anatomia patológica - SISTEMA LOCOMOTOR
8 pág.

anatomia patológica - SISTEMA LOCOMOTOR


DisciplinaAnatomia Patológica Veterinária133 materiais1.387 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UFMT \u2013 Universidade Federal do Mato Grosso 
Disciplina: Anatomia patológica veterinária 
Docente: Nadia A. Bobbi Antoniassi 
Discente: Bruna Vivian Miguel 
 
SISTEMA LOCOMOTOR 
As portas de entrada de patologias para o sistema locomotor são diversas, entre elas estão 
fraturas, esmagamentos, feridas penetrantes, hematógena, etc... Fatores nutricionais e 
tóxicos também podem acarretar patologias. 
Sumário 
ALTERAÇÕES DE TAMANHO NA MIOFIBRA ...................................................................... 1 
MIOPATIAS CONGENITAS E HEREDITÁRIAS ..................................................................... 1 
ISQUEMIA ................................................................................................................................... 2 
MIOPATIAS NUTRICIONAIS \u2013 ................................................................................................. 2 
MIOPATIAS DE ESFORÇO: ....................................................................................................... 3 
NEOPLASIAS .............................................................................................................................. 4 
MIOSITES INFECCIOSAS .......................................................................................................... 4 
DOENÇAS OSSEAS .................................................................................................................... 7 
Raquitismo ou osteomalácia.......................................................................................................... 7 
Osteoporose: .................................................................................................................................. 7 
Osteodistrofia fibrosa: ................................................................................................................... 7 
 
 
ALTERAÇÕES DE TAMANHO NA MIOFIBRA 
Atrofia: Diminuição da musculatura por desuso, deficiência nutricional ou alterações 
endócrinas. 
Hipertrofia: Aumento do tamanho da musculatura devido ao aumento de trabalho do 
musculo ou compensação de trabalho de alguma deficiência. 
MIOPATIAS CONGENITAS E HEREDITÁRIAS 
Miastenia gravis: Doença congênita em que há produção de anticorpos contra receptores 
de acetilcolina, consequentemente, não há ligação de acetilcolina com seu receptor, 
resultando numa paralisia flácida. Na maioria das vezes o animal nasce com a doença em 
outras pode ser adquirida. 
Splay leg: Também conhecida como \u201cSíndrome dos membros abertos\u201d é comum em 
suínos, é uma falha na formação dos nervos dos membros posteriores, se estimulado, o 
animal pode começar andar. 
UFMT \u2013 Universidade Federal do Mato Grosso 
Disciplina: Anatomia patológica veterinária 
Docente: Nadia A. Bobbi Antoniassi 
Discente: Bruna Vivian Miguel 
 
 
ISQUEMIA 
Tromboembolismo em gatos: A IC leva a formação de tromboembolismos, 
principalmente na artéria ilíaca, causando a isquemia da musculatura dos membros 
posteriores e necrose. É mais frequente ocorrer em gatos. 
 
Decúbito prolongado: O animal que fica por muito tempo em decúbito comprime os vasos 
da musculatura em que está se apoiando, fazendo com que haja isquemia e posterior 
necrose. 
 
Danos a vasos intramusculares: Vasculite leva a formação de trombos, isquemia do vaso 
e, devido a falta de O2, necrose. É o que acontece com erisipela em suínos, língua azul 
em ovinos, púrpura hemorrágica e exotoxinas clostridiais. 
MIOPATIAS DEGENERATIVAS 
 
MIOPATIAS NUTRICIONAIS \u2013 
Dentre elas temos miopatias nutricionais por deficiência de Selênio e Vit E, intoxicação 
por ionóforos e intoxicação por Senna ocidentallis e Senna obtusifolia. 
\u2022 Deficiencia de vitamina E e selênio são compostos antioxidantes essenciais para 
a membrana plasmática da célula, na deficiência nutricional a membrana 
plasmática fica frágil, podendo ocorrer facilmente o rompimento celular, é comum 
em animais jovens e de crescimento rápido que são mal suplementados, ocorre 
UFMT \u2013 Universidade Federal do Mato Grosso 
Disciplina: Anatomia patológica veterinária 
Docente: Nadia A. Bobbi Antoniassi 
Discente: Bruna Vivian Miguel 
 
necrose muscular esquelética e cardíaca, mais comum as lesões acometem 
músculos da coxa, dorso e pescoço, em aves pode acarretar em edema e ascite. É 
comum ocorrer em animais de produção: aves, bovinos e suínos. É UMA 
DOENÇA CRÔNICA, POR ISSO HÁ OCORRENCIA DE ÁREAS DE 
MINERALIZAÇÃO. 
 
\u2022 Intoxicação por ionóforos: Os antimicrobianos ionóforos são utilizados com o 
intuito de promover melhor crescimento e como coccidiostáticos. A intoxicação 
ocorre quando o animal ingere uma quantidade superior a indicada, pode ocorrer 
quando o animal se alimenta da ração de outra espécie. Equinos são mais sensíveis 
e aves são mais resistentes. É uma doença que ocorre mais de forma aguda, por 
isso não há áreas de mineralização 
\u2022 Intoxicação por Senna ocidentalis e Senna obtusifolia (Fedegoso): Ocorre com a 
ingestão do Fedegoso, só ocorre se o animal tiver muita fome, pois não é uma 
planta palatável. Ocasiona lesões na musculatura esquelética e cardíaca, sem áreas 
de mineralização. 
\u2022 
A diferença entre a intoxicação por ionóforos e por fedegoso é a maior frequência 
com que os ionóforos atingem a musculatura cardíaca. 
MIOPATIAS DE ESFORÇO: 
 
Rabdomióse equina: É conhecida também como doença da segunda-feira, é comum 
ocorrer em equinos desacostumados ao trabalho intenso. O grande esforço causa lesão 
muscular com ruptura das miofibras e liberação da mioglobina, que é eliminada na urina 
(mioglobinúria) e pode causar lesão renal. 
Miopatia dos transportes: Ocorre em animais que são transportados a longa distância e 
têm que ficar muito tempo em estação. 
Miopatia de captura: Comum em animais silvestres, no momento da captura do animal. 
Com o aumento do estresse durante a captura há o aumento do metabolismo celular, 
aumento da glicogenóllise e aumento do tônus vascular. Há produção de ácidolático no 
UFMT \u2013 Universidade Federal do Mato Grosso 
Disciplina: Anatomia patológica veterinária 
Docente: Nadia A. Bobbi Antoniassi 
Discente: Bruna Vivian Miguel 
 
tecido e hipóxia, resultando na morte celular e extravasamento da mioglobina e potássio. 
A mioglobina pode causar insuficiência renal aguda e o potássio alterações cardíacas, 
como por exemplo a fibrilação e posterior insuficiência cardíaca aguda, o animal pode 
morrer logo após a captura por ICA ou por IRA em alguns dias. Na necropsia observa-se 
áreas musculares pálidas, rim enegrecido e urina enegrecida. 
NEOPLASIAS 
Rabdomiomas: Neoplasia benigna do musculo. 
Rabdomiossarcoma: Neoplasia maligna muscular 
MIOSITES INFECCIOSAS 
Virais: São raras. A língua azul causa vasculite, que leva a necrose isquêmica e a febre 
aftosa causa necrose muscular cardíaca, principalmente em animais jovens. 
Bacterianas \u2013 Clostridiais \u2013 mionecrose hemorrágica 
 
o Carbúnculo sintomático: Causado pelo Clostridium chauvoei, ocorre 
quando o animal ingere esporos que se instalam e permanecem na 
musculatura, com a ocorrência de um trauma, que leva a uma hipóxia, o 
local fica propício para a proliferação da bactéria. No início dos sinais 
clínicos o animal apresenta claudicação, ao apalpar a região sente-se uma 
crepitação, para diferenciar a crepitação de clostridium por crepitação 
causada por necrose resultante de hipóxia basta fazer um corte no local, se 
houver hemorragia é sinal de que a crepitação foi causada por Clostridium. 
O Clostridium chauvoei pode afetar o coração inicialmente também, caso 
isso ocorra não haverá claudicação e na necropsia vê-se um coração 
esponjoso, enquanto que na histopatologia vê-se necrose celular