A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
A IMPORTÂNCIA DE TRABALHAR JOGOS E BRINCADEIRAS NA PRÁTICA DOCENTE NOS ANOS INICIAIS

Pré-visualização | Página 1 de 3

A IMPORTÂNCIA DE TRABALHAR JOGOS E BRINCADEIRAS NA PRÁTICA DOCENTE NOS ANOS INICIAIS
Joyce Amanda França¹
Layra Rayanne de Sousa Lara¹
Prof. Joina Jamila dos Remédios Ataide²
Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI
Licenciatura em Pedagogia (PED1658) – Paper de Estágio
RESUMO
O seguinte trabalho trás a tona relatos de experiências docentes vivenciadas, sobre “a importância de se trabalhar os jogos e brincadeiras nos anos iniciais do ensino fundamental” tendo como objetivo analisar o papel dos jogos e das brincadeiras no processo de intervenção das atividades desenvolvidas em sala e avaliar suas contribuições para o processo de ensino. Observar como os professores se apropriam dos jogos e brincadeiras para estimular as crianças do 2ᵒ ano do ensino fundamental, tendo como foco o desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor. Refletir de que forma a teoria e a prática se encaixa sobre a importância do uso do jogo e brincadeiras como ferramenta facilitadora de aprendizagem, assimilação e construção de conhecimentos. Os jogos e brincadeiras constituem um recurso pedagógico com elevado nível de riqueza que acarreta informação, cultura, evidenciam direitos, desenvolve os valores em educação, entre outros benefícios e vantagens para a aprendizagem na qual o conhecimento é constituído, avaliado e renovado a cada dia, o brincar e o aprender constituem uma relação que se afetiva e se consolida ao longo de todo o processo de aquisição do conhecimento. 
Palavras-chave: Jogos e Brincadeiras. Anos iniciais do Ensino Fundamental. Pesquisa Qualitativa.
1 INTRODUÇÃO
Pensar em jogos e brincadeiras parece ser um tem fácil, afinal quem é que nunca brincou ou jogou algo na vida. Nessa perspectiva, retorno a minha infância e recordo-me de todos os momentos prazerosos, os quais vêm á mente aquela cantiga de roda que há muito não ouvia aquele jogo ou brincadeira que dificilmente pode ser esquecido. Toda criança aprende ou aprendeu algo brincando.
Nessa perspectiva, ressaltamos que brincar é inerente ao ser humano e estabelecer uma relação entre brincar e aprender pode tornar o processo de aprendizagem prazeroso e ao mesmo tempo enriquecedor para a criança. Por meio da participação em jogos e brincadeiras, o aluno interage e socializa, interagindo-se com os outros.
 Graduandas do Curso de Pedagogia do Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI. Av. Getúlio Vargas, 2 – Bairro: Monte Castelo – CEP: 65020-001 – São Luís, Ma. Site: www.uniasselvi.com.br
2 Tutora externa do Curso de Pedagogia do Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI. Av. Getúlio Vargas, 2 – Bairro: Monte Castelo – CEP: 65020-001 – São Luís, Ma. Site: www.uniasselvi.com.br
É necessário compreender que apesar dos termos jogos e brincadeiras estarem interligados, eles têm significados distintos, cada qual com a suas especificidades. Este estudo teve com objetivo compreender se os professores utilizam ambos como processo de aprendizagem de modo a contemplar o desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor das crianças o do 2ᵒ ano do ensino fundamental.
A pesquisa foi realizada na Escola Comunitária Frei Osvaldo, no 1ᵒ semestre de 2019, no período de 01/04 a 12/04. Foram acompanhadas as aulas em que a professora utilizava as jogos e brincadeiras, em sala de 2ᵒ ano de ensino fundamental. A escola tem como missão favorecer o desenvolvimento da criança nos aspectos, motor, emocional, intelectual e social, contribuindo para a interação e convivências na sociedade sejam marcadas por valores de solidariedade, liberdade, cooperação e respeito.
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Escolhe essa área com o objetivo de entender a importância dos jogos dentro do ensino e aprendizagem de forma significativa aonde o discente possa vim aprender brincando, acredito que através dessa prática de ensino os alunos aprenderam os conteúdos curriculares.
A prática docente tem vários caminhos aonde o professor pode aplicar os jogos lúdicos e as brincadeiras dentro de sala de aula auxiliando assim nas disciplinas tendo como foco a aprendizagem do aluno onde o mesmo possa tem a vontade de aprender de se desenvolver como sujeito pensante dentro da sociedade.
A criança aprende brincando, pois sente prazer em aprender, interagindo assim com o seu meio tendo em vista que o professor tem que ter esse entendimento e sensibilidade a compreender que os alunos do Ensino Fundamental também necessitam de jogos e brincadeiras em sala de aula, e esses recursos vem a somar na prática docente, tendo em vista que seus objetivos serão alcançados de formas mais rápidas e significativas.
Segundo Tezani (2004) afirma em sua citação que os jogos vêm desenvolver não só os aspectos cognitivos da criança aonde ela vem interagir com o meio e com as outras crianças, pois se sente mais a vontade aprendendo brincando e compreende mais rápidos assuntos abordados.
“ ao desenvolver um trabalho com jogos está não só desenvolvendo os aspectos cognitivos da criança, mas passando também a enfatizar os aspectos afetivos que são resgatados durante estes momentos lúdicos ’’
Portanto os jogos e brincadeiras tornam as aulas mais vivas, dinâmicas e atrativas, facilitando o processo de ensino aprendizado, tornando um processo gradativo e eficaz, possibilitando resultados significativos ao desenvolvido no cotidiano do ambiente escolar. Em qualquer tipo de jogo a criança se educa, já que o jogo é educativo em sua essência.
Existem vários tipos de jogos aonde vem favorecer a construção do contexto do letramento do conhecimento matemático, cientifico e artístico tendo como um dos recursos jogos da memoria, jogos com cartas e bilhetes, bingo, e outros. É importante salientar que o brincar, vai muito, além de uma simples recreação, pois é um mecanismo didático que instrui a melhor maneira de se ensinar e aprender.
A respeito, Seabra e Sousa (2010, p. 200) nos diz:
Ao se pensar no brincar como um processo facilitador do desenvolvimento, assim como da construção do conhecimento, alguns aspectos devem ser cuidados na instituição para favorecer o lúdico. Dentre eles, podemos citar: criação de espaços de brincadeiras, localização dos objetos, dos brinquedos, dos materiais, disponibilização das informações e das regras do brincar, entre outros. (SEABRA E SOUSA, 2010, p. 200)
Deixa bem claro o autor acima a importância de ter nas escolas os espaços aonde se possa se desenvolver os jogos e brincadeiras, espaços como: brinquedotecas, pátio, área de lazer, parquinho, quadras etc... Diante disso é importante lembrar que durante o dia a dia em sala, se trabalhe momentos lúdicos, pra estimular as crianças para o seu desenvolvimento, pois através desse mecanismo o ensino e aprendizagem ficam diferenciados favorecendo a relação entre professor e aluno, aluno e aluno dessa forma a aula se torna prazerosa aonde o discente sente o prazer em estarem presentes todos os dias.
2.1 JOGOS E BRINCADEIRAS 
Ao estudar jogos e brincadeiras, muitas vezes os termos são confundidos como se tivessem a mesma definição, quando na verdade eles possuem conceitos distintos. Portanto, para este trabalho serão definidas as especificidades de cada um.
O jogo é uma ferramenta potencializadora no processo ensino-aprendizagem, através dele é possível trabalhar as regras impostas pela sociedade, a competição e o indivíduo na totalidade. Para Kishimoto (1997, p. 16) “o jogo pode ser visto como: resultado de um sistema linguístico que funciona dentro de um contexto social, um sistema de regras, um objeto”.
O jogo utilizado como instrumento educativo pode proporcionar à interação, a cognição, a motricidade e a afetividade entre as crianças. Dessa forma, Kishimoto (2008, p. 36) afirma que:
Ao permitir a ação intencional (afetividade), a construção de representações mentais (cognição), a manipulação de objetos e o desempenho de ações sensório-motoras (físico) e as trocas nas interações (social), o jogo contempla várias formas de representação da criança ou suas múltiplas inteligências contribuindo para

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.