A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
REVOLUÇÃO FRANCESA (história geral) RESUMO - ensino médio/vest/enem

Pré-visualização | Página 1 de 2

REVOLUÇÃO FRANCESA 
 
Processo que dura 10 anos. 
 
Contexto em que se desenvolve: crise do absolutismo que vinha se 
desenvolvendo desde o reinado de Luís 14 (apesar de ser considerado o apogeu 
do absolutismo francês, por ter consolidado a vitória da França na guerra dos 
30 anos - guerra que determina o poderio continental francês sobre toda a 
Europa. Ele também é responsável pela construção de Versalhes, é o rei sol - 
corte orbitava ao seu redor - início da crise. Excesso de gastos, enobrecimento 
da burguesia - esvaziamento do caráter econômico burguês). Após a morte de 
Luís 14, há o reinado de Luís 15 "após o meu reinado virá o diluvio". Se envolve 
na guerra dos 7 anos com a Inglaterra - praticamente decretou estado de 
falência econômica na França. 
 
Luís 16: não é o único culpado pela revolução francesa. Luís 16 nasce dentro da 
estrutura de absolutismo criado por Luís 14, ou seja, nasce dentro do palácio 
de Versalhes em um contexto de isolamento do resto da França - rei sem 
contato com a realidade social e econômica do país -alienado. Rei isolado e ao 
mesmo tempo inconsciente do seu poder. Portanto, grande parte das decisões 
eram tomadas pelos ministros que orbitavam ao redor do rei na corte. Esposa 
de Luis 16 era Maria Antonieta (austríaca Habsburgo - odiado pelos franceses 
por ser austríaca e por ser Habsburgo [guerra dos 30 anos] - casamento como 
forma de aliança) ao ponto da rainha ser vista como responsável pela crise 
econômica de 1760-1780. 
 
Obs.: corte de Luis 16 e clero eram isentos de impostos (parcialmente ou 
totalmente). 
 
1° ESTADO: alto clero 
2° ESTADO: alta nobreza. 
Possuíam um custo de vida altíssimo. Um membro do primeiro ou segundo 
estado equivalia a 6 mil membros do terceiro estado - desigualdade social. De 
25 milhões de pessoas, 24,5 pertenciam ao 3° ESTADO (burguesia, sans culotes, 
camponeses). 
Os camponeses em 1760 ainda viviam nos moldes feudais pagando impostos 
como banalidades, corveia, tália. 
 
Déficit interno francês: 1 e 2 estado gastavam mais do que a França arrecadava. 
Como o rei era o Estado ele usava o dinheiro para fins pessoais. 
 
Déficit externo francês: empréstimos franceses a bancos ingleses. Monarquia 
francesa devia aos bancos o dobro do que arrecadava em impostos - falida. 
Bancos ingleses não fariam mais empréstimos a não ser que a França fizesse 
acordo com os bancos ingleses e com a coroa britânica que permitisse que, caso 
a monarquia francesa não conseguisse pagar esses empréstimos, a Inglaterra 
tomaria bens da França em troca da prorrogação da dívida e renovação de 
alguns empréstimos. Isso exigia 2 compromissos: os impostos franceses seriam 
tomados caso eles não pagassem os empréstimos e, os produtos industriais 
fabricados pela Inglaterra não seriam taxados ao serem importados pela França 
- produtos ingleses não pagavam impostos para entrar na França. Isso 
quebraria as poucas industrias na França pelo baixo preço dos produtos 
ingleses. 
 Tratado de Éden Renneval. 
 
Esse tratado cria a impossibilidade da industrialização da França nesse 
momento. O tratado desagrada burguesia (queda na economia) e sans culotes 
(que trabalhavam nas fabricas) que se unem por um inimigo comum, o Estado 
monárquico. Além disso havia a inflação (produtos com preços muito elevados) 
e a desigualdade social nas cidades. 
 
Essas todas são as causas estruturais (necessárias para que a Revolução 
Francesa se desenvolva). 
 
Outras causas para o desenvolvimento da revolução francesa são as causas 
conjunturais: guerra dos 7 anos, Independência dos EUA (foi auxiliada pela 
França economicamente e militarmente em troca de ganhos territoriais - esses 
territórios não foram significativos economicamente), Iluminismo (praticados 
na revolução americana), estiagem (seca - prejudicando o pasto - falta de gado, 
leite e queijo), destruição dos cereais (trigo). Estopins para revoluções. 
1 semestre de 1789: um ministro do rei diz que para a França tentar superar a 
crise econômica é necessário que haja o fim de alguns privilégios feudais. Seria 
necessário que nobres e clero pagassem impostos ou até o rei pagasse 
impostos. Esse ministro chamado Calone é demitido. 
 
Em seu lugar, visando melhorar sua imagem perante o 3 Estado, o rei contrata 
o ministro Jac Necker - era visto como aliado das causas do 3 estado. Necker 
possuía um caráter reformista - acomodar interesses do 1, 2 e 3 estado. Necker 
propõe a criação de um órgão legislativo. 
 
Assembleia dos Estados Gerais: o que tange a todos deve ser aprovado por 
todos. Assembleia seria composta por deputados (270 representavam o 1 
Estado, 291 representando o 2 Estado, 578 representavam o 3 Estado). A 
votação não era por número mas por Estados - cada estado tinha direito a um 
voto. 
 
O 3 estado exige uma reformulação da estrutura de votação. Voto seria feito 
por deputados. Diante disso o rei determina o fechamento da Assembleia e 
demite Necker. Revolta e insatisfação da população - rei manda tropas a cidade 
para garantir ordem. A partir dessas revoluções a Burguesia começa a organizar 
o povo. 
 
Burguesia se une em uma nova Assembleia - Assembleia Constituinte. 
Influenciados por Rousseau (Rousseau: sociedade acima do indivíduo) - 
vontade do povo é soberana e o povo deve exercer o poder sem 
representantes. 
 
Reunião entre membros do 3 estado em que eles fariam a Constituição para 
limitar o poder de Luis 16. Além disso, o 3 estado se proclama exército e marcha 
para tomar armas e pólvora (ficava na Bastilha - uma prisão em uma grande 
torre - símbolo do poder real). Povo marcha para a Bastilha, executam o 
prefeito da Bastilha, cortam sua cabeça, fincam na lança e deixam na praça. 
Bastilha destruída - queda de um símbolo. 
 
Marcha para Versalhes - Queriam levar o rei para Paris e matar Maria Antonieta 
(nao viam o rei como culpado). Levaram os dois para um palácio em Paris. 
 
Isso tudo marca o início da revolução francesa 14/07/1789 - tomada do poder 
pelo terceiro estado. 
 
✅ 1 ETAPA: 1789-1791 - etapa curta e intensa. 
Rei se encontra em Paris sujeito as decisões da Assembleia Nacional - que vai 
criar as leis e a legislação desse novo governo. 
Criação do documento chamado "DECLARAÇÃO dos direitos do homem e do 
cidadão" - base dos ideias da revolução. 
 
- Todo homem nasce livre e igual. (Livre: fim da servidão, escravidão. Iguais: fim 
dos privilégios feudais). 
 
- Mantido direito de propriedade privada. 
Leis burguesas - povo como massa de manobra a fim de colocar seus interesses 
em pratica. 
 
- Dever do governante prestar contas ao povo. 
 
- Liberdade de expressão (dentro dos limites da lei). 
 
Essas leis são base do direito civil brasileiro e da ONU. 
 
A revolução francesa decide confiscar os bens do alto clero e da alta nobreza - 
os bens pertenciam a pátria. Nobres que não aceitam fogem para outros países 
da Europa. Clero também não aceita. Resultado: França cria "constituição civil 
do clero" - clero transformado em funcionário público - França controlaria o 
clero - Papa perde autoridade na França. 
 
O baixo clero (juramentados) aceita, mas o alto clero (refratários) não. 
 
Criação da primeira Constituição francesa em 1791 - inspirada no modelo 
inglês - há um parlamento - monarquia constitucional. 
Rei: primeiro cidadão e poder executivo - incoerente pela questão da igualdade 
- rei não aceitara limites da constituição. 
 
✅ 2 Etapa: mais radical da revolução - governo jacobino - república francesa. 
 
Monarquia constitucional (rei no poder executivo, legislativo eleito por voto 
censitário ocupado majoritariamente