Unidade I e sua relação com o curta-metragem Meu Amigo Nietzsche
3 pág.

Unidade I e sua relação com o curta-metragem Meu Amigo Nietzsche


DisciplinaPrática Educativa I17 materiais63 seguidores
Pré-visualização1 página
FUNDAÇÃO TÉCNICO-EDUCACIONAL SOUZA MARQUES
	Disciplina:
	PRÁTICA EDUCATIVA I
	Aluno(a):
	 Bianca Rodrigues Guterres
	Atividade:
	Unidade I e sua relação com o curta-metragem  "Meu Amigo Nietzsche".
Unidade I e sua relação com o curta-metragem  "Meu Amigo Nietzsche".
Vamos começar por dizer que a filosofia é um corpo de conhecimento constituído a partir de um esforço que o ser humano vem fazendo para compreender o seu mundo e dar-lhe um sentido, um significado compreensível. Corpo de conhecimentos, em filosofia, significa um conjunto coerente e organizado de entendimentos sobre a realidade. Conhecimentos estes que expressam o entendimento que se tem do mundo, a partir de desejos, anseios e aspirações. (LUCKESI, ÁVILA, s.d., p.5)
A filosofia se manifesta ao ser humano como uma forma de entendimento que tanto propicia a compreensão da sua existência, em termos de significado, como lhe oferece um direcionamento para sua ação, um rumo para seguir ou, ao menos, para lutar por ele. Ela estabelece um quadro organizado e coerente de \u201cvisão de mundo\u201d sustentando, consequentemente, uma proposição organizada e coerente para o agir. Nós não \u201cagimos por agir\u201d. Agimos, sim, por uma certa finalidade, que pode ser mais ampla ou mais restrita. (LUCKESI, ÁVILA, s.d., p.6)
No curta metragem de Fáuston Da Silva, Meu amigo Nietzsche, um jovem prestes a repetir de ano na escola, devido às suas notas baixas, inicia a leitura de uma famosa obra do filósofo alemão Nietzsche, \u201cAssim falou Zaratustra\u201d. 
O jovem foi aconselhado pela sua professora a ler mais para aumentar as suas notas e assim o rapaz começou a ler anúncios, muros e cartazes pelas ruas. 
Ao correr atrás de uma pipa com seus amigos, o jovem violou um aviso de proibida passagem por crianças e entra em um lixão, onde neste local o menino encontra a literatura do filósofo alemão Nietzsche, \u201cAssim falou Zaratustra\u201d. 
O jovem encontrou dificuldades para ler o nome do autor do livro, tendo assim um motivo para desistir logo da leitura. Apesar desta dificuldade e da falta de incentivo da família, escola e comunidade religiosa, o jovem permaneceu tentando decifrar o livro.
Na saga de tentar entender o livro, o menino procurou ajuda de sua família, sua escola, sua comunidade e até de um líder religioso, porém as ajudas não o levaram à compreensão do livro.
Apesar da educação ser considerada um bem social, por ignorância, as pessoas ao seu redor limitaram a leitura do livro após notar a mudança de comportamento do jovem.
O menino adquiriu conhecimento, porém não compreendeu de fato o livro já que não entendeu o contexto, pois houve uma falta de interpretação correta do livro. Mas a leitura fez com que o menino tirasse notas boas e também adquiriu conhecimento para comunicar-se com seus amigos e uma boa capacidade de persuadir e dialogar. Em uma parte do vídeo, o menino convence de seus colegas da escola serem \u201csuper homens\u201d, confirmando que a leitura gera questionamentos, dúvidas e saber. 
Logo ao relacionar o curta metragem de Fáuston Da Silva, Meu amigo Nietzsche com o conteúdo da unidade 1, é possível concluir que a leitura /filosofia, além de apresentar relevante contribuição ao processo ensino/aprendizagem, em geral constitui-se num meio eficaz de aperfeiçoamento da competência linguística, principalmente no nível vocabular. O bom domínio da habilidade em leitura é o melhor instrumento que o indivíduo adquire para penetrar no imenso campo de possibilidades que a ciência e a cultura lhe oferecem. 
A leitura é algo muito amplo, não pode apenas ser considerada como uma interpretação dos signos do alfabeto. Produz sentido, ou seja, surge da vivência de cada um, é posta como prática na compreensão do mundo na qual o sujeito está inserido. Tal aprendizagem está ligada ao processo de formação geral de um indivíduo e sua capacitação dentro da sociedade, como por exemplo: a atuação política, econômica e cultural, o convívio com a sociedade, seja dentro da família ou no trabalho.
A leitura é uma atividade prazerosa e poderosa, pois desenvolve uma enorme capacidade de criar, traz conhecimentos, promovendo uma nova visão do mundo.
São várias as qualidades despertadas pelo hábito da leitura nas crianças, como por exemplo, a criatividade à medida que lhe proporciona oportunidades de conhecer alternativas para questões reais e cotidianas. A visão de mundo, o conhecimento de culturas, situações, pessoas e ideias diferentes, tais conceitos nos auxiliariam, por exemplo, no combate ao preconceito, abrindo assim a mente para o diferente.