FAMILIA 1A - RELATÓRIO
12 pág.

FAMILIA 1A - RELATÓRIO


DisciplinaQuímica Inorgânica I3.310 materiais29.485 seguidores
Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA \u2013 UESB
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS \u2013 DCEN 
COLEGIADO DO CURSO DE QUÍMICA
QUÍMICA COM ATRIBUIÇÕES TECNOLÓGICAS 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: METAIS ALCALINOS \u2013 OBTENÇÃO E IDENTIFICAÇÃO.
(Data do procedimento: 14/02/2019).
Relatório apresentado a Prof. Docente Graziele Sales da Disciplina de Química Inorgânica do curso bacharelado em Química com Atribuições Tecnológicas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia \u2013 UESB/ Campus de Itapetinga. Realizado por Eliane Caldas, Lorena Lima, Pedro Henrique e Robson Almeida. 
Itapetinga \u2013 BA
2019
Sumário
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA.................................................................................03
OBJETIVO.................................................................................................................05
TABELAS...................................................................................................................06
PROCEDIMENTOS...................................................................................................07
APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS......................................	...08
CONCLUSÕES......................................................................................................	....11
Recredenciada pelo Decreto Estadual Nº 16.825, de 04.07.201
REFERÊNCIAS.........................................................................................................12
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 
 
 Desde o Iluminismo e, posteriormente, a Revolução Francesa, o caráter químico e científico acentuou-se expressivamente nas sociedades mundiais. Nesta perspectiva, é válido ressaltar a importância dos elementos da família 1A da tabela periódica no âmbito da ciência e, exclusivamente da química moderna. Os membros do grupo 1 são chamados de metais alcalinos. Uma das características marcantes do grupo é a semelhança das propriedades químicas dos seus elementos. Não obstante, existem diferenças e a sutileza de algumas dessas diferenças é a base da propriedade mais sutil da matéria: a consciência. O pensamento humano que se baseia na transmissão de sinais pelos neurônios, é produzido pela ação combinada íons sódio e potássio e sua migração cuidadosamente regulada através das membranas. Dessa forma, até para aprender sobre o sódio e o potássio precisa-se usá-los em nosso cérebro. 
 A configuração dos elétrons de valência dos metais alcalinos é ns1, em que n é o número do período. Suas propriedades químicas e físicas são dominadas pela facilidade com que o elétron de valência pode ser removido. Dentre todos os metais, os metais alcalinos são os mais reativos \u2013 respectivamente de acordo com o tamanho do raio atômico, do menor para o maior \u2013 lítio, sódio, potássio, rubídio, césio e frâncio. Os metais puros são obtidos através da eletrolise de sais fundidos, como no processo eletrolítico de Downs ou, no caso do potássio, pela exposição de cloreto de potássio fundido ao vapor.
KCl(l) + Na(g) NaCl+(l) + K- (g) 
 Todos os elementos do grupo 1 são metais da cor cinza prateada. Como sua camada de valência só tem um elétron, a ligação no metal puro é fraca, levando a pontos de fusão, pontos de ebulição e densidades baixas. Essas propriedades aumentam de cima para baixo no grupo, à medida que o tamanho do átomo aumenta. Por exemplo, os pontos de fusão dos metais alcalinos diminuem de cima para baixo no grupo. O césio, que se funde a 28ºC, é liquido em um dia quente. O lítio é o metal alcalino mais duro, mas mesmo assim é mais macio do que o chumbo. O frâncio é intensamente radioativo e pouco se conhece sobre as propriedades desse elemento muito raro. (ATKINS, 2006). 
 O metal lítio tinha poucas avaliações até a II Guerra Mundial, quando as armas termonucleares foram desenvolvidas. Essas aplicações teve um efeito sobre a massa molar do lítio, como só o lítio-6 podia ser usado nessas armas, a proporção de lítio-7 e, em consequência, a massa molar do lítio disponível no comércio aumentou. Uma aplicação crescente do lítio disponível no comércio é nas baterias recarregáveis de íon-lítio. Como o lítio tem potencial padrão mais negativo de todos os elementos, ele pode produzir um alto potencial quando usado em células galvânicas. Além disso, como tem densidade muito pequena as baterias de íon-lítio são leves. 
 A energias de ionização dos metais alcalinos são pequenas e, assim, eles existem em seus compostos como cátions de carga unitária, como o Na+. Em sua maior parte, seus compostos são iônicos. As baixas energias de ionização tornam os metais do grupo 1 excelentes agentes redutores. Esse poder de redução é usado comercialmente na extração de alguns metais que, de outra forma, seriam difíceis de obter. O metal sódio fundido, por exemplo, é usado na produção de zircônio e titânio, a partir de seus cloretos. Outras aplicações comuns do sódio e de seus compostos incluem as lâmpadas de iluminação pública a vapor de metal (que produzem uma característica cor amarela quando uma descarga elétrica é passada através do seu vapor) o sal de cozinha, o bicarbonato de sódio e soda cáustica (NaOH).
 O rubídio e o césio, por sua vez, são usados frequentemente nas mesmas aplicações, e um elemento pode muitas vezes ser substituído pelo outro. O mercado para estes elementos é pequeno, mas altamente especializado. A aplicações incluem vidros para utilização em fibras ópticas na indústria de telecomunicações, equipamentos de visão noturna e células fotoelétricas. O \u201crelógio de césio\u201d (relógio atômico) é usado para medir o tempo internacional e para definição do segundo e do metro. (SHRIVER; ATKINIS, 2008). 
\u2018
OBJETIVOS
Avaliar a reatividade dos metais alcalinos;
Identificar metais alcalinos através do teste da chama;
Reconhecer o caráter iônico dos compostos alcalinos;
Analisar o caráter ácido-base de compostos dos elementos metais alcalinos;
Tabela 01 \u2013 Tabela reagentes
	REAGENTES
	Concentração
	QUANTIDADE
	Cloreto de sódio(s)
	----------------------------------
	-----------------------------------
	Sódio(s)
	-----------------------------------
	1
	Cloreto de Potássio(s)
	-----------------------------------
	-----------------------------------
	Sulfato de Lítio
	-----------------------------------
	-----------------------------------
	Água destilada
	-----------------------------------
	-----------------------------------
	Fenolftaleína
	-----------------------------------
	2 gotas
	Ácido clorídrico
	-----------------------------------
	3mL
Tabela 02 \u2013 Tabela de equipamentos
	Equipamentos
	Capacidade
	Quantidade
	Placa de Petri
	-----------------------------------
	1
	Conta gotas
	-----------------------------------
	1
	Espátula metálica
	-----------------------------------
	4
PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL 
 A princípio, no primeiro experimento realizado, utilizou-se uma cápsula de porcelana pequena e colocou-se metade do seu volume de água destilada e, posteriormente, adicionou-se duas gotas de fenolftaleína. Por sua vez, cortou-se um pedaço do metal sódio(s), cuidadosamente em fragmento pequeno, a partir de então, o metal de sódio fragmentado foi colocado dentro da placa de Petri que continha a água e a fenolftaleína. Portanto, a partir da reação consequente, foram feitas as anotações no intuito de demonstrar os seus resultados e discussões.
 Por sua vez, no segundo experimento, utilizou-se três reagentes, respectivamente \u2013 cloreto de sódio, cloreto de potássio e sulfato de lítio monohidratado \u2013 e com uma espátula metálica, individualmente, cada reagente foi colocado sobre a chama acesa no bico de Bunsen. Sendo assim, foi notório identificar as diferentes cores apresentadas sobre cada