A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
ATIVIDADE_FINAL_SIOPE_Náira Laiane e Raissa

Pré-visualização | Página 1 de 2

PROGRAMA FORMAÇÃO PELA ESCOLA/FNDE
CURSO SIOPE
SIOPE: TRANSPARÊNCIA DOS RECURSOS DESTINADOS A EDUCAÇÃO
LAIANE ALVES RESENDE
NÁIRA ROSANY GONÇALVES ALVARENGA
RAISSA SAMAI SOBRAL DE MORAIS
TUTORA: PATRICIA PEREIRA DA SILVA
TURVÂNIA, GO .
 
INTRODUÇÃO
	O SIOPE é o sistema de informação sobre Orçamento Público em Educação, foi instituído pela Portaria Ministerial – MEC nº 06 de 20 de junho de 2006; é um sistema informatizado, instituído para coleta, processamento, disseminação e acesso público às informações referentes aos orçamentos públicos de educação da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios. É operacionalizado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, que disponibiliza no portal deste.
	Seus objetivos são estabelecidos pela Portaria MEC nº 006, de 20/06/2006, que normatizando o sistema para: I – constituir base de dados nacional detalhada sobre receitas e investimentos públicos em educação de todos os entes federativos; II – estabelecer padrão mínimo de oportunidades educacionais para o ensino, baseado no cálculo do custo mínimo por aluno, visando assegurar ensino de qualidade para todos os brasileiros, e atenção ao disposto no artigo 74 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (LDB); III – permitir o planejamento e dimensionamento das ações supletivas da União em educação, em respeito ao comando do parágrafo 1º do artigo 211 da Constituição Federal; IV - subsidiar a elaboração de políticas educacionais em todos os níveis de governo; V – produzir indicadores de eficiência e eficácia dos investimentos públicos em educação; VI – assegurar transparência e publicidade à gestão dos recursos públicos destinados à educação, incrementando os mecanismos de controle legal e social em relação aos percentuais mínimos de recursos vinculados à educação; e VII – monitorar a aplicação dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
No dilema para saber quanto se investia na Educação Pública, foi que surgiu a necessidade de criar um sistema que gerenciasse esse procedimento foi que surgiu o Siope no ano de 2006, a partir de uma demanda do antigo Ministro da Educação, Cristovam Buarque. Foi essa dúvida que originou a necessidade de criação do sistema, baseado na ideia de que para elaborar qualquer política pública é necessário conhecer em que estão sendo aplicados os recursos, por exemplo, se no Ensino Fundamental ou na Educação Infantil, e quais as necessidades. O Siope foi pensado de forma a alcançar os 5.564 municípios e os 27 estados. Baseado no sistema do Imposto de Renda, o Siope está disponível para download na página do FNDE na Internet. Todos os dados são informatizados e passam por verificação e filtros e, assim como ocorre no IR, são transmitidos pela Internet. O principal objetivo do SIOPE é levar ao conhecimento da sociedade o quanto as três esferas de governo investem efetivamente em educação no Brasil, fortalecendo, assim, os mecanismos de controle social dos gastos na manutenção e desenvolvimento do ensino. Dessa forma, este sistema contribui para garantir maior efetividade e eficácia das despesas públicas em educação e, em última instância, para a melhoria da qualidade dos serviços prestados à sociedade pelo Estado. Dentre os meios de assegurar recursos para o município está o fundeb. O sistema do   SIOPE foi elaborado para auxiliar também os Conselhos no monitoramento, acompanhamento e fiscalização da aplicação deste recurso, pois este deve estar de maneira clara, transparente e detalhada, pois é um recurso que deve ser aplicada na educação para fins de pagamento dos profissionais, e objetivando o financiamento de ações com o desenvolvimento e manutenção do ensino. 
DESENVOLVIMENTO
O Siope é um banco de dados que reúne informações oficiais sobre os investimentos públicos em educação, prestadas pelos estados, Distrito Federal e municípios. Essas informações possuem “caráter declaratório”.
O SIOPE visa padronizar de tratamento gerencial, calcula a aplicação da receita vinculada à manutenção e desenvolvimento do ensino de cada ente federado.
Quais são os impostos e transferências que compõem as receitas da educação dos estados, do Distrito Federal e dos municípios?
Governo Federal: Obrigado a investir, no mínimo, 18% de parte de seus recursos anuais em educação;
 Estados: Obrigados a investir, no mínimo, 25% de seus recursos de impostos e transferências em educação;
 Distrito Federal: Como os estados, é obrigado a investir, no mínimo, 25% de receitas (impostos específicos e transferências) em educação;
 Municípios: Como os estados e o Distrito Federal, são obrigados a investir, no mínimo, 25% de receitas e transferências em educação;
a) da União: • Fundo de Participação dos Municípios (FPM);
b) do Estado: • 25% do ICMS e do IPI-Exportação; • 50% do IPVA.
A implantação deste sistema vai auxiliá-los os gestores no planejamento das ações, fornecendo informações atualizadas sobre as receitas públicas e os correspondentes recursos vinculados à educação. Os indicadores gerados pelo SIOPE vão assegurar ainda maior transparência da gestão educacional.
O SIOPE apresenta as seguintes características:
Inserção e atualização permanente de dados da União, pelos estados, pelo Distrito Federal e pelos municípios;
Caráter declaratório;
Processos informatizados de declaração, armazenamento, disponibilização e extração dos dados;
Publicidade das informações declaradas e dos indicadores calculados;
Realização de cálculo automático dos percentuais mínimos aplicados em manutenção e desenvolvimento de ensino de acordo com a metodologia adotada (para tomar conhecimento desta metodologia, consulte o manual disponível na seção Downloads);
Correspondência entre as informações declaradas na base de dados com os demonstrativos contábeis publicados pelos entes da federação.
De maneira simplificada, pode-se afirmar que a primeira função é processar as informações sobre o Fundo registradas pelos diversos parceiros. Permitindo o acesso da sociedade em geral a essas informações, inclusive aos Conselhos de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb, que poderão usá-las para estarem cientes dos investimentos públicos em educação promovidos pelo Poder Executivo local, estadual ou distrital.
ENTREVISTA COM CONSELHEIROS
Por meio das entrevistas com Conselheiros do Fundeb que atuam em nossa localidade, foi possível levantar informações técnicas sobre a organização e atuação do Conselho, dentre as quais:
a) O CACS está devidamente organizado, e possui a representação dos segmentos sociais previstos na Lei?
Sim. O conselho, conforme legislação tem representantes dos professores da educação básica pública municipal; representante dos diretores das escolas públicas municipais; representante dos servidores técnico-administrativos das escolas públicas municipais; representantes de pais de alunos da educação básica pública municipal; representantes dos estudantes da educação básica pública municipal; representante do Conselho Municipal de Educação (caso exista no município); representante do Conselho Tutelar (caso exista no município).
b) Os conselheiros conhecem a legislação referente ao Fundeb?
 Sim, todos os conselheiros receberam o manual de orientação e foram convidados para uma formação, da qual participaram a maioria dos conselheiros.
c) Há um processo interno de discussões quanto às atribuições e competências desse colegiado?
Sim nas reuniões mensais.
d) Foi aprovada legislação específica para a criação do CACS local?
Sim
e) O conselho está em situação regular junto ao FNDE, ou seja, efetuou o devido cadastramento junto aquela Autarquia?
Sim.
f) O conselho tem recebido apoio do Poder Executivo local (Prefeitura, Secretaria de Educação, etc...) para exercer suas funções?
Sim.
g) O conselho possui regimento interno?
Sim.
h) O CACS tem o hábito de se reunir para deliberar sobre as questões de sua responsabilidade?

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.