A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
67 pág.
Teoria da História (Questionário Completo)

Pré-visualização | Página 15 de 19

memória. Longe de ser um produto espontâneo e natural, os lugares de memória são uma construção 
histórica e o interesse em seu estudo vem, exatamente, de seu valor como documentos e monumentos reveladores dos 
processos sociais. 
A afirmação que melhor expressa a relação entre a história e a memória presente no pensamento de Pierre Nora é: 
 A memória está ligada a idéia de história oral tida enquanto escolha do historiador. 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
Certo A memória coletiva se expressa através de lugares de memória, construções históricas muito características de 
nossa sociedade. 
A história e a memória existem apenas nas lembranças das pessoas responsáveis pela manutenção das tradições 
locais 
História e memória são conceitos diferentes que só se relacionam em museus e arquivos, não necessitando da 
intervenção do historiador. 
A memória seria a única fonte para a história, enquanto a história seria a responsável pela manutenção dos 
principais monumentos da humanidade. 
 
3a Questão 
Sobre a relação entre cultura, memória e história pode-se afirmar que: 
 Tanto a cultura quanto a memória não são universos simbólicos. 
 Tanto a história como a cultura são fontes históricas e não objetos de estudo de pesquisa. 
Certo Tanto a cultura quanto a memória são universos simbólicos onde são elaboradas as experiências históricas. 
É possível compreender as diversas maneiras como cada sociedade escreve a sua história através da cultura e não 
da memória, uma vez que esta é tomada por sentimentos. 
É possível compreender as diversas maneiras como cada sociedade escreve a sua história através da memória e não 
da cultura, uma vez que esta é objeto de estudo da antropologia. 
 
4a Questão 
A renovação do campo da história política trouxe também uma renovação do gênero biográfico. Sobre as possibilidades e 
contribuições da biografia para a construção do conhecimento histórico, podemos afirmar: 
 Limita-se a classificação e organização da trajetória de um indivíduo 
 É responsável por registrar as contribuições e os atos das personalidades públicas 
Certo A trajetória de um indivíduo pode ajudar na análise da relação entre indivíduo e sociedade e os limites das regras 
sociais 
 Ajuda a identificar as características das longas durações de tempo 
 Possibilita a análise mais aprofundada da estrutura econômica de uma sociedade e o conflito entre classes 
 
5a Questão 
Assinale a alternativa ERRADA. 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
O historiador deve estar sempre consciente de que a memória não é constituída de registros do que aconteceu, 
mas sim de releituras desses registros que são elaboradas e reelaboradas pelo indivíduo que lembra e que fala de 
suas lembranças. 
A construção da memória coletiva está diretamente relacionada as tradições de um determinado grupo social e 
intimamente associada as mudanças culturais. 
Ao deixar de se referir apenas ao processo de registro de acontecimentos pela experiência humana, a memória 
passou também a remeter à construção de referenciais sobre o passado e sobre o presente. 
Certo O historiador deve estar sempre consciente de que a chamada memória individual, deve ser analisada apenas em 
sua singularidade, pois pertence a um indivíduo específico e não sofre influências das instâncias coletivas. 
A dimensão coletiva da memória, compreendida como fenômeno social, começou a ser pensada e examinada mais 
sistematicamente pela historiografia e pelas demais ciências humanas a partir de meados do século XX. 
 
6a Questão 
Nas últimas décadas, as pesquisas ´vinculadas à proposta da "História Oral" vêm, cada vez mais, ganhando espaço entre os 
historiadores profissionais. Assinale, entre as opções apresentadas abaixo, aquela que apresenta o conceito que é 
fundamental para a história oral. 
 Dialética. 
 Super Estrutura. 
 Representação. 
 Luta de Classes. 
Certo Memória. 
 
7a Questão 
"Efetivamente, a memória, e a história, precisamente na medida em que é constituída sobre farrapos da memória são 
obrigatoriamente seletivas. Os vestígios de que falamos não estão uniformemente repartidos. Há buracos nos tecidos; mas 
estes buracos nem todos são acidentais, nem todos são efeitos de uma degradação, da usura do tempo; existem lacunas, 
porque certos elementos do passado deixaram vestígios menos duradouros que outros." 
DUBY, Georges & LARDREAU, Guy. Diálogos sobre a nova história. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1989. pp.61-62. 
Sobre esta passagem é possível afirmar: 
 As fontes orais são as únicas fonte utilizadas pelos historiadores que são definidas como neutras e imparciais. 
 O esquecimento é produto da ação das ideologias de direita ou esquerda sobre as pessoas comuns. 
A história oral é a metodologia básica da chamada ¿nova história¿ que se propõe democrática, mostrando 
personagens e projetos que não foram registrados em fontes oficiais. 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
Os relatos baseados em memórias não são fontes possíveis ao historiador, pois não são comprovadamente 
verdadeiras. 
Certo A memória e o esquecimento são pares que o historiador deve considerar ao trabalhar com certas tipologias de 
fontes. 
 
8a Questão 
Nos últimos anos, o campo disciplinar da história vive um momento de intensas transformações teórico-metodológicas. 
Assinale, portanto, entre as opções abaixo, aquela que melhor apresenta exemplos de novas orientações teórico-
metodológicas. 
 A revitalização da perspectiva biográfica e o marxismo. 
 Marxismo, antropologia lévi-straussiana e historia social francesa. 
 A história oral e o marxismo. 
Certo A história oral e a revitalização da perspectiva biográfica. 
 Marxismo, história social francesa. 
 
9a Questão 
Recentemente vários estudos lançaram mão da biografia como instrumento metodológico, especialmente no contexto da 
micro-história. Sobre a escrita da biografia nos moldes da micro-história podemos afirmar: 
 Baseia-se na mesma idéia que os positivistas tinham em fins do século XIX 
 É sempre baseada em fontes oficiais do Estado 
 É uma análise desprovida de suporte teórico, apenas narrando a história do biografado 
Busca trabalhar com a história factual do personagem entendendo o mesmo como o real agente modificador da 
História 
Certo Os estudos preocupam-se em contar a história de pessoas comuns, através de documentos excepcionais 
 
Explicação: 
Analise a micro-história e suas caracteristicas. 
 
Aula 09 - TEORIA DA HISTÓRIA 
1a Questão 
São exemplos de fontes iconográficas: 
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
JHºNJHºN
Realce
 ¿Carta Testamento¿ de Getúlio Vargas. 
 ¿Cálice¿ de Chico Buarque 
Certo ¿Quadro da Monalisa¿ de Leonardo Da Vinci 
¿Manifesto dos Mineiros¿ (carta aberta publicada em 24 de outubro de 1943 carta aberta publicada em 24 de 
outubro de 1943) 
 ¿Davi¿ de Miguelangelo 
 
2a Questão 
O historiador precisa de fontes para trabalhar, e o historiador que utiliza fontes sonoras e fontes iconográficas tem de 
saber: 
 Esses matérias são fidedignos iguais as fontes textuais, pois estão colocados de forma ¿eterna¿ para contemplação. 
Não há necessidade de análise, pois eles comunicam aquilo que o autor da música desejava, não tendo direito o 
historiador de compreender o processo por ser pessoal. 
Esses materiais por serem criações abstratas não podem ser usados em história. Podem até servir para ilustrar 
alguma ideia, mas não como fontes de pesquisa. 
O historiador que trabalha com sons e imagem/ou música não pode supor que pode realizar alguma analise 
relacionada a um trabalho de história, pois a música não pode ser tida como uma fonte confiável. 
Certo O historiador que trabalha com sons ou imagens