A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
africa2

Pré-visualização | Página 2 de 2

e indianos.
	 b)
	Árabes e indianos.
	 c)
	Chineses e povos provenientes das ilhas da Polinésia.
	 d)
	Os africanos mantiveram contato e relações comerciais com os europeus.
	6.
	O manual L´Historie de l´Afrique Orientale, escrito por Coupland em 1928, é retomado seguidamente para ilustrar as formas pelas quais as sociedades do continente africano são depreciadas com relação às demais sociedades do planeta. No que consistem os principais argumentos do autor para com as condições de desenvolvimento, tecnologias e civilização daquelas populações?
	 a)
	O autor defende que estes povos não registraram seus conhecimentos e tecnologias, assim ficaram à margem e sem comunicação com outras civilizações.
	 b)
	O autor argumenta que o fato de estes povos não terem deixado registros escritos conseguiram refiniar e diferenciar sua cultura em relação às demais.
	 c)
	O autor defende que estes povos não desenvolveram a escrita e, por isso, mantiveram em estágio de barbárie e estagnação.
	 d)
	O autor argumenta que os povos da Àfrica representam populações com expressões culturais exóticas e excepecionais.
	7.
	O movimento de independência dos países africanos criou, por parte de uma nova elite política e intelectual, a necessidade da elaboração das identidades africanas dentro do Continente, e deste diante do mundo. Para esse intento, era necessário retornar ao passado em busca de elementos que legitimassem uma História Africana rica e diversificada, tanto quanto a história da Europa. De acordo com Kwame Anthony Appiah, entre esses primeiros pensares pós-independência estaria o aparecimento de ideologias que defendiam e ressignificavam a identidade africana. Essas ideologias ficaram conhecidas como:
	 a)
	Cem por cento negro e pan-africanismo.
	 b)
	Pan-africanismo e a negritude.
	 c)
	Black power e a negritude.
	 d)
	Movimento negro e dos panteras negras.
	8.
	Ao longo do século XV, em meio a corrida e domínio das rotas marítimas, o continente africano foi fundamental e usado de forma estratégica pelos navegadores europeus no sentido de intensificar e ancorar a presença dos mesmos na região. Que expedições e fatos podem ser indicados como favorecedores deste avanço ao longo e no interior do território africano? Assinale a alternativa correta:
	 a)
	As expedições empreendidas tanto por portugueses como por espanhóis no sentido de alcançar o extremo sul da América e da Ásia.
	 b)
	As expedições de Bartolomeu Dias que por sua vez alcançam ao extremo sul do continente e de Vasco da Gama chega até à Índia contornando o sul da África.
	 c)
	As expedições de Vasco da Gama que chegam ao extremo sul do continente africano e as de Vasco da Gama que chegam à Índia contornando o extremo o sul da América.
	 d)
	As expedições de Pedro Álvares Cabral encontra terras na América do Sul, a partir do qual os portugueses assinam um Tratado com a Espanha dando-lhe plenos poderes de exploração do comércio com as Índias.
	9.
	Molefi Kate Asante é uma das referências mais citadas e referenciadas em estudos e explicações sobre as questões afrocêntricas. No livro Afrocentricidade, publicado nos anos de 1970, constam teorizações de forma aprofundada, cuja abordagem é tida como revolucionária, pois apresenta uma percepção que ultrapassa os paradigmas que norteiam as pessoas brancas e coloca no centro da discussão os modos e as formas como os africanos reagiriam e responderiam diante das relações pessoais e das situações do mundo. Com relação às determinações que o conceito de afrocentricidade congrega, analise as sentenças a seguir:
I- Trata-se de uma teoria que sustenta o entendimento dos indivíduos africanos a partir das relações e contatos com a cultura branca ou indígena.
II- Comporta a noção de demarcação de fronteira cultural a partir de um determinado símbolo ou menção de algum herói ou heroína da história e cultura africana.
III- O povo negro é percebido na centralidade de sua própria história, dos processos políticos e econômicos e não mais nas margens e periferias.
IV- Trata-se de uma teoria que aborda o sujeito africano em seu contexto histórico, não mais como objeto em meio às tradições europeias.
Agora, assinale a alternativa CORRETA:
	 a)
	As sentenças II, III e IV estão corretas.
	 b)
	As sentenças I e II estão corretas.
	 c)
	As sentenças I, II e III estão corretas.
	 d)
	As sentenças I, III e IV estão corretas.
	10.
	O historiador, antropólogo e médico senegalês Cheik Anta Diop (1923-1986) foi um dos principais críticos da historiografia tendenciosa sobre a África. Na década de 1950, defendeu a tese de que a civilização egípcia antiga havia sido uma cultura formada por negros africanos. Em relação ao significado do termo negro, Diop afirmava que:
	 a)
	Deveria ser preservado o estigma que a palavra carregava e que este conceito deveria ser restrito aos povos africanos. As civilizações egípcias e núbias deveriam ser classificadas como negras e terem suas origens mantidas no Continente Africano.
	 b)
	O conceito de negro apresentado sob a perspectiva de Diop colocava as sociedades africanas como sendo harmoniosas e pacíficas, assemelhando-as às culturas europeias.
	 c)
	Deveria ser eliminado o estigma que a palavra carregava e que este conceito deveria ser expandido para se assemelhar ao de branco. As civilizações egípcias e núbias deveriam ser classificadas como negras e ter suas origens mantidas no Continente Africano.
	 d)
	O conceito de negro estava associado à ideia de que as civilizações egípcias e núbias deveriam ser classificadas como negras, todavia, Diop afirmava que estas duas civilizações haviam sofrido influências europeias e que suas origens estavam vinculadas ao Continente Europeu.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.