Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Segmento dentro da porteira

Pré-visualização | Página 1 de 1

Segmento dentro da porteira:
Significado: Compreende desde as atividades iniciais de preparação para começar a produção até a obtenção dos produtos agropecuários in natura prontos para a comercialização. 
“Dentro da porteira” é tudo o que se refere à produção – plantio, manejo, colheita, beneficiamento, manutenção de máquinas, armazenamento dos insumos, descarte de embalagens de agrotóxicos e mão de obra. Nesse apresentação nós dividiremos em dois segmentos a produção agrícola e a produção pecuária. 
Agroindustrialização verticalizada não é considerada dentro da porteira porque seus produtos são processados dentro das fazendas o que caracteriza o segmento depois da porteira. 
Produção agrícola:
É uma das maiores do mundo e depende de fatores como o solo, o clima, e a extensão territorial. Essas características faz do Brasil um importante competidor Mundial, não só pela produção, mas também pela diversidade. Sendo destaque em na cana-de-açúcar (maior produtor), milho (3° maior) e soja (segundo maior). 
O que compreende a produção agrícola: compreende o conjunto de atividade desenvolvidas no campo, necessárias à preparação do solo, tratos culturais, colheita, transporte e armazenagem interna, administração e gestão dentro das unidades produtivas. 
Ciclo vegetativo: é o tempo necessário para que as plantas processem suas atividades biológicas para obtenção de produtos maduros. Vai da germinação até a colheita. 
Plantas anuais, perenes e semiperenes: 
Ciclo vegetativo: a planta nasce do processo de germinação, cresce se tornando uma muda, chega a fase adulta na qual está pronta para uma reprodução, onde também frutifica e por fim morre. 
ANUAIS: são aquelas que completam seu ciclo vegetativo e morrem em menos de um ano. Estas reproduzem apenas uma vez. Após o término da colheita é necessário repetir todo o processo de novo desde o preparo do solo. Ex: arroz, milho e amendoim.
BIANUAIS: são aquelas que levam mais de um ano para completar seu ciclo vegetativo. Ex: abacaxi, mandioca e cebola. 
PERENES: são aquelas que após plantadas reproduzem várias vezes sem a morte vegetativa da planta. Por anos elas florescem e frutificam sem a necessidade de novo plantio. Ex: limão, laranja e coco. 
SEMIPERENES: são aquelas que florescem e frutificam algumas poucas vezes sem necessariamente haver um novo plantio. Normalmente por dois ou três anos. Ex Bananeiras, açaí e cana-de-açúcar. 
Preparo do solo: Compreende as operações necessárias para coloca-los em condições ideais para a etapa de plantio. 
Nessa etapa, podemos destacar três tipos de preparo: o inicial, o periódico e o vertical. OLHAR NO PROXIMO SLIDE. 
Viveiro e mudas: 
VIVEIROS: Oferece condições especiais que facilitam as operações iniciais, permite melhores cuidados com as plantas recém nascidas e possibilita a seleção das melhores plantas.
MUDAS: São as plantas recém-nascidas, que podem ser levadas para locais definitivos já em condições de resistir melhor a fatores climáticos desfavoráveis.
Plantio: Essa etapa normalmente ocorre depois do preparo do solo e podem ocorrer utilizando dos seguintes materiais de propagação: as sementes muito comum no caso do arroz, do feijão e da soja; por meio de mudas como o café, o tomate e o alface e por meio de tolete como a cana de açúcar. 
A adubação é feita diretamente no ato do plantio, normalmente colocado abaixo ou na lateral das covas ou podem ser incorporados ao solo com objetivo de fornecer nutrientes para sustentar o desenvolvimento da planta.
Tratos culturais: é definido como as operações necessárias para que as plantas cresçam e se reproduzam. São elas: manutenção da cultura, combate a pragas e doenças, irrigação e adubação. 
MANUTENÇÃO DA CULTURA: A manutenção pode ser feita com a aplicação de herbicidas, remoções manuais ou mecânicas de plantas daninhas e utilizações de lonas. 
COMBATE AS PRAGAS E DOENÇAS: utiliza-se de inseticidas, fungicidas e similares quando podem causar danos econômicos. 
IRRIGAÇÃO: é necessário quando o solo e o clima não favorecem o desenvolvimento da cultura, ou seja, sua utilização é necessária para impedir o déficit hídrico. É necessário um planejamento da quantidade necessária para a cultura, qual o meio mais adequado para irrigação e a qualidade da água adicionada ao solo. 
ADUBAÇÃO: como vimos podem ser incorporados diretamente no solo ou sobre as folhas. Existem diferentes tipos como os com base de nitrogênio, os com base de potássio e aqueles que tem por finalidade fornecer os micronutrientes necessários ao solo. 
Colheita: É considerada a operação final no campo e para cada cultura, existe um tempo adequado ou ponto especifico e uma forma adequada para colheita. 
Existem três formas de colheita que são as mecanizadas em que toda a operação é realizada por maquinas e implementos agrícolas, as semi-mecanizadas que utilizam parte em máquina e parte com trabalhos manuais, e a colheita manual que é toda realizada por homens e que tem se tornado cada vez menos frequente. 
	O OBJETIVO é evitar perdas e obter produtos da elevada qualidade. 
Pós-colheita: Envolve os processos de transporte interno, armazenagem, classificação e embalagem efetuados nas fazendas. O objetivo desses procedimentos é impedir possíveis causas de danos, evitando perdas e valorizando o produto. 
Assim como na colheita, o pós colheita exige procedimentos/ operações especificas para cada cultua. 
Produção pecuária: 
Refere-se a criação de animais domesticados, incluindo as etapas do processo produtivo, desde as inversões em instalações, equipamentos, produção de alimentos, cuidados com os rebanhos até a venda dos animais e de seus produtos. 
Corresponde ao conjunto de técnicas utilizadas e destinadas à criação e reprodução de animais domésticos com fins econômicos, esses animais são comercializados e abastecem o mercado consumidor.
Sistemas de criação: 
Extensivo: animais criados soltos em grandes espaços. Os animais sofrem mais com as variações de clima e quantidade e qualidade do alimento e normalmente é destinado a produção de carnes e peles. É o caso da criação de ovinos, galinhas caipiras e alguns bovinos. 
Semi-extensivo: Os animais permanecem nos pastos apenas parte do dia e recebem alimentação suplementar. É destinado para a produção de carnes, pele e leite. É o caso dos bovinos. 
Intensivo: É mais característico de pequenas e médias propriedades, requer maiores investimentos e mão de obra. O animal recebe alimentação balanceada. É um sistema destinado a produção leiteira, a criação de aves e de suínos, peixes e bovinos. 
MANEJO: 
BOM: