Bem Imóvel
1 pág.

Bem Imóvel


DisciplinaDireito Administrativo I45.190 materiais936.429 seguidores
Pré-visualização1 página


Bem imóvel

Introdução


Pré-visualização de imagem de arquivo

Ilustração de compra de um bem imóvel

Inicialmente, iremos estudar sobre o que seria o bem imóvel, quais as suas atribuições jurídicas, suas respectivas atribuições, além de estabelecer qual a sua definição.

Dessa forma, podemos perceber que os bens são considerados valores econômicos que são suscetíveis de poder figurar dentro de uma relação jurídica, os quais são considerados bens corpóreos e incorpóreos, porém, quando analisamos dentro de um sentido jurídico, a coisa seria um bem corpóreo.

Como o Código Civil visa classificar os bens?


Pré-visualização de imagem de arquivo

Código Civil realiza as regulamentações dos bens imóveis

Primeiramente, temos que o Código civil estabelece uma classificação relacionada aos bens em que se distingue o que seria os “bens considerados em si mesmo”, “bens reciprocamente considerados” e “bens públicos”.

Diante disso, temos que os imóveis são considerados “bens em si mesmos”, sendo chamados também de “bem de raiz”, os quais são classificados como “imóveis por natureza”, “imóveis por acessão física” e “imóveis por força de lei”.

Imóveis por natureza

Quando tratamos de bens imóveis por natureza, que são descritos dentro do artigo 79 do Código Civil de 2002, abrangendo o solo e tudo aquele que nele estiver naturalmente incorporado, como seria o subsolo, o espaço aéreo, além das coisas que são incorporadas ao solo, que seriam o caso das pedras, das árvores naturais, fósseis, dentre muitos outros.

O Código Civil, em seu artigo 79, considera que os bens que são considerados imóveis, são correspondentes ao solo e tudo quanto se lhe incorporar, de forma natural ou artificial. Logo, a extensão da propriedade do solo irá corresponder ao espaço aéreo e ao subsolo que são úteis ao exercício da propriedade do solo, não sendo uma extensão considerada ilimitada, mas uma extensão que é útil ao exercício da propriedade. Com isso, podemos inferir que o proprietário do solo é proprietário do subsolo,porém, restringi-se até o limite considerado útil, sendo as riquezas naturais que estão presentes nesse subsolo pertencentes à União.

Quais os outros tipos de bens imóveis?

Os bens imóveis por ocorrer por acessão física, industrial ou artificial, sendo que essas coisas são aquelas em que o homem incorporou ao solo de forma direta e permanente, em que a remoção gerou sua respectiva destruição, como seria o caso de uma semente que fosse lançada à terra, edifícios e construções que não devem ser retirados sem que haja a destruição de suas estruturas.

Logo, os vários materiais considerados de cunho imóvel que eram posteriormente a sua incorporação não perdem este caráter, que seria o caso de telhas retiradas para que haja a manutenção do telhado e depois reempregadas nessa estruturas, ou então, edifícios que não são destruídos se separados do solo e que são removidos para um outro local, como está expresso no artigo 81 do Código Civil de 2002.

Esse artigo, expressa que não se devem perder o caráter de imóveis nos casos em que houver edificações que, ao serem separadas do solo, mas que conservem a sua unidade, sejam removidas para outro local; além de expressar que os materiais que são, provisoriamente, separados de um determinado prédio, sejam reempregados.

O que seriam os bens imóveis por força da lei?

Nesse tópico, nós iremos tratar da questão dos “bens imóveis por força da lei”, que são considerados direitos patrimoniais, sendo bens incorpóreos, como seria o caso do direito real sobre os imóveis, exemplificados por hipoteca, servidão, dentre outros, que implicam em as ações reais sobre esses imóveis, além do direito à sucessão aberta, que são destinadas à herança e ao legado, mesmo diante do fato de que são compostos de bens imóveis.

Logo, ao analisarmos o Código Civil de 2002, em seu artigo de número 80, terá descrito que os bens imóveis por força de lei serão considerados para efeitos legais desde que atendam a dois requisitos, o primeiro que está relacionado aos direitos reais sobre imóveis e as ações que os asseguram, e o segundo que trata do direito à sucessão aberta.

Considerações finais

Em síntese, percebemos que esta classificação que é realizada dos bens imóveis são considerados “bens em si mesmos”, sendo chamados ainda de “bem de raiz”, e que são classificados como “imóveis por natureza”, “imóveis por acessão física” e “imóveis por força de lei”, os quais são tipificados nos artigos 79, 80, 81 presentes no Código Civil de 2002.