A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Cardio: eletrofisiologia cardíaca

Pré-visualização | Página 3 de 3

de ação. 
Pode ser causado por dois motivos: 
• Canais de Na+ que ainda não retornaram ao seu estado de inativação; 
• Os canais de K+ ainda estão abertos, produzindo um estado de hiperpolarização, que dificulta a 
estimulação da célula. 
PRA: a inativação constante de canais de Na+ voltagem dependentes levam a patologias como a 
arritmia, onde parte do ventrículo está disparando e causando um descompasso. 
 
As ondas de excitação que se movem através do coração geram 
correntes que podem ser registradas na superfície do corpo para 
produzir um eletrocardiograma (ECG). 
Um registro típico de ECG compreende várias formas 
distintas de ondas correspondentes à excitação dos átrios 
(onda P/despolarização atrial), do septo ventricular, ápice e 
paredes livres (Q, R e S/despolarização ventricular) e, 
então, à repolarização dos ventrículos (onda T). 
O tempo de duração, a magnitude e a forma dessas ondas podem 
ser utilizados para diagnosticar defeitos na função cardíaca. 
Quando existe uma alteração nas vias normais de condução, o 
período entre a onda P e o complexo QRS é prolongado (“bloqueio”). 
• Um aumento no comprimento da uma onda P ou do complexo 
QRS é indicativo de uma hipertrofia. 
• O alargamento do complexo QRS pode ser indicativo de um 
marca-passo ectópico. 
• O deslocamento de um segmento pode ser indicativo de 
isquemia e infarto.