A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
e-book-forcas-armadas-psicologia-editora-sanar

Pré-visualização | Página 2 de 8

com o quadro diagnóstico do 
transtorno de pânico.
09 (2013) Com relação à Síndrome de Dependência do Álcool (SDA), compreendida como um 
estado decorrente do consumo repetitivo de álcool, assinale a afirmativa INCORRETA. 
Ⓐ A SDA é definida a partir dos sintomas físicos decorrentes da ingestão do álcool por longos 
períodos. 
Ⓑ Na SDA, o indivíduo apresenta aumento de tolerância ao álcool.
Ⓒ Na SDA, o indivíduo apresenta sintomas repetitivos de abstinência. 
Ⓓ Na SDA, o indivíduo apresenta comportamento de esquiva. 
Ⓔ Em casos de SDA, a tolerância, após períodos de abstinência, reinstala-se mais rapidamen-
te
Alternativa A: INCORRETA. Os sintomas físicos são fatores importantes de serem observados 
para diagnóstico da Síndrome de Dependência do Álcool (SDA).
Alternativa B: INCORRETA. Uma das características relevantes no diagnóstico da SDA é o au-
mento de tolerância ao álcool. 
Alternativa C: INCORRETA. Os sintomas repetitivos de abstinência ao álcool é um fenômeno 
significativo no diagnóstico da SDA. 
Alternativa D: CORRETA. Em geral, sujeitos acometidos pela SDA tentam priorizar o ato de 
beber, inclusive em contextos nos quais beber é proibido, como ao dirigir, não apresentando, 
desta maneira, comportamento de esquiva. 
Alternativa E: INCORRETA. No processo da DAS, há necessidade, por parte do sujeito, de doses 
cada vez maiores de consumo de álcool para que o mesmo exerça efeito. Assim, após perío-
dos de abstinência ou diminuição de doses anteriormente tomadas, a tolerância reinstala-se 
mais rapidamente
10 (2012) A Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID-10 indica que o 
aspecto essencial do transtorno obsessivo-compulsivo são os pensamentos: 
Ⓐ recorrentes e atos compulsivos esporádicos. 
Ⓑ obsessivos ou atos compulsivos recorrentes. 
Ⓒde morte e atos compulsivos destrutivos.
Ⓓ destrutivos e atos compulsivos obsessivos. 
Ⓔ destrutivos e atos sexuais compulsivos.
Alternativa A: INCORRETA. Atos compulsivos esporádicos não são característicos de transtorno 
obsessivo-compulsivo.
 Alternativa B: CORRETA. Temos como características principais do transtorno obsessivo-com-
pulsivo - transtorno de ansiedade - os pensamentos obsessivos ou atos compulsivos recor-
rentes, comportamentos que são considerados estranhos para a própria pessoa, bem como 
para a sociedade em geral. 
Alternativa C: INCORRETA. Pensamentos de morte e atos compulsivos destrutivos não são ca-
racterísticas basilares do transtorno obsessivo-compulsivo. Estes podem fazer parte de carac-
terísticas do transtorno de personalidade borderline. 
Alternativa D: INCORRETA. De maneira geral, os pacientes com transtorno obsessivo-compulsi-
vo não apresentam pensamentos destrutivos, e sim pensamentos obsessivos. 
Alternativa E: INCORRETA. Apesar de alguns pacientes apresentarem o comportamento de ter 
atos sexuais compulsivos, os pensamentos destrutivos não são característicos de transtorno 
obsessivo-compulsivo.
 
|ED|| 01. A introdução da propaganda e educação na técnica rotineira de ação da 
Saúde Pública brasileira é atribuída à reforma :
A) Osvaldo Cruz.
B) Carlos Chagas.
C) Barros Barreto.
D) Almeida Machado.
E) N.R.A.
Resposta:
(B) Marco importante da evolução da saúde pública brasileira foi a refor-
ma Carlos Chagas que, reorganizando os serviços de saúde pública pelo 
Decreto Legislativo Nº 3.987, de 2 de janeiro de 1920, criou o Depar-
tamento Nacional de Saúde Pública. Na administração, Carlos Chagas 
ocorreu a introdução da propaganda e educação sanitária na técnica 
rotineira de ação, ao contrário do critério puramente fiscal e policial até 
então utilizado.
Ref.: Rodrigues. Fundamentos de administração sanitária. p.31.
|ED|| 02. De acordo com a Constituição Brasileira de 1988, da receita de impostos 
da União o Governo Federal deverá dispor para o Setor Educação:
A) 3%.
B) 5%.
C) 12%.
D) 18%.
E) 25%.
Resposta:
(D) A Constituição Federal de 1988, consoante Artigo 212 da Seção I 
– da Educação Capítulo III do Título VII, determina que 18% da receita 
SAÚDE
PÚBLICA
116 Marcelo GurGel carlos da silva
resultante de impostos da União sejam destinados ao Setor Educação. 
Para os municípios brasileiros, a alocação de recursos para a educação, 
conforme estipula a Constituição retromencionada, deverá comprome-
ter 25% de suas arrecadações tributárias.
Ref.: Brasil. Constituição Federal.
|ED|| 03. De acordo com a Constituição Brasileira de 1988, das arrecadações tri-
butárias municipais, o município deverá dispor para o Setor Educação:
A) 5%.
B) 12%.
C) 18%.
D) 25%.
E) 30%.
Resposta:
(D) A Constituição Federal de 1988, conforme o Artigo 212 da Seção I – 
da Educação – Capítulo III do Título VII, dispõe que para os municípios 
brasileiros, a alocação de recursos para a educação, deverá fixar 25% de 
suas arrecadações tributárias.
Ref.: Brasil. Constituição Federal.
|ED|| 04. Nos indicadores sociais e econômicos relacionados com a saúde, a OMS, 
em sua proposta de indicadores para acompanhar os progressos de 
“Saúde Para Todos no Ano 2000”, recomendava na área de educação:
A) a proporção de crianças do primeiro ano escolar que alcança a uni-
versidade.
B) a proporção de crianças do primeiro ano escolar que alcança a escola 
secundária.
C) o índice de alfabetismo de adultos.
D) o número de técnicos por 1.000 habitantes.
E) a taxa de repetência no primeiro ano escolar.
Resposta:
(C) Nos progressos para a “Saúde Para Todos”, provavelmente, se farão 
sentir profundamente dois fatores sociais que, em geral, não se conside-
ram como partes integrantes do Setor Saúde: a educação e a moradia. 
Um possível indicador da contribuição da educação à saúde é o índice 
de alfabetismo, comumente definido como percentagem da população 
de 15 ou mais anos que sabe ler e escrever em qualquer idioma; outros 
possíveis indicadores educacionais são: número (%) de alunos de 5 a 19 
anos matriculados nas escolas, número de alunos por professor e gastos 
por aluno.
Ref.: OMS. Saúde para todos no ano 2000. p.19, 26.
CAP. 4 • EdUcaÇÃo Em saÚdE 117
|ED|| 05. A área de educação está representada no Indicador de Qualidade Mate-
rial da Vida (IQMV) por:
A) percentagem de população de 5 a 19 anos matriculadas nas escolas.
B) nº de técnicos por 1.000 habitantes.
C) percentagem de alfabetismo da população adulta.
D) taxa de repetência no primeiro ano escolar.
E) nº de alunos que chegam à universidade entre os que ingressaram na 
escola primária.
Resposta:
(C) A procura de um indicador ideal que traduzisse por um valor nu-
mérico o “nível de vida” ou, em menor abrangência, o nível de saúde de 
uma população sempre foi uma meta de estudiosos da área da saúde e 
da economia. Grant propôs o uso de um indicador que reúne de forma 
combinada os valores da mortalidade infantil, da esperança de vida à 
idade de um ano e da taxa de alfabetismo; é conhecido por Indicador de 
Qualidade Material de Vida (IQMV) e tem recebido ampla aceitação em 
vários organismos internacionais.
Ref.: Laurenti. In: Gonçalves. p.93-7.
|ED|| 06. Segundo Morris, dentre os diferentes usos da Epidemiologia incluem-
-se:
I. identificação de grupos mais vulneráveis.
II. ajuda a completar o quadro clínico.
III. identificação de novas síndromes.
IV. identificação dos fatores etiológicos.
Desses usos, estão mais vinculados à educação médica
A) somente III e IV. 
B) somente II e III.
C) somente II, III e IV.
D) somente I, III e IV.
E) todos (I a IV).
Resposta:
(C) Classicamente, Morris distinguiu sete usos importantes da Epide-
miologia; desses usos, três estavam mais vinculados à Educação Médica, 
a saber: 1. ajuda a completar o quadro clínico; 2. identificação de novas 
síndromes; 3. identificação dos fatores etiológicos. A identificação de 
grupos mais vulneráveis relaciona-se mais ao planejamento em saúde.
Ref.: Armijo. Epidemiología. p.37-40.