A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
276 pág.
ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS (1)

Pré-visualização | Página 5 de 50

dos Fluxos de Caixa – Tem por finalidade apresentar informações sobre os fluxos das 
transações e eventos que afetaram o caixa do Governo do Estado ao longo de um determinado período, 
de forma organizada e estruturada por atividades, permitindo melhor compreensão da articulação entre 
as diversas demonstrações financeiras. Por meio desta demonstração é possível avaliar as alternativas 
de investimentos e as razões que provocaram as mudanças da situação financeira do governo, as 
formas de aplicação do resultado superavitário gerado pelas operações e até mesmo os motivos de 
eventuais déficits. A Demonstração dos Fluxos de Caixa deve ser elaborada preferencialmente pelo 
método direto e evidenciar as movimentações havidas no caixa e seus equivalentes, nos seguintes 
fluxos: 
 
a) das operações; 
b) dos investimentos; e 
c) dos financiamentos. 
 
O Fluxo de Caixa das Operações compreende os ingressos, inclusive decorrentes de receitas 
originárias e derivadas, e os desembolsos relacionados com a ação pública e os demais fluxos que não 
se qualificam como de investimentos ou financiamentos. 
 
O Fluxo de Caixa dos Investimentos inclui os recursos relacionados à aquisição e à alienação de ativo 
não circulante, bem como recebimentos em dinheiro por liquidação de adiantamentos ou amortização 
de empréstimos concedidos e outras operações da mesma natureza. 
O Fluxo de Caixa dos Financiamentos inclui os recursos relacionados à captação e à amortização de 
empréstimos e financiamentos. 
 
Notas Explicativas – São consideradas parte integrante das demonstrações contábeis. As informações 
contidas nas notas explicativas devem ser relevantes, complementares ou suplementares àquelas não 
suficientemente evidenciadas ou não constantes no corpo das demonstrações contábeis. As notas 
explicativas incluem os critérios utilizados na elaboração das demonstrações contábeis, das 
 
 
 
 
 
 
 
Contas de Governo – Exercício 2017 14 
 
Governo do Estado do Rio de Janeiro 
Secretaria de Estado de Fazenda e Planejamento 
Contadoria Geral do Estado 
informações de naturezas patrimonial, orçamentária, econômica, financeira, legal, física, social e de 
desempenho e outros eventos não suficientemente evidenciados ou não constantes nas referidas 
demonstrações. 
 
Com vistas a alcançar os vários segmentos da sociedade, e assim proporcionar maior transparência, 
procurou-se empregar linguagem simples e didática, por meio de tabelas comparativas e 
demonstrativos contendo análises verticais, horizontais e percentuais. 
 
1.4. Processo de Convergência aos Padrões Internacionais 
 
O Estado do Rio de Janeiro vem trabalhando desde 2011 no processo de convergência das normas 
brasileiras de contabilidade às normas internacionais, implantando novos procedimentos de acordo com 
as orientações expedidas pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), alinhados às Normas Brasileiras 
de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBCASP) publicadas pelo Conselho Federal de 
Contabilidade (CFC). Durante esse período, muito se avançou, e pode-se destacar a implantação do 
Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, a elaboração das demonstrações contábeis de acordo com 
as orientações do Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público – MCASP 7ª edição (Parte V – 
Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público) e a identificação e mensuração dos bens 
pertencentes ao Ativo Imobilizado e Ativo Intangível. Diversas rotinas já foram modificadas, em 
consequência do reconhecimento de ativos e passivos pelo regime de competência, e outras ainda 
estão em processo de implantação. 
 
Para a contabilização da execução do Orçamento Fiscal e da Seguridade Social é utilizado o regime de 
caixa para as receitas orçamentárias e o regime de competência para as despesas, em conformidade 
com o art. 35 da Lei 4.320/64, de forma integrada com a NBC TSP ESTRUTURA CONCEITUAL de 
23/09/2016 e com os normativos editados pela Secretaria do Tesouro Nacional – STN, quanto aos 
procedimentos, práticas, elaboração e divulgação das demonstrações contábeis, a fim de torná-las 
convergentes às Normas Internacionais de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público. 
 
Dando sequência ao processo, a STN publicou a Portaria nº 548, de 24 de setembro de 2015, que 
dispõe sobre os novos prazos - limite obrigatórios relativos à implantação dos Procedimentos Contábeis 
Patrimoniais na União, nos estados, no Distrito Federal e nos municípios brasileiros em continuidade ao 
processo de convergência da contabilidade aplicada ao setor público aos padrões internacionais, e 
estabelece que os entes da federação deverão evidenciar em notas explicativas, o estágio de 
 
 
 
 
 
 
 
Contas de Governo – Exercício 2017 15 
 
Governo do Estado do Rio de Janeiro 
Secretaria de Estado de Fazenda e Planejamento 
Contadoria Geral do Estado 
adequação ao PIPCP (Plano de Implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais). Em 
atendimento à referida Portaria, segue o Cronograma dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais do 
Estado do Rio de Janeiro: 
 
 
PCP
Preparação de sistemas e 
outras providências de 
implantação
Obrigatoriedade dos 
registros contábeis
Verificação pelo Siconfi
Estágio Atual de 
Implantação no Estado 
do Rio de Janeiro*
De acordo com as regras das NBC TSP e do MCASP vigentes (até) (a partir de) (a partir de) Status
Reconhecimento, mensuração e evidenciação da Dívida Ativa, tributária 
e não-tributária, e respectivo ajuste para perdas.
Imediato Imediato
2016 
(Dados de 2015)
Implantado
Reconhecimento, mensuração e evidenciação da provisão atuarial do 
regime próprio de previdência dos servidores públicos civis e militares.
Imediato Imediato
2017 
(Dados de 2016)
Implantado
Reconhecimento, mensuração e evidenciação das obrigações com 
fornecedores por competência.
31/12/2015 01/01/2016
2017 
(Dados de 2016)
Implantado
Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos demais créditos a 
receber, (exceto créditos tributários, previdenciários e de contribuições a 
receber), bem como dos respectivos encargos, multas e ajustes para 
perdas.
31/12/2016 01/01/2017
2018 
(Dados de 2017)
Implantado
Reconhecimento, mensuração e evidenciação das obrigações por 
competência decorrentes de benefícios a empregados (ex.: 13º salário, 
férias, etc.).
31/12/2016 01/01/2017
2018 
(Dados de 2017)
Implantado
Reconhecimento, mensuração e evidenciação das provisões por 
competência.
31/12/2018 01/01/2019
2020 
(Dados de 2019)
Em implantação
Evidenciação de ativos e passivos contingentes em contas de controle e 
em notas explicativas.
31/12/2018 01/01/2019
2020 
(Dados de 2019)
Implantado
Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos bens móveis e imóveis; 
respectiva depreciação, amortização ou exaustão; reavaliação e redução 
ao valor recuperável (exceto bens do patrimônio cultural e de 
infraestrutura).
31/12/2018 01/01/2019
2020 
(Dados de 2019)
Em implantação
Reconhecimento, mensuração e evidenciação das obrigações por 
competência decorrentes de empréstimos, financiamentos e dívidas 
contratuais e mobiliárias.
31/12/2018 01/01/2019
2020 
(Dados de 2019)
Em implantação
Reconhecimento, mensuração e evidenciação dos investimentos 
permanentes,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.