho, impessoalidade, hierarquia, 
profissionalismo, padronização, formalização, autoridade, separação de domínios 
públicos e privados. 
• Escola das Relações Humanas: em um determinado período de crise financeira 
(1929) e de condições de trabalho desumanas, surge nas organizações, como 
fruto de experiências realizadas em uma fábrica de Chicago, a Teoria das Relações 
Humanas. Elton Mayo descobriu que, ao cooperar com os colaboradores e tratá-los 
amigavelmente, a produtividade deles aumentava. Ele enxergou que a produtividade 
de um colaborador não está relacionada apenas com a eficiência técnica, mas 
também com os problemas de ordem social e humana. Segundo a Escola de 
Relações Humanas, o administrador deveria enfatizar, antes de tudo, no bem-estar, 
na motivação e na comunicação