A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
MONARQUIA E REVOLUÇÕES INGLESAS

Pré-visualização | Página 1 de 1

MONARQUIA E REVOLUÇÕES INGLESAS 
 
A Inglaterra teve uma monarquia tardia. 
 1066-1199: 
Guilherme 1, o conquistador: batalha de Hastings - dá início 
a monarquia inglesa a partir da expulsão de um líder 
bárbaro. 
Henrique 2: padroniza leis na Inglaterra - favorecimento do 
comercio. 
Ricardo coração de leão: terceira cruzada (fracasso), 
aumento de impostos para aristocracia, oposição da 
aristocracia. 
João sem-terra: aumento de impostos e tenta pegar as 
terras da igreja. Sofre uma revolta feudal. Assina a MAGNA 
CARTA - documento que limita o poder do rei pela 
necessidade da aprovação do parlamento (poder 
legislativo). 
Henrique 3: aumento dos poderes do parlamento, 
parlamento bicameral (com duas camaras). Essas duas 
camaras começam a ter interesses em comum: a nobreza 
(lordes) com grande criação de ovelhas e a burguesia com 
manufaturas que transformava a lã em fios de lã .l 
(burguesia vendia o fio) - os dois com interesses em 
comum. Ocorre o aburguesamento da nobreza. 
Essa união deu origem a LEI DOS CERCAMENTOS. Essa lei 
proibiu os mansos comunais livres onde os camponeses 
plantavam etc. Os mansos comunais foram cercados e se 
tornaram privados a fim de explorar a criação de ovelhas 
aumentando o fornecimento de lã. Os camponeses que 
viviam na região fazem o êxodo rural e nas cidades se 
veriam obrigados a trabalhar nas manufaturas. 
Obs: Utopia (livro de Thomas Morus) 
- Guerra dos 100 anos: 
 
Inglaterra tenta controlar a região de Flandres. Mas, ha a 
derrota inglesa. Com isso, a Inglaterra perde parte do 
contato com Flandres, assim a nobreza e a burguesia 
perdem poder juntas e como consequência o rei, visto que 
a fraqueza do parlamento. 
Ha também, uma briga pelo poder entre duas famílias 
inglesas (Yorks x Lancasters): guerra das duas rosas. Vitoria 
dos Tudors (fusão entre Yorks e Lancasters) 
 
Henrique 7 (Tudor): fortalecimento do exército e do 
parlamento. 
Henrique 8: controle sob a religião - anglicanismo. 
Elizabeth 1 (1558-1603): se aproxima da burguesia, Lei dos 
39 artigos: permite que os anglicanos pratiquem o 
conteúdo do calvinismo (o acumulo de riquezas) criando 
uma vertente do anglicanismo: o PURITANISMO. Evitando 
guerras de religião na Inglaterra - estabilidade religiosa. 
Fortalece a marinha contratando piratas para invadir os 
países europeus - carta de corso. Funda a primeira colônia 
inglesa nos Estados unidos, a Virginia, colônia de 
exploração. Fixa, estabelece o absolutismo. A rainha morre 
sem deixar herdeiros diretos ao trono - deixa seu primo 
Jaime. 
Jaime 1: dinastia Stuart inspirada no absolutismo francês. 
Apoia a nobreza feudal, burguesia pagaria mais impostos. 
Perseguiu os puritanos. Queria fechar o parlamento 
desfavorecendo a burguesia. Em 1619 os puritanos vão 
para o norte dos E.U.A (NY), buscavam autonomia - colônia 
de povoamento. Os puritanos acreditam na predestinação 
e dizem que o Eua foi designado por Deus (DESTINO 
MANIFESTO). 
 
Carlos 1: fecha o parlamento por 12 anos. A Escócia deseja 
se separar do reino, para evitar isso o rei pede ajuda da 
burguesia para contratar exército prometendo abrir o 
parlamento. A burguesia ajuda e o rei abre e fecha o 
parlamento novamente. 
Com isso em 1641, a burguesia promove uma guerra civil 
(rei x burgiesia): REVOLUÇÃO PURITANA, com ajuda de 
parte do povo. O rei foi decapitado. 
 
Iluminismo (raiz nas revoluções inglesa puritana) soberania 
popular acima da soberania do rei. 
Republica puritana: 1649. 
Liderada por Oliver Cromwell 
aprova o ATO DE NAVEGAÇÃO 
(suspendendo o uso de piratas 
pelo uso da propria marinha) - 
base para a Inglaterra ser a 
rainha dos mares; isso 
incomoda muito os holandeses 
que começam a atacar os navios ingleses (guerra anglo-
holandesa). Cromwell fecha o parlamento. Inglaterra vence 
a Holanda no mesmo ano em que a Holanda deixa o Brasil. 
- Carlos 2: filho de Carlos 1 aparece e diz que se for coroado 
rei ele reabriria o parlamento, com apoio de burgueses e 
nobres ele se torna monarca. Carlos 2 se converte ao 
catolicismo o que atrapalha a burguesia - assim, grupos 
opostos da burguesia se juntam para lutar contra o rei. 
- Jaime 2: também rei católico, no seu reinado acontece a 
REVOLUCÃO GLORIOSA (revolução burguesa pautada em 
ideias iluministas) - rei é deposto e um protestante toma o 
poder. Guilherme d'Orange assina o Bill of Rights (carta dos 
direitos - constituição burguesa) 1688-1689. Fim do 
absolutismo na Inglaterra. 
Portanto, a Inglaterra é o primeiro Estado Burguês - 
burguesia com poder econômico e político. 
Essa revolução com o Bill of rights cria a primeira 
monarquia parlamentarista (o chefe de Estado, rei ou 
presidente, está submetido ao primeiro ministro - o 
parlamento controla o exército, criando a liberdade de 
expressão (1689), direito a propriedade privada). 
Inglaterra - primeiro Estado burguês livre do absolutismo 
com o caminho aberto para a burguesia proporcionar seu 
crescimento econômico.