A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Química orgânica X Química Inorgânica

Pré-visualização | Página 1 de 2

Química orgânica 
 
 
 
QUÍMICA ORGÂNICA X QUÍMICA INORGÂNICA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 
 
 
Sumário 
 
Introdução ...........................................................................................................................................2 
 
Objetivos ..............................................................................................................................................2 
 
2. Química orgânica x química inorgânica .......................................................................................2 
2.1. Quais as diferenças? ....................................................................................................... 2 
2.2. Principais diferenças entre os compostos orgânicos e os inorgânicos ........................... 4 
 
Exercícios .............................................................................................................................................6 
 
Gabarito ...............................................................................................................................................6 
 
Resumo ................................................................................................................................................7 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
Introdução 
Na apostila, O Progresso da Química Orgânica, vimos sobre o avanço dessa 
ciência e fatos históricos que fizeram com que ela deixasse de ser a ciência que 
estuda a penas os compostos oriundos de seres vivos, para se tornar a ciência que 
estuda os compostos de carbono? 
Mas será que todos os compostos que apresentam carbono podem ser 
considerados orgânicos? 
Nessa apostila veremos que além de possuir átomos de carbono, para ser 
considerado orgânico o composto precisa apresentar mais algumas características. 
Logo, nem todos os compostos que possuem carbono podem ser considerados 
orgânicos. E a ciência responsável por estudar esses e todos os demais compostos, 
substâncias e elementos é denominada como Química Inorgânica. 
Assim, entenderemos as principais diferenças entre a Química Orgânica e a 
Química Inorgânica. E vamos comparar as propriedades físico-químicas de seus 
respectivos compostos. 
Objetivos 
• Identificar as principais diferenças entre a Química Orgânica e a Química 
Inorgânica. 
• Compreender que nem todos compostos que contem carbono é orgânico. 
 
2. Química orgânica x química inorgânica 
2.1. Quais as diferenças? 
Você sabe as diferenças entre a química orgânica e a química inorgânica? 
Para facilitar o estudo dos compostos químicos, costumamos separá-los de 
acordo com suas propriedades físico-químicas. De forma geral, esses compostos 
podem ser classificados como compostos inorgânicos ou compostos orgânicos. 
Assim, vão surgir dois grandes ramos de estudo científico. A Química Inorgânica e a 
Química Orgânica. 
Berzelius (1779-1843), responsável por propor a teoria da força vital, foi um 
dos primeiros a usar a termologia Química Orgânica. Na época entendia-se que que 
esse ramo científico era responsável por estudar substâncias extraídas de 
organismos vivos. Assim, a Química Inorgânica teria como foco o estudo de 
substâncias de origem mineral. Quando Wohler (1800-1882) obteve a ureia 
 
3 
 
(composto orgânico), a partir de cianeto de amônio (composto inorgânico), essa 
definição da Química Orgânica começou a ser questionada. 
Hoje costumamos definir que a Química Orgânica é responsável pelo estudo 
de compostos de carbono que apresentem propriedades bem características. Mas 
por que o átomo de carbono é tão importante para a Química Orgânica? E quais são 
essas propriedades? 
De fato, o átomo é muito interessante. Além de ter a capacidade de formar 
quatro ligações, ou seja, ser tetravalente, ele consegue unir-se a outros átomos de 
carbono, formando as chamas cadeias carbônicas. Isso propicia a formação de uma 
variedade gigantesca de compostos. 
Assim, além de ser constituído por átomos de carbono, para ser objeto de 
estudo da Química Orgânica o composto deve apresentar essa propriedade de 
encadeamento. O pioneiro no estudo dessas propriedades de encadeamento do 
carbono foi August Kekulé (1829-1896). 
As estruturas podem ser bem simples, possuindo apenas um ou dois átomos 
de carbono como o metano e o etano. Podem ser cadeias medianas como no caso 
do o octano, principal constituinte da gasolina. Ou podem ser longas como os 
polipeptídeo (figura 01). 
 
 01 
Exemplos de cadeias carbônicas: metano, etano, octano e polipeptídio. 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
SAIBA MAIS! 
 
 
 
Mas, e quanto a Química Inorgânica? 
A Química Inorgânica será responsável, por tanto, pelo estudo de todos os 
compostos, substâncias e elementos químicos que não possuam o átomo de 
carbono encadeado. Por isso, substâncias que possuem carbono como, por 
exemplo, gás carbônico (CO2), ácido carbônico (H2CO3) e NaHCO3 (bicarbonato de 
sódio), são classificadas como compostos inorgânicos, já que neles o átomo de 
carbono não está formando cadeias. 
De fato, muitos dos compostos estudados pela Química Inorgânica são de 
origem mineral. Porém, denominá-la apenas como o ramo da ciência que estuda 
essas substâncias e limitar muito o seu campo de estudo. 
 
2.2. Principais diferenças entre os compostos orgânicos e os 
inorgânicos 
Compostos orgânicos tendem a apresentar propriedades físico-químicas bem 
diferentes dos compostos inorgânicos. Observe a tabela seguinte. Ela apresenta uma 
comparação entre as temperaturas de fusão e ebulição de duas substâncias 
presentes no dia a dia: sal de cozinha (NaCl) e álcool etílico (C2H5OH). 
 
Composto Ponto de fusão/ °C Ponto de Ebulição/ °C 
Cloreto de sódio (NaCl) 801 78 
Álcool (C2H5OH) -114 1468 
Fonte: Autora, 2019 
 
O álcool etílico, também conhecido como etanol, é um composto orgânico, já 
o sal de cozinha (cloreto de sódio) é um composto inorgânico. Note que a 
Os compostos orgânicos podem ainda apresentar 
outros átomos como, por exemplo, nitrogênio, 
hidrogênio, oxigênio, halogênios e em alguns casos 
enxofre e fósforo. 
. 
 
 
5 
 
temperatura de fusão do etanol é cerca de -114 °C, ou seja, por isso ele já se encontra 
no estado líquido a temperatura ambiente. 
Já o sal de cozinha apresenta uma temperatura de fusão igual a 801 °C. Isso 
significa que não é nada fácil fundir sal e por isso ele encontra-se no estado sólido a 
temperatura ambiente. 
Assim como observado para o sal e o etanol, geralmente compostos 
orgânicos tendem a apresentar menores temperaturas de fusão do que os 
compostos inorgânicos. 
Qual seria a explicação para essa tendência? 
O tipo de ligação química existente entre os átomos que compõe um 
determinado composto contribui para explicar essa tendência. Compostos 
inorgânicos geralmente podem apresentar ligações iônicas ou covalentes. Já os 
compostos orgânicos, costumam apresentar apenas ligações covalentes. 
 
ANOTE AÍ! 
 
 
 
As interações existentes entre os átomos em composto iônico é bastante alta, 
pois a energia necessária para rompê-las é equivalente a energia do retículo 
cristalino. Logo, compostos formados por essa ligação apresentarão maiores 
pontoes de fusão. 
Como as ligações covalentes são mais fracas, as interações entre as 
moléculas no retículo serão mais fracas. Como a maioria dos compostos orgânicos 
apresentam ligações covalentes, eles terão temperatura de fusão mais baixas. 
O ponto de ebulição dos compostos orgânicos