A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
A atenção e suas alterações

Pré-visualização | Página 1 de 1

A atenção e suas alterações.
Docente: Angela bittencut
Discentes: Ludymila Rodrigues Garcia e Pamella Cristina Dourado de Souza.
Definições básicas:
A atenção pode ser definida como a direção da consciência, estado de concentração da atividade mental sobre determinado objeto.
Refere ao conjunto de processos psicológicos que torna o ser humano capaz de selecionar, filtrar e organizar as informações em unidades controláveis e significativas. 
Os termos “consciência” e “atenção” estão estreitamente relacionados. A determinação do nível de consciência é essencial para a avaliação da atenção.
Conceitos da psicologia e da psicopatologia clássica da atenção:
Em consideração a natureza da atenção, pode-se discernir dois tipos básicos de atenção: 
A atenção voluntária, que exprime a concentração ativa e intencional da consciência sobre o objeto;
E a atenção espontânea, que é aquele tipo de atenção suscitado pelo interesse momentâneo, incidental, que desperta este ou aquele objeto. Esta última geralmente está aumentada nos estados mentais em que o indivíduo tem pouco controle voluntário sobre sua atividade mental.
Em relação à direção da atenção, pode-se discriminar duas formas básicas: 
A atenção externa, projetada para fora do mundo subjetivo do sujeito, voltada para o mundo exterior ou para o corpo. Geralmente de natureza mais sensorial, utilizando dos órgãos do sentido.
Já a atenção interna, que volta para os processos mentais do próprio indivíduo. É uma atenção mais reflexiva, introspectiva e meditativa.
Em relação à amplitude da atenção, há a atenção focal e a atenção dispersa: 
Atenção focal se mantém concentrada sobre um campo determinado e relativamente delimitado e restrito da consciência. 
Atenção dispersa que não se concentra em campo determinado, espalhando-se de modo menos delimitado.
Tenacidade consiste na capacidade do indivíduo de fixar sua atenção sobre determinada área ou objeto. 
Vigilância é definida como a qualidade da atenção que permite ao indivíduo mudar seu foco de um objeto para outro.
A atenção flutuante é conceito desenvolvido por Freud (1856-1939), relativo ao estado de como deve funcionar a atenção do psicanalista durante uma sessão analítica. Segundo Freud, a atenção do analista deve privilegiar a priori qualquer elemento do discurso ou comportamento do paciente, o que implica deixar funcionar livremente sua própria atividade mental, consciente e inconsciente, deixando livre a atenção e suspendendo ao máximo as motivações, os desejos e os planos próprios. 
A psicologia contemporânea da atenção:
Atualmente, subdivide-se a atenção em quatro aspectos básicos: 
Capacidade e foco de atenção referem-se à focalização da atenção e estão intensamente associados à experiência subjetiva da concentração.
Atenção seletiva diz respeito aos processos que permitem ou facilitam a seleção de informações relevantes para o sujeito e seu processamento cognitivo.
Seleção de resposta e controle executivo são de extrema relevância, o ato de prestar atenção está, quase sempre, associado a uma ação planejada, voltada a certos objetivos. Assim, a atenção está sempre envolvida na seleção não apenas dos estímulos e das informações, mas também das respostas e do controle destas.
Atenção constante ou sustentada diz respeito à capacidade de manter a atenção ao longo do tempo. 
A capacidade foco e atenção
Refere-se a focalização da atenção e estão intensamente associados a experiencias subjetiva de concentração
A capacidade de focalizar a atenção relaciona- se diretamente com os números de operações mentais que precisam ser realizadas ao mesmo tempo e com dificuldade das tarefas .
Atenção seletiva
Diz respeito aos processos que permitem ou facilitam a seleção de informações relevantes para o sujeito e seu processamento cognitivo.
Ela resume a qualidade mais importantes dos processos atencionais
Seleção de respostas e controle seletivos
Diz respeito a capacidade de manter atenção ao longo do tempo. 
Tal capacidade varia com o passar do tempo(geralmente diminui)
Como função psíquica, a atenção é mais variável ao longo do tempo que a percepção e a memoria
Anomalidade da atenção
A atenção mais comum e menos especifica da atenção é a diminuição globl desta chamada hipoprosexia.
Uma perdaa básica da capacidade de concentração com fatigabilidade aumentada, o que dificultaa percepção dos estímulos ambientais e a compreensão: as lembranças tornam-se mais difíceis e imprecisas, há dificuldade crescente em todas as atividades psíquicas complexas, como o pensar, o racionar , a integração de informações 
A distração não é um sinal de defict, mas de superconcentra ção ativa da atenção sobre determinados conteúdos ou objetivos, com a inibição de tudo o mais.
Há nesse sentido certa hipertenacidade e hipovigilancia
É o fato de um cientista que, pelo fato de seu interesse e de sua atenção estarem totalmente voltados para um problema, comete erros do tipo esquecer onde estacionou o carro ou colocar meias de cores diferentes.
Distrabilidade
 Já é ao contrario da distração, um estado patológico que se exprime por instabilidade marcante e mobilidade acentuada da atenção voluntaria com dificuldade ou incapacidade para ficar-se ou deter-se em qualquer coisa que implique esforço produtivo. A atenção do individuo é muito facilmente desviada de um objeto para outro
As alterações da atenção podem ocorrer tanto em distúrbios neurológicos e neuropsicológicos como em transtornos mentais
Disturbios neurológicos e neuropsicológicos 
São principalmente aquelas condições que ocorre diminuição do nível de consciência. Pode-se mencionar aqui as encefalotopatias metabólicas(por alterações de níveis de oxigênio, glicose e do equilíbrio eletrônico, acúmulos de catabólicos etc).
Meningoencafalites , acidentes vasculares celebrais, esclerose múltipla e quadros tumorais
Nas demências as alterações pode estar relacionadas a quadros de episódios com rebaixamento do nível de consciências, (delirium) que sobrepõem ao quadro demencial. Ou deteriorização cognitiva processiva.
Transtornos do humor(depressão e trantono bipolar), transtorno obsessivo compulsivo(toc), esquizofrenia e transtorno de defict de atenção/hiperatividade(TDAH) são os que mais apresentam alterações da atenção
Os pacientes com transtornos do humor tem importantes dificuldades de concentração e atenção constante. São típicas certas alterações da atenção dos estados depressivos e dos estados maníacos.
No quadro maníaco diminuição da atenção voluntaria e aumento de atenção espontânea com hipervigilancia e hipotenacidade
Nos quadros depressivos geralmente há diminuição geral da atenção, ou seja, hipoprosexia. Em alguns casos graves, ocorre a fixação da atenção em certos temas depressivos
Transtornos obsessivos compulsivos(TOC)
Apresenta atenção ou vigilância excessiva e desregulada. O paciente demonstra alterações no controle executivo(funções frontais) na memoria de trabalho(intimamente relacionada na atenção) e na seleção de respostas
Na esquizofrenia , o déficit de atenção e central. A filtragem de informação irrelevante geralmente consiste em uma dificuldade importante consiste em uma dificuldade importante dos sujeitos cometidos.
No transtorno de déficit de atenção/hiperatividade de (TDAH) , há dificuldade marcante de prestar atenção a estímulos , internos e externos , pois o paciente geralmente criança ou adolcente , tem a capacidade prejudicada em organizar e completar tarefas, assim como relutância em controlar seus comportamentos e impulsos.
Criança com TDAH tem prejuízo relacionado a filtragem de estímulos irrelevantes á tarefa(embora seja questionável se a filtragem atencional é ou não o principal problema das pessoas com TDAH.