A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Ciclo da uréia

Pré-visualização | Página 1 de 1

1
Metabolismo dos 
Aminoácidos
2
Oxidação de Aminoácidos: Liberação de energia metabólica 
Varia com o tipo de organismo considerado
Carnívoros: Cerca de 90% de suas necessidades de energia
após uma refeição
Herbívoros: Obtém uma fração menor de energia
Microorganismos: Retiram AAs do ambiente para oxidação
Vegetais: Raramente oxidam AAs para produção de energia.
Fotossíntese: Carboidratos (energia).
Biossíntese de proteínas, ácidos nucleicos e de outras moléculas necessárias para 
o crescimento
3
Formas de excretar o nitrogênio
Amônia Uréia Ácido úrico 
Amoniotélicos Ureotélicos Uricotélicos
Vegetais reciclam todos os seus grupos aminos
A primeira fase do catabolismo dos aminoácidos envolve a 
remoção dos grupos -amino, formando amônia NH4
+ e o -
cetoácido correspondente (os “esqueletos carbonados” dos 
aminoácidos).
Uma parte da amônia livre é excretada na urina, porém a 
maior parte é utilizada na síntese de uréia, que é 
quantitativamente a via mais importante para o descarte do 
nitrogênio do organismo.
4
METABOLISMO DOS AMINOÁCIDOS: DESTINO DO 
NITROGÊNIO
5
Na segunda fase do catabolismo dos 
aminoácidos, esqueletos carbonados dos -
cetoácidos são convertidos em intermediários 
comuns das vias metabólicas produtoras de 
energia (ciclo de Krebs, gliconeogênese).
METABOLISMO DOS AMINOÁCIDOS: -cetoácidos
6
Remoção do Nitrogênio dos Aminoácidos
A presença do grupo -amino mantém os aminoácidos a
salvo da degradação oxidativa.
A remoção do grupo -amino é essencial para a produção de
energia a partir de qualquer aminoácido e é um passo
obrigatório no catabolismo destes.
Uma vez removido, este nitrogênio pode ser incorporado em outros
compostos ou excretado e o esqueleto carbonado é metabolizado.
7
Aminotransferase
Transaminação: Transferência dos grupos -amino
8
Alanina-aminotransferase (ALT): catalisa a transferência do
grupo amino da alanina para o -cetoglutarato, resultando na
formação de piruvato (a-cetoácido) e glutamato.
Aspartato-aminotransferase (AST) catalisa a transferência
do grupo amino do glutamato para o oxaloacetato, formando
aspartato, o qual é utilizado como uma fonte de nitrogênio no ciclo
da uréia.
Transaminases
9
10
Glutamato-desidrogenase: A desaminação
oxidativa dos aminoácidos
• A desaminação oxidativa pela glutamato-
desidrogenase resulta na liberação do 
grupo amino como AMÔNIA livre.
• Essas reações ocorrem principalmente no 
fígado e no rim e fornecem -cetoácidos e 
amônia.
Desaminação: Remoção dos grupos -amino
11
12
NH4 Apolar, tem tropismo 
principalmente pelo tecido nervoso, 
exercendo efeitos tóxicos
Esq. Hidrocarbonado 
(gliconeog. ou C.K. )
NH3 NH4
+
Síntese da uréia
13
❖ Desintoxicação no cérebro
Glutamato + NH4
+
Glutamina 
sintetase
Glutamina
ATP ADP + Pi
Transporte de Aminoácidos para o Fígado
14
A Glutamina 
transporta a amônia 
15
O
C NH2H2N
HCO3
-
CO2
NH4
+Aspartato
Síntese da Uréia
16
Carbamil fosfato
HCO3
-
CO2
Ciclo da Uréia: Citosol e Mitocôndria
Ciclo de krebs
Carbamil fosfato transferase
O Ciclo da Uréia começa no interior da mitocôndria do fígado
Entra no Ciclo: 4 etapas
NH4
+
17
1) Ornitina transcarbamilase
2) Argininosuccinato sintase
3) Argininosuccinato liase
4) Arginase
18
Molécula da Uréia
Fig. 11.21
PM: 60,6 daltons
Produto de degradação das proteínas
19
Ciclo da Uréia
Deficiência de alguma das enzimas do ciclo ocasiona
aumento na concentração de amônia
HIPERAMONEMIA
Pela função renal
Conteúdo protéico da dieta
Teor do catabolismo protéico
Estado de hidratação
Níveis de URÉIA podem ser afetados:

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.