A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
48 pág.
2 - sociologia

Pré-visualização | Página 17 de 19

representa
a) a preparação da casa para receber visitas.
b) o ocultamento dos bens para que os 
antropólogos não os furtem.
 Diferenças culturais
43Volume 2
c) a preparação de uma festa, porque os 
antropólogos são muito queridos.
d) o ocultamento dos bens para pedir e 
receber doações dos antropólogos.
e) o ocultamento dos bens para representar 
mais etnicidade aos antropólogos.
5 Analise a imagem a seguir:
 Essa imagem é de um bairro de São 
Paulo capital chamado Morumbi. A partir 
dela, podemos inferir que
a) algumas pessoas não se esforçam o 
sufi ciente e contentam-se com pouco.
b) as diferenças entre hábitos explica as 
diferenças de moradia e habitação.
c) a baixa renda explica a opção por locais 
menos asseados.
d) a desigualdade social produz o tipo de 
contraste exposto na fi gura.
e) a lotação das cidades gera desigualdades.
6 Sobre diferenças e desigualdades, considere 
as afi rmações a seguir:
 1) As desigualdades sociais são resultado 
do pouco empenho das pessoas em 
melhorar de vida.
 3) As desigualdades sociais excluem 
sistematicamente os menos favorecidos.
 5) As diferenças sociais geram as 
desigualdades, como o esforço leva ao 
progresso.
 7) Diferenças são resultado de adaptações 
ao meio social e material.
 9) Desigualdades são resultado de 
atribuição de valores para as diferenças e 
exclusão das menos valorizadas.
 A soma das alternativas corretas é:
a) 19.
b) 6.
c) 9.
d) 16.
e) 18.
Saiba mais
http://cnec.lk/05wx
 1) O riso dos outros. Documentário. Duração 51 min. Direção: Pedro Arantes. Lançamento TV 
Câmara, 01-12-2012.
 Esse documentário entrevista diversos humoristas e personagens da cena pública a respeito 
da seguinte pergunta: há limites para o humor? É importante ressaltar que foi produzido na época em que 
a revista Charlie Hebdo, de Paris, foi atacada por radicais islâmicos por causa das charges de “humor” sobre 
os muçulmanos. (http://cnec.lk/05wy)
 2) A hora da estrela. Drama. Duração: 90 min. Clarice Lispector. Direção: Suzana Amaral. 1985.
 O fi lme retrata o enredo do livro homônimo de Lispector. Mostras a inocência pisada e a pobreza 
anônima (termos da própria Clarice Lispector) de uma migrante nordestina no Rio de Janeiro, “tão pobre 
que só comia cachorro quente” (Lispector). Vale como discussão social da desigualdade e diferenças 
culturais. (http://cnec.lk/05wz)
Sociologia
44 1ª série do Ensino Médio
 3) Domésticas – o fi lme. Comédia. Duração 90 min. Direção: Fernando Meirelles, Nando Olival.
 Essa comédia mostra o dia a dia de empregadas domésticas pobres na cidade de São Paulo.
(http://cnec.lk/05x0)
 4) Muito além do cidadão Kane. Duração 90 min. Direção: Simon Hartog. BBC Londres, 1993.
 O fi lme documenta a produção ideológica massifi cada da televisão brasileira. O título faz alusão ao 
drama Cidadão Kane (Orson Welles,1941), que retrata a ascensão de um monopolista da imprensa dos EUA. 
(http://cnec.lk/05x1).
 5) Pajé Sapaim, o mensageiro do tempo. Documentário. Duração: 50 min. TV Cultura, 07-02-2010.
 O documentário aborda as crenças e curas em uma aldeia. Pode-se depreender do vídeo que os índios 
não ignoram a medicina ocidental, que os brancos adotam práticas de cura indígenas e que não é por ser 
índio que as pessoas não se interessam pela cidade e pela sua cultura. (http://cnec.lk/05x2, http://cnec.
lk/05x3, http://cnec.lk/05x5, http://cnec.lk/05x6, http://cnec.lk/05x4, 
 6) Ngune elü – o dia em que a lua menstruou. Documentário. Duração 50 min.. Direção: Tekumã 
Kuikuru e Coletivo Kuikuru de Cinema. Vídeo nas Aldeias, 2006.
 O vídeo mostra a cosmologia indígena dando signifi cados diferentes ao mundo e às relações sociais. 
Novamente é discutida a questão de que não se deixa de ser índio por se usarem bens oriundos dos branco. 
Pode-se problematizar ainda a ressignifi cação dos objetos ao serem inseridos em uma cultura outra. 
Quadro 1. Síntese dos/as principais autores/as
Correntes Autor/a
expoente
Problemáticas
abordadas
Temporalidade Conceitos Relações com
outras ciências
Evolucionismo Edward
Burnett
Taylor
Henry Lewis
Morgan, Sir
James
George
Frazer
Explicar a 
diversidade ao
longo do tempo
Justifi cação da
“colonização”: o
mais
desenvolvido
teria o dever
moral de levar o
progresso aos
menos
desenvolvidos
Raça, evolução Arqueologia,
Biologia,
Teoria de
Darwin
Difusionismo Humboldt,
Herder,
Ritter
Explicar a
diversidade ao
mesmo tempo
em espaços
distintos
Crença no 
progresso
científi co
racional, Belle
Époche
Cultura, traços
culturais,
comparação
Determinismo
geográfi co,
Arquiologia
Evolucionismo
Antropologia
social
(França)
Émile
Durkheim
Marcel
Mauss
Explicar
diversidade
social pela
própia
sociedade
Imperialismo:
invasão da 
Africa, Ásia e
Oceania
Representações
coletivas e
dádiva
Sociologia e
etnologia
 Diferenças culturais
45Volume 2
Estrutural-
funcionalismo
(Reino Unido)
Alfred
Radcliff e-
Brown
Bronislaw,
Malinowski
Edward
Evans-
Pritchard
Desenvolvimento
de técnicas de
trabalho de
campo
I Guerra 
Mundial
Estrutura social,
função social
Sociologia e 
etnografi a
Antropologia
Cultura (EUA)
Fraz Boas,
Ruth
Benedict,
Margaret
Mead
Explicar a cultura
pela cultura,
inclusive a nível
individual
II Guerra
Mundial
Arco cultural,
personalidade
Antropologia
social
Antropologia Claude Explicar o Etnocídio Estrutura, Linguística e
Estrutural Lévi- 
Strauss,
Marshall
Sahlins
pensamento 
selvagem
etnocentrismo,
mitos
psicanálise
Antropologia
urbana
Escola de 
Chicago
Migrações Problemas 
características
das metrópoles
Gueto, máfi a Ciências
Sociais e C.S
“aplicadas”
Antropologia
interpretativa
Cliff ord
Geertz
Interpretar e
compreender as
culturas
Mudança de
paradigmas,
Maio de 1968
Cultura, mente,
visão de mundo
Antropologia
estrutural
Antropologia
simétrica
Bruno
Latour
Crítica à ciência Crise da
“modernidade”
Simetria,
ciência
Filosofi a
Antropologia
pos-colonial
Franz
Fanon
Homi k.
Bhabha,
Gayatri Ch.
Spivak, Lila
Abu-
Lughod
James
Cliff ord
Racismo e
antirracismo,
descolonização,
“modernidade”
Independência
das (ex- colônias) 
europeias ( Índia
e África)
Racismo,
cultura como
ideologia,
subalternos,
autoridade
etnográfi ca
Pos-
modernismo
Referências
ABU-LUGHOD, Lila. Writing against culture. In: FOX, Richard. Recapturing Anthropology. Santa Fe: Scholl of 
American Research, 1991. Pp.: 137-162.
APPADURAI, Arjun. Dimensões culturais da globalização. Lisboa: editorial Teorema, 1996.
BARTH, Fredrik. Grupos étnicos e suas fronteiras. In: POUTIGNAT, Phillip; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da 
etnicidade. São Paulo: Edunesp, 1997.
BASTIDE, Roger. Antropologia aplicada. São Paulo: Perspectiva, 2009.
BENEDICT, Ruth. O crisântemo e a espada. São Paulo: Perspectiva, 2009.
_______. Padrões de cultura. Lisboa: Edição Livros do Brasil, s/d.
Sociologia
46 1ª série do Ensino Médio
BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2013.
BOAS, Franz; STOCKING, G. (org.). A formação da antropologia americana. Rio de Janeiro: editora da UFRJ, 2004.
CARDOSO, Ruth (org.). A aventura antropológica. São Paulo: Paz e Terra, 2004.
CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosac Naify, 2003.
CLIFFORD, James; MARCUS, George. Sobra a autoridade etnográfi ca. In: _______. A experiência etnográfi ca. 
Rio de Janeiro: editora da UFRJ, 1998. pp.: 17-62. 
COMTE, Auguste.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.