A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Ventilação, perfusão e relação VQ

Pré-visualização | Página 2 de 2

alveolar é a mesma em todo o pulmão, a 
diferença de pressão responsável pelo fluxo aumenta progressivamente. 
Além disso, há crescente recrutamento de capilares (isto é, capilares 
previamente fechados se abrem) ao longo desta zona. 
Sendo assim, na zona 2 começamos a ter perfusão e que vai aumentando à 
medida que vai entrando na zona 3. É uma perfusão esporádica. 
• Zona 3: Pa > Pv > PA 
Na zona 3 a pressão venosa também já excede a pressão alveolar, e a 
perfusão é determinada pela diferença de pressão entre a artéria e a veia. 
O aumento do fluxo sanguíneo ao longo desta zona é aparentemente 
causado pela distensão dos capilares. 
É uma perfusão constante. 
Obs: a perfusão vai mudar de acordo com a gravidade, só que em menor tamanho que na ventilação. 
Lembrando que quanto maior a perfusão, maior a troca gasosa. 
 
Tanto a ventilação quanto a perfusão são maiores na base do pulmão e decrescem em direção ao ápice. 
Contudo, a variação do fluxo é muito maior que a variação da ventilação. 
À medida que vai para o ápice essa relação inverte. Em resumo, a base é mais ventilada e perfundida 
do que o ápice, mas a relação ventilação-perfusão é maior no ápice. 
• Distúrbios da relação V/Q 
Quando a ventilação ou perfusão de uma unidade alveolar é 
alterada, sua composição gasosa se aproxima daquela do sangue 
venoso misto ou, inversamente, daquela do ar inspirado. 
Efeito Shunt – é observado na via aérea que não permite que o 
alvéolo seja ventilado, não havendo troca gasosa. Perfusão sem 
ventilação. 
 V/Q,  PO2  PCO2 – vasoconstrição hipóxica 
Efeito espaço morto – tem ventilação sem perfusão. Ocorre na embolização, compressão dos vasos 
por alta pressão alveolar e hipotensão, por exemplo. 
B i a n c a L o u v a i n F i s i o l o g i a I I I | 4 
 
 
Como um gás se difunde em uma direção? Quão rápido ocorre? 
A difusão ocorre pelo gradiente de pressão, onde quanto maior a superfície de contato maior a difusão. 
Espessura da membrana também é capaz de interferir na difusão, quanto maior a espessura menor a 
troca gasosa. Ex: asma. 
Obs: CO2 tem maior facilidade de difundir que o oxigênio, cerca de 20 vezes mais. 
O ar possa entra e sai através de um deslocamento em massa, na 
difusão é diferente. O que vai importar é a composição dos gases 
e o quanto de pressão está chegando. 
No enfisema pulmonar ocorre destruição dos alvéolos e 
diminuição da área de troca,  perfusão e  a velocidade da 
difusão. 
A difusão através dos tecidos é um processo passivo regido pela 
lei de Fick, em que a velocidade de transferência de um gás 
através de um tecido é proporcional à área de tecido e ao 
gradiente de pressão parcial do gás entre os dois lados e é 
inversamente proporcional à espessura do tecido. 
• Transporte de O2 
O transporte de gases ocorre dissolvido no plasma. O oxigênio, especialmente, será transportado 
dissolvido no plasma ou, na maior parte dos casos, ligado reversivelmente à proteína hemoglobina 
(proteína existente no interior das hemácias). 
Cada molécula de hemoglobina, portanto, é capaz de transportar no máximo quatro moléculas de O2. 
A quantidade de oxigênio dissolvido vai ser proporcional à sua pressão parcial no sangue – lei de 
Henry. Quanto maior a quantidade de oxigênio no sangue maior a quantidade de oxigênio dissolvido 
no mesmo. 
Saturação da hemoglobina 
• HbO2 x 100/Hb = saturação de O2 
A quantidade total de O2 é o conteúdo de O2 dissolvido + hemoglobina ligada. 
Há quatro fatores bem conhecidos que alteram a interação do O2 com a hemoglobina: a PC02, o pH, a 
temperatura e o nível de 2,3-difosfoglicerato. 
• Transporte de CO2 
Pode estar tanto no plasma como na hemácia. 
• O dióxido de carbono é transportado no sangue como: 
• CO2 dissolvido; 
• Íons bicarbonato (HC03-) – principal; 
• Carbaminohemoglobina; 
• Outros compostos carbamínicos. 
Quando se analisa o sangue para determinar seu teor total de CO2, estão incluídas todas essas formas 
moleculares. 
A maior parte do CO2 combina-se com a água, formando ácido carbônico (H2CO3), que se dissocia em 
H+ e HC03 -. Ao contrário da reação química similar que se dá no plasma, no interior da hemácia 
existe uma enzima catalisadora, a anidrase carbônica, que acelera a conversão de CO2 e H2O em 
H2C03 (e vice-versa). 
A alta relação ventilação-perfusão é capaz de eliminar o excesso de CO2 retido em uma zona de baixa 
relação ventilação-perfusão.