A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
ctb-resumo-parte1

Pré-visualização | Página 1 de 10

Caderno: Concurso Detran
Criada em: 13/06/2019 14:46 Atualizado … 06/07/2019 19:26
Autor: Josh Local: 23°31'55 S 46°39'11 W
URL: https://dicionario.priberam.org/avocar
CTB Resumo - Parte 1 - Disposições preliminares - Competências do SNT - NGCC
- Penalidades - Medidas Adm - Processo Adm
CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO
LEI 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997
 
Parte 1
 
Capítulo 1 - Das Disposições Preliminares
Art 1º  Art. 1º O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres
do território nacional, abertas à circulação, rege-se por este Código.
 § 1º (caiu em prova) - Considera-se trânsito a utilização das vias
por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos,
conduzidos ou não, para fins de circulação, parada,
estacionamento e operação de carga ou descarga.
§ 2º (caiu em prova) - o trânsito em condições seguras é um
direito de todos e dever dos órgãos componentes do SNT,
cabendo a estes tomar as medidas para assegurar esse direito.
NE: âmbito de competência dos órgãos:  Art. 23 da CF: É
competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal
e dos Municípios:  XII - estabelecer e implantar política de
educação para a segurança do trânsito
§ 3º (caiu em prova) - os órgãos do SNT respondem
objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de
omissao ou erro na execução e manutenção de programas
projetos e servicos que garantam o direito do transito seguro.
NE: a palavra objetivamente se refere ao artigo 37 da CF, e
significa que a reparação do dano causado pelo Estado
independe do dolo ou culpa das pessoas envolvidas no dano,
não precisa de comprovação de dolo ou culpa.
§ 5º (caiu em prova) - os orgaos do SNT darão prioridade em
suas acoes a defesa da vida, preservacao da saude e do meio-
ambiente.
Art 2º - São vias terrestres urbanas e rurais as ruas, avenidas,
logradouros, caminhos, passagens, estradas e as rodovias.
Dica de fixação: RAPEL
Ruas
Avenidas
Passagens e caminhos
Estradas e rodovias
Logradouros
PU: são consideradas vias terrestres as praias abertas à circulação
pública, as vias internas pertencentes aos condomínios e as vias
e áreas de estacionamentos privados de uso coletivo.
Art 3º - As disposições deste código são aplicáveis a qualquer veículo,
bem como aos proprietários, condutores dos veículos nacionais ou
estrangeiros.
Capítulo 2 - Sistema Nacional de Trânsito
Seção 1 - Disposições gerais
Art 5º - O SNT é o conjunto de órgãos e entidades da União, Estados,
do DF e dos Municípios.
Tem por finalidade: atividades de planejamento, administração,
pesquisa, normatização, registro, licenciamento de veículos,
julgamento de infrações e de recursos e aplicação de
penalidades.
PPP - AFEE Maria - FHC - JORNAL
PPP: planejamento, pesquisa, policiamento
AFEE Maria: administração, formação, educação, engenharia
FHC: fiscalização, habilitação, reciclagem de Condutores
JORNAL: julgamento infrações, operação sist. viario, registro veic.,
normatização, aplicação penalidades, licenciamento veic
Art 6º - Objetivos básicos do SNT:
estabelecer diretrizes da Política Nacional de Trânsito, com
vistas a segurança, fluidez, conforto, defesa ambiental e à educação
para o trânsito e fiscalizar seu cumprimento;
fixar normas e procedimentos e padronização de critérios
técnicos, financeiros e administrativos;
estabelecer a sistemática de fluxos de informações entre seus
diversos órgãos --> integração do Sistema.
Seção 2 - Composição e Competência do SNT
Art 7º - Compõem o SNT:
CONTRAN - Conselho Nacional de Trânsito - órgão máximo
normativo e consultivo e coordenador do sistema (NE: caiu em
prova: o contran não é o coordenador máximo -- o coordenador
máximo é o ministério ao qual o contran está vinculado - artigo 9º -
atualmente o ministério da infraestrutura -- os dois coordenam, mas
o ministério é o coordenador máximo)
CETRAN - Conselhos Estaduais de Trânsito 
CONTRANDIFE - Conselho de Trânsito do Distrito Federal;
órgãos e entidades executivos de trânsito da União, Estados, DF e
Municípios;
órgãos e entidades executivos rodoviários da União, Estados, DF e
Municípios;
Polícia Rodoviária Federal;
Polícias Militares dos Estados e do DF;
JARI - Juntas Administrativas de Recursos de Infrações.
Art 7º-A - Autoridade portuária poderá celebrar convênio com os órgãos
previstos no artigo 7º para facilitar a autuação por descumprimento da
legislação de trânsito.
Art 10º - O CONTRAN tem sede no DF e é presidido pelo órgao maximo
executivo da Uniao. (NE: ou seja: o presidente preside ao mesmo tempo o
CONTRAN e o DENATRAN).
Composição do CONTRAN (caiu em prova)
um representante do Ministério de Ciencia e Tecnologia
um representante do Ministério da Educacao e desporto
um representante do Ministério do Exercito
um representante do Ministério do Meio ambiente e amazoia
lesgal
um representante do Ministério ministerio dos transportes
um representante do Ministério ou orgao coordenador do SNT
um representante do Ministério da Saude
um representante do Ministério da Justica
um representante do Ministério do Desenvolvimento, industria e
comercio exterior
um representante da ANTT
Art 12º - Compete ao CONTRAN:
vide tabela 1 abaixo
Art 13º - Câmaras Temáticas - órgãos técnicos vinculados ao
CONTRAN de especialistas para estudar e oferecer sugestões e
embasamento técnico  sobre assuntos específicos para decisões
daquele colegiado. -- NE: é nelas que nascem as resoluções do CONTRAN
§ 1º Cada Câmara é constituída por especialistas representantes de
órgãos e entidades executivos da União, dos Estados ou do Distrito
Federal e dos Municípios, em igual número, pertencentes ao
Sistema Nacional de Trânsito, além de especialistas representantes
dos diversos segmentos da sociedade relacionados com o trânsito,
todos indicados segundo regimento específico  definido pelo
CONTRAN e designados pelo ministro ou dirigente  coordenador
máximo do Sistema Nacional de Trânsito.
§ 3º (caiu em prova) - Os coordenadores das Câmaras Temáticas
serão eleitos pelos respectivos membros
Art 14º - Compete aos CETRAN e CONTRANDIFE:
vide tabela 1 abaixo
NE: quem dirime os confiltos sobre circunscricao e
competencias do transito: 
UNIAO X ESTADO: CONTRAN
UNIAO X DF: CONTRAN
ESTADO X ESTADO: CONTRAN
ESTADO X DF: CONTRAN
MUNICIPIO X MUNICIPIO: CETRAN
Tabela 1: das Competências no nível dos órgãos normativos e consultivos:
CONTRAN, CETRAN e CONTRANDIFE
 
CONTRAN CETRAN/CONTRANDIFE
Estabelecer as normas regulares referidas
neste código e as diretrizes da PNT;
Elaborar normas no âmbito das respectivas
competências.
Coordenar os órgãos do SNT, objetivando a
integração de suas atividades
Cumprir e fazer cumprir a legislação e as
normas de trânsito, no âmbito das
respectivas atribuições.
Criar Câmaras Temáticas
Responder a consultas relativas à aplicação
da legislação e dos procedimentos
normativos de trânsito.
Estabelecer seu regimento interno e as
diretrizes para o funcionamento dos
CETRAN e CONTRANDIFE
Estimular a orientar a execução de
campanhas educativas de trânsito.
Estabelecer diretrizes para o regimento das
JARI
Julgar os recursos interpostos contra
decisões:
 a) das JARI (NE: o CETRAN é uma segunda
instancia de recursos de multa. Se voce perde
na JARI, pode recorrer, em alguns casos, para
o CETRAN.)
b) dos órgãos e entidades
executivos estaduais, nos casos de inaptidão
permanente nos exames de aptidão física e
mental ou psicológica
Desses casos, não cabe recurso na esfera
administrativa.
Zelar pela uniformidade e cumprimento das
normas contidas neste Código e nas
resoluções complementares
Indicar um representante para compor a
comissão examinadora de candidatos
portadores de deficiência física à habilitação
para conduzir veículos automotores.
Estabelecer e normatizar procedimentos
para aplicação das multas por infrações, a
arrecadação e o repasse dos valores
arrecadados.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.