Financiamento
1 pág.

Financiamento


DisciplinaEconomia I24.364 materiais186.769 seguidores
Pré-visualização1 página


Financiamento

O que é financiamento?

Atualmente é extremamente difícil uma pessoa possuir toda a quantia necessária para adquirir um bem de valor alto. Então, em uma situação em que um indivíduo necessita de uma quantidade de dinheiro para adquirir um bem, está pessoa tem a opção de pedir um financiamento em um banco ou uma instituição financeira. O financiamento nada mais é que uma solicitação de crédito feito junto a uma das duas opções citadas anteriormente. Uma vez concedido esse financiamento, o indivíduo que o solicitou se compromete a quitar esse valor (com juros/taxas) em parcelas ao longo de um período.


Pré-visualização de imagem de arquivo

Financiamento

Qual a diferença entre empréstimo e financiamento?

Ambos os termos não são sinônimos e concedem crédito de forma diferente. Basicamente a diferença se estabelece na finalidade do dinheiro concedido.

Empréstimo

Na modalidade de empréstimo, temos que o valor do crédito concedido é livre para qualquer tipo de finalidade, isto é, o mesmo o solicitante pode utilizar o valor financeiro da maneira que desejar. Entretanto, nesta modalidade de crédito, o solicitante tem que estar ciente que os juros cobrados na forma de devolução do dinheiro é uma porcentagem relativamente alta (principalmente em comparação com o financiamento).

Financiamento

Como dito anteriormente, a principal diferença entre as duas modalidades acontece na finalidade do dinheiro, enquanto o empréstimo é livre, o financiamento é concedido apenas para compra de algum bem (é necessário apresentar a comprovação da compra). Além disso, temos que os juros cobrados são menores.


Pré-visualização de imagem de arquivo

Financiamento de um carro (ilustração)

Onde o consórcio entra nisso tudo?

Uma curiosidade é que no momento de decidir entre formas de crédito, as pessoas sempre levarão em conta também a modalidade de consórcio, entretanto essa modalidade é indicada para a pessoa que não quer/não precisa do bem material de imediato, pois nessa modalidade o que ocorre é que um grupo de pessoas se propõe a pagar uma mensalidade para um caixa comum, estes pagamentos são destinados a uma compra futura de algum bem material. Podemos destacar ainda que, nessa modalidade os juros cobrados são ainda mais baixos com relação a empréstimos e financiamentos.

Qual das três opções é a melhor opção?

A melhor opção é sempre pagar à vista ou de uma maneira que não precise recorrer a alguma dessas modalidades. Entretanto, temos que caso tenha que escolher entre uma das três, a melhor opção irá depender da situação vivenciada.

Alguns detalhes do financiamento

Situação 1

Em uma situação em que o um carro é adquirido por uma pessoa através de um financiamento, temos que o banco empresta o dinheiro para este indivíduo, o mesmo paga a loja de automóveis e sai com o veículo na hora.

Desta maneira, o veículo já desta pessoa, correto?!

Não é bem assim. Em tese, a pessoa é a portadora do documento do veículo, entretanto, caso a mesma não pague o valor (com juros) de volta ao banco, este último pode tomar o automóvel da pessoa.

Além disso, temos que caso está pessoa queira vender este veículo antes de quitar a dívida com o banco, a mesma terá que pedir a autorização dele.

Situação 2

Um erro comum cometido por pessoas antes de entrar em um financiamento, é por exemplo, achar que pode devolver o bem caso não consiga quitar a dívida. E, mais uma vez, não é bem assim.

Em uma situação em que, por exemplo, um carro é obtido por meio de um financiamento e a pessoa não consiga pagar a dívida, devolver o automóvel nem sempre será a quitação da dívida, pois a partir do momento da compra do carro, o mesmo passa a se desvalorizar com o tempo e no momento da devolução pode já não valer o quanto ele valia anteriormente (no momento da compra através do financiamento). Neste caso, a pessoa irá devolver o carro, mas continuará devendo ao banco.

Situação 3

Deixar de pagar as parcelas pode custar caro. Em uma situação em que o indivíduo deixa de pagar as parcelas até o ponto do banco tomar de volta, isto é, prender o veículo, temos que a dívida desta pessoa pode aumentar, isso porque o banco irá cobrar também as despesas da apreensão e as despesas que ele tiver para vender o automóvel. Dessa maneira, na dívida da pessoa será acrescentado a apreensão, multa, pátio (locação do veículo), advogados etc.