A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
AD1 - Fundamentos da Educação II - Samuel

Pré-visualização | Página 1 de 2

�
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
�		Centro de Educação e Humanidades
Faculdade de Educação / Coordenação das Licenciaturas – EAD
"Psicologia nas Licenciaturas: - contribuições da Psicologia para formação do professor"
A Psicologia não surgiu diretamente como uma ciência. Ela começou como um ramo da filosofia e continuou por cerca de 2000 anos antes de emergir como uma ciência. Desde os tempos antigos o homem obteve a necessidade de se conhecer, com isso surgiu a apreensão em analisar aonde surgiu a evolução das matérias através da percepção. Alguns homens como William James John Watson, Pavlov e Wundt deram a sua contribuição para o desenvolvimento científico da psicologia com suas teorias, entre elas o Behaviorismo.
A Psicologia surgiu como uma disciplina científica pelo estabelecimento do primeiro Instituto de Psicologia em 1879, em Leipzig, na Alemanha, por Wilhelm Wundt (1832-1920). Wundt criou o primeiro laboratório de psicologia e nele foram medidas e classificadas as sensações no seu aspecto visual, táctil, e cinestésico. Assim percebemos que a psicologia tem um grande passado mais uma história curta, em nossa atualidade a psicologia é vista como uma ciência que estuda o comportamento humano. É aqui que os primeiros psicólogos profissionais adquiriram as competências de trabalho experimental para estudar a mente. Para captarmos melhor o estudo da psicologia podemos dividi-las em: Psicologia do Senso comum e Psicologia Cientifica. A Psicologia do senso comum é o que aprendemos no dia a dia, como por exemplo, temos o fato de sabermos que tudo que é joga do alto cai embora que algumas coisas levem um pouco mais de tempo que outras. Senso comum é um conhecimento intuitivo. A Psicologia científica é focada em fatos que podem ser comprovados cientificamente, pois a mesma é embasada principalmente pela ciência. O objetivo de estudo da psicologia de forma bem ampla é o homem, levando o objeto humano como estudo da psicologia ela pode ser de certa forma confundida com outras ciências, mais o que faz a sua diferença entre as outras ciências humanas e o estudo da subjetividade, é ela que nos faz compreender a totalidade da vida humana, pois e o indivíduo em todas as suas expressões visíveis, invisíveis, singulares e genéricas.
 O Behaviorismo é uma parte da psicologia que tem o comportamento como objeto de estudo.
Segundo Skinner, o behaviorismo radical é a filosofia da ciência do comportamento humano, onde o meio ambiente era o responsável pelo comportamento humano, o behaviorismo radical contempla os estímulos dados aos indivíduos pelo meio ambiente. De acordo com Skinner, esses meios eram conhecidos como punição, reforço positivo e reforço negativo. O condicionamento operante é um método de aprendizado que ocorre através de recompensas e punições para o comportamento. Através de condicionamento operante, uma associação é feita entre um comportamento e uma consequência para esse comportamento. 
Comportamentos operantes, são aqueles sob nosso controle consciente. Alguns podem ocorrer espontaneamente e outros propositadamente, mas são as consequências dessas ações que influenciam ou não as ocorrências futuras. Nossas ações sobre o meio ambiente e as consequências dessa ação tornam-se uma parte importante do processo de aprendizagem. 
O reforço é qualquer acontecimento que reforça ou aumenta o comportamento que se segue. O reforço positivo são eventos favoráveis ou resultados que são apresentados após a conduta em situações que refletem o reforço positivo, uma resposta ou comportamento é reforçada pela adição de algo, como elogio ou uma recompensa direta. Punição é a apresentação de um evento adverso ou resultado que provoca uma diminuição no comportamento que se segue.
Psicanálise é um ramo clínico teórico que se ocupa em explicar o funcionamento da mente humana, ajudando a tratar distúrbios mentais e neuroses. O objeto de estudo da psicanálise concentra-se na relação entre os desejos inconscientes e os comportamentos e sentimentos vividos pelas pessoas. A teoria da psicanálise, também conhecida por “teoria da alma”, De acordo com Freud, grande parte dos processos psíquicos da mente humana estão em estado de inconsciência, sendo estes dominados pelos desejos sexuais. Abaixo veremos algumas terias da Psicanálise.
Inconsciente: Na teoria Psicanalista da personalidade de Freud a mente inconsciente é um reservatório de pensamentos, sentimentos, memória, impulso, etc que encontra se fora da consciência. Assim, a partir da observação, o psicanalista consegue identificar vestígios de traumas, desejos ou ideias que tenham sido reprimidas para o inconsciente do paciente e que, como consequência, provoquem distúrbios comportamentais e neuroses. Formação da Inconsciência é subdividido em três elementos que auxiliam no equilíbrio e regulação do comportamento do indivíduo, o Id, Ego e Superego. Id: onde se encontram os instintos e pulsões relacionados ao prazer, como os desejos inconscientemente carnais, materiais e sexuais, por exemplo. Ego: caracteriza a personalidade de cada indivíduo, agindo como o equilíbrio do Id (princípios dos prazeres inconscientes) e do superego (as regras morais que limitam a extravagância do Id).Superego: monitora a mente humana, mantendo-a sempre alerta aos princípios da moral, evitando que ocorram desvios exagerados em direção ao Id. No desenvolvimento Psicossexual o ser humano passa por cinco fases para completar o seu processo psicossexual, caso haja algum problema no desenvolvimento de uma dessas fases, o resultado pode aparecer na forma de distúrbios ou neuroses futuras, durante a vida adulta. Abaixo teremos as 5 fases do desenvolvimento.
Fase oral: um bebê, por exemplo, sente prazer ao estimular a sua boca, seja através de chupeta, babador ou levando outros objetos em direção aos lábios. Caso esta fase não seja corretamente ultrapassada, segundo a teoria de Freud, a pessoa pode desenvolver obsessões, como a gula, falar em demasia etc. Fase anal: entre o segundo e terceiro ano de vida a criança se satisfaz com a expulsão ou retenção de suas fezes. A fixação exagerada por organização e limpezas pode ser uma das consequências para o mau desenvolvimento desta frase. Fase fálica: entre o quarto e quinto ano de vida, quando a criança descobre o seu sexo e sente prazer ao manusear o seu órgão sexual. Freud também explica que é nesta fase que tem inicio o chamado “Complexo de Édipo”. Fase de latência: do quinto ao décimo segundo ano de vida, quando ocorre a construção do pensamento lógico e supressão dos impulsos sexuais, fazendo com que o indivíduo passe a ter mais controle da sua vida psíquica. Fase genital: a partir do décimo segundo ano de vida em diante, quando o indivíduo já entrou na adolescência, trocando o interesse de si próprio para a de outras pessoas ou coisas ao seu redor. Nesta fase começam as ligações e desejos por outras pessoas, por atividades sociais e humanas, por exemplo complexo de Édipo é uma fase do desenvolvimento psicossexual da criança do sexo masculino, normalmente, o Complexo de Édipo surge durante a chamada “Fase Fálica”, que sucede a “Fase Oral” e “Fase Anal”, a superação Complexo de Édipo 
é essencial para que a criança perceba a representatividade do pai na relação, assim como a estruturação da personalidade individual do menino. Caso não haja uma correta resolução do Complexo de Édipo, este pode acarretar algumas consequências no comportamento do futuro adulto, como: dependência exagerada do sexo oposto, submissão ou opressão.
Através do estudo do Behaviorismo fica evidenciada a relação entre aprendizagem e controle dos estímulos do meio ambiente dentro desta perspectiva abordada. Nota se que a concepção da mesma a cerca do behaviorismo e aprendizagem é ambientalista, ou seja, tanto o desenvolvimento quanto os estímulos estão ligados ao ambiente em que se encontram. 	É importante ressaltar que a Psicologia