A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Resumo para prova de habilidades médicas II

Pré-visualização | Página 3 de 3

– são resultantes de procedimentos ou tratamentos; 
• Causas externas – causadas por lesão contínua, fricção, umidade. Ex: lesão por pressão. 
Quanto à evolução: 
• Agudas – geralmente são feridas traumáticas. Ex: cortes e queimaduras; 
• Crônicas – geridas de longa duração ou recorrência frequente. Ex: Úlcera. 
Quanto à presença de infecções: 
• Limpa – em condições assépticas e isenta de microorganismos; 
• Limpa contaminada – lesão com tempo inferior a 6 horas entre o trauma e o atendimento sem 
contaminação significativa (baixa colonização); 
• Contaminada – lesão com tempo superior a 6 horas e com presença de contaminação (contagem de 
microorganismos inferior a 1 UFG/g de tecido); 
• Infectada – presença de agente infeccioso local e intensa reação inflamatória (cont.de 
microorganismo. Acima de 10 UFG/g de tecido). 
Quanto ao comprometimento tecidual: 
• Estágio I – pele íntegra, hiperemiada, edemaciada 
ou endurecida; 
• Estágio II – perda parcial da epiderme e derme. 
Ulceração superficial; 
• Estágio III – perda total da epiderme, derme e tecido 
subcutâneo podendo chegar a fáscia muscular; 
• Estágio IV – perda total das camadas da pele com 
destruição tecidual, com necrose, atingindo músculo, 
tendão e osso. 
Como e por que avaliar a ferida? 
Escala de Braden: de acordo com o estágio de 
comprometimento. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bianca Louvain Habilidades Médicas II | P á g i n a 9 
 
Métodos de avaliação da ferida: 
• Mensuração (Dimensões); 
• Registro fotográfico; 
• Registro no prontuário (Evolução da cicatrização); 
• Avaliação semanal ou sempre que ocorrer alguma mudança. 
• Tamanho: medida; 
• Localização: anatômica; 
• Profundidade: estadiamento, mensuração por instilação de soro ou fitas estéreis; 
• Bordas; 
• Presença de exsudato. 
Seroso: claro, plasma aguado; 
Sanguinolento: vermelho vivo, indica sangue ativo; 
Purulento: grosso, amarelo, verde ou marrom; 
Serossanguinolento: pálido c/ presença de sangue (mistura de seroso com sanguinolento); 
Odor: Inodoro ou fétido. 
Avaliação de feridas por cores (sistema RYB): 
• Proteger a vermelha; 
• Limpar a amarela; 
• Desbridar a preta. 
Preta → Amarela → Vermelha 
 
Forma de proteção da lesão ou ferida contra a ação 
de agentes externos físicos, mecânicos ou biológicos. 
É um meio que consiste na limpeza e aplicação de 
uma cobertura estéril em uma ferida. 
• Manter a ferida úmida; 
• Remover o excesso de secreção; 
• Permitir a troca gasosa; 
• Fornecer isolamento térmico; 
• Ser impermeável às bactérias; 
• Ser isento de partículas; 
• Permitir a retirada do curativo sem trauma. 
• Absorver e facilitar a drenagem de exsudato; 
• Proteção contra infecções (impermeabilidade às bactérias); 
• Tratar e prevenir infecções; 
• Eliminar os fatores desfavoráveis a cicatrização; 
• Diminuir a incidência de infecções cruzadas 
• Remover corpos estranhos; 
• Reaproximar bordas separadas; 
• Proteger a ferida contra contaminação e infecções; 
• Promover hemostasia; 
• Reduzir o edema; 
• Promover a cicatrização da ferida; 
• Diminuir a dor. 
No prontuário: 
• Registro claro e conciso; 
• Características da ferida; 
• Comunicação multidiscilplinar; 
• Respaldo legal. 
 
 
 
 
 
Bianca Louvain Habilidades Médicas II | P á g i n a 10 
 
 
Dependendo da quantidade de tecido lesado ou perdido, da causa da lesão, da presença ou não de 
infecção, a cicatrização de uma ferida pode ser: 
• Primeira Intenção – ferida limpa com bordos próximos e quando é possível fazer a junção dos 
bordos por meio de sutura ou aproximação. Ex: Feridas cirúrgicas; 
• Segunda Intenção – quando ocorre perda acentuada de tecido, há presença de infecção, não é 
possível fazer a junção dos bordos. Há necessidade da formação de tecido de granulação. 
Ex: úlceras venosas, abscessos, fístulas, etc; 
• Terceira Intenção – feridas que apresentam fatores que retardam o processo de cicatrização 
como: inserção de drenos, ostomias e feridas cirúrgicas infectadas. 
 
Fatores locais: 
• Pressão; 
• Ambiente seco; 
• Infecção; 
• Necrose; 
• Eliminações fisiológicas; 
• Traumatismo e edema. 
Fatores sistêmicos: 
• Idade; 
• Biótipo; 
• Doenças crônicas; 
• Condições nutricionais; 
• Insuficiências vasculares; 
• Sistema imunológico; 
• Medicamentos ou tratamentos (radioterapia). 
 
• Infecção – drenagem de material purulento ou inflamação dos bordos da ferida (pode gerar 
osteomelite, sepse); 
• Hemorragia – interna (hematoma) ou externa; 
• Deiscência – separação das camadas da pele e tecido (3 a 11 dias após a lesão); 
• Evisceração – protrusão dos órgãos viscerais através da abertura da ferida; 
• Fístula – comunicação anormal entre dois órgãos ou entre um órgão e a superfície do corpo.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.