A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Parvovirose

Pré-visualização | Página 1 de 1

Parvovirose
Introdução
▪ Parvovirose ou Enterite Canina Parvoviral
▪ Altamente contagiosa
▪ Causada por um vírus DNA
▪ gênero Parvovirus
▪ família Parvoviridae
Introdução
▪ Nos cães essa enfermidade geralmente é fatal
▪ Taxa de mortalidade ao redor de 80%
▪ Comumente, ataca mais animais jovens do que adultos
▪ imunidade adquirida naturalmente
Etiologia
▪ Parovírus canino tipo 2
▪ Vírus sem envoltório
▪ Resiste a extremos de temperatura
▪ 60º por até 60 min
▪ Resiste no ambiente por longos períodos em locais onde cães infectados são
mantidos
▪ E pode ser transmitido a outros locais por fômites
▪ Estável a pH 3,0
Epidemiologia
▪ Infecta todas as raças ou membros da família Canidae
Epidemiologia
▪ Ocorre em várias áreas do mundo
▪ Houve relato de humanos que desenvolveram diarreia depois de estrarem juntos
com animais infectados.
▪ Mas não foi comprovada a transmissão para humanos
Epidemiologia
▪ Cães infectados excretam o vírus na forma infecciosa nas fezes por até 10 dias 
após o início da doença
▪ Transmissão
▪ Água e alimento contaminado com fezes
Patogenia
▪ Os sítios iniciais de replicação viral são
▪ Timo, tonsilas, linfonodos retrofaríngeo, linfonodos mesentéricos e baço.
▪ Disseminação ampla da infecção viral na mucosa intestinal – 6 dias após inoculação
▪ Excreção do vírus nas fezes ocorre a partir do 3º dia após infecção.
▪ A maioria dos cães para de excretar o vírus no 12º dia.
Sinais clínicos
▪ Os cãesvinfectados que manifestam a doença, ficam doentes, geralmente, cerca de 7 a 
10 dias após a infecção inicial.
▪ A doença se estabelece principalmente, no aparelho digestivo, sendo que os sintomas 
mais característicos são vômito e diarreia fétida e sanguinolenta.
Sinais clínicos
▪ Outros sinais que os cães podem apresentar são:
▪ Anorexia
▪ Letargia
▪ Elevação de temperatura 
▪ pode chegar a 41°C
▪ Alguns animais podem apresentar tosse, inchaço nos olhos ou conjuntivite.
Sinais Clínicos
▪ Outra forma de manifestação da doença é a miocárdica
▪ Pode levar à morte súbita do cão
▪ devido a miocardite (inflamação do músculo do coração) 
Diagnóstico
▪ Sinais clínicos
▪ História
▪ Exame radiográfico contrastado
▪ Verificar obstrução
Diagnóstico
▪ Testes laboratoriais
▪ Isolamento do vírus
▪ Detecção de antígeno viral em cortes de mucosa ou esfregaço fecal
▪ Demonstração do vírus nas fezes ou tecidos por microscopia
▪ ELISA
▪ Hemaglutinação
▪ PCR
Tratamento
▪ Quase todos os casos graves exibem acidose metabólica descompensada
▪ aumento na concentração de ionte hidrogênio (H+) no sangue. 
▪ pH se mantém abaixo de 7,36
▪ Reposição de líquidos e correção dos desequilíbrios eletrolíticos e acidose
▪ Solução de bicarbonato 8,4% ou ringer lactato
▪ Soro hiperimune comercial
▪ Antibióticos
▪ Evitar infecçãosecundária
Controle e prevenção
▪ Vacinação das populações de cães suscetíveis
▪ Vacinas inativadas e vacinas vivas
▪ Vazio sanitário
▪ Desinfecção do ambiente