novas profissões
14 pág.

novas profissões


DisciplinaProcessos Organizacionais para Projetos4 materiais105 seguidores
Pré-visualização3 páginas
As profissões que mais vão crescer até 2023
https://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2019/08/profissoes-que-mais-vao-crescer-ate-2023.html Acesso em 12/08/2019
As profissões que mais vão crescer até 2023
Levantamento realizado pelo SENAI mostra quais devem ser as áreas do mercado de trabalho e profissões da indústria com maior aumento de empregos nos próximos anos
12/08/2019 - 00H01 - POR ÉPOCA NEGÓCIOS ONLINE
Compartilhar
Assine já!
TÉCNICOS EM MECÂNICA VEICULAR ESTARÃO ENTRE OS PROFISSIONAIS COM MAIOR CRESCIMENTO DE DEMANDA ATÉ 2023 (FOTO: DEPOSIT PHOTOS)
Não é segredo que a automação está mudando o ambiente de trabalho. Na indústria 4.0, as novas tecnologias tornam o processo de produção mais rápido e eficiente. Ao mesmo tempo, geram uma gama de funções que exigem novas habilidades dos atuais e futuros profissionais. Mais importante do que o trabalho braçal é a capacidade deprogramar um algoritmo ou analisar um relatório de big data.
SAIBA MAIS
Conheça as profissões que estarão em alta no Brasil em 2019
Como uma nova revolução na indústria pode mudar o mundo
Está sobrando emprego no Canadá
Quer produzir sua energia elétrica? Veja por que este é um ótimo momento
Com o objetivo de descobrir quais devem ser as áreas do mercado de trabalho e profissões mais dinâmicas da indústria nos próximos anos, o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) realizou a pesquisa Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023. Segundo o estudo, nos próximos quatros anos as profissões ligadas à tecnologiaserão as que mais vão apresentar crescimento. 
PUBLICIDADE
inRead invented by Teads
Para se adaptar ao novo cenário, cerca de 10,5 milhões de trabalhadores brasileiros que hoje ocupam cargos industriais vão precisar de novas capacitações até 2023, nos níveis superior, técnico, qualificação profissional e aperfeiçoamento.
De acordo com o estudo, as áreas que mais vão demandar novos conhecimentos são: transversais (1,7 milhão), metalmecânica (1,6 milhão), construção (1,3 milhão), logística e transporte (1,2 milhão), alimentos (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil), energia e telecomunicações (359 mil).
+ 4 mitos sobre a indústria 4.0
A demanda por qualificação prevista no relatório atinge tanto os trabalhadores já empregados quanto aqueles que ainda vão ingressar no mercado de trabalho, estes em menor parcela (22%). Rafael Lucchesi, diretor-geral do SENAI, recomenda que todos os profissionais, jovens e veteranos, estudem as novas áreas, para encontrar uma que esteja de acordo com o seu perfil. \u201cÉ importante que as pessoas conheçam as tendências para que possam adequar seus projetos de vida às necessidades do mundo do trabalho\u201d, diz Lucchesi.
+ Seus filhos e a 4ª revolução industrial
As ocupações com maior taxa de crescimento até 2023 são: condutores de processo robotizados (22,4%), técnicos em mecânica veicular (19,9%), engenheiros ambientais e afins (19,4%), pesquisadores de engenharia e tecnologia (17,9%) e profissionais de planejamento, programação e controles logísticos (17,3%). 
Hoje, o número desses cargos ainda é baixo dentro das empresas, em relação ao total de empregos criados no Brasil. Entretanto, o crescimento acelerado mostra que as profissões tecnológicas são tendência no mercado de trabalho mundial. \u201cO levantamento mostra que o Brasil, mesmo diante das dificuldades econômicas, está se inserindo aos poucos na indústria 4.0\u201d, afirma Lucchesi.
+ Como a tecnologia e a inclusão mudarão o futuro do mercado de trabalho
Estima-se que, nos próximos quatro anos, mais de 14 mil empregos para instaladores e reparadores de linhas e cabos elétricos de telefonia e de comunicação de dados vão surgir \u2014 crescimento de 15% até 2023. Outros setores com grande número de novos empregos serão o de operadores de máquinas de usinagem CNC, com 5.356, e o de técnicos mecânicos na manutenção de máquinas, sistemas e instrumentos, com 3.560.
Confira abaixo as profissões que mais vão crescer até 2023: 
(FONTE: SENAI )
Acompanha tudo de Época Negócios? Agora você pode ler nossas edições e matérias no Globo Mais, o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!
https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2019/02/4-mitos-sobre-industria-40.html Acesso em 12/08/2019
4 mitos sobre a indústria 4.0
Alto custo e dificuldade para implantação de alta tecnologia em pequenas empresas são principais entraves listados
07/02/2019 - 08H01 - POR PATRÍCIA BASILIO
Compartilhar
Assine já!
ARTIGO DO FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL DESTACA BENEFÍCIOS DA TECNOLOGIA NA PRODUÇÃO INDUSTRIAL (FOTO: GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO/DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL)
Como toda nova tendência, a quarta revolução industrial trouxe à tona uma série de questões sobre a incorporação de novas tecnologias nos sistemas de produção. Segundo artigo publicado pelo Fórum Econômico Mundial, os executivos citam o \u201calto custo\u201d e a \u201cdificuldade em justificar o investimento sem um retorno no curto prazo\u201d como as principais razões que impedem a adoção de novas tecnologias na empresa.
À medida que a quarta revolução industrial é discutida no mundo, vários mitos acabam surgindo e podem estar segurando o potencial transformador desta nova era da produção.
PUBLICIDADE
inRead invented by Teads
Na avaliação do fórum, acabar com essas lendas é importante para acelerar a adoção e integração das soluções da indústria 4.0 e liberar os benefícios da produção tecnológica para as indútrias de todo o mundo.
Confira abaixo os principais mitos: 
1. A tecnologia é cara demais
Por décadas, \u201ctecnologia\u201d e \u201cinovação\u201d têm sido sinônimo de \u201ccaro\u201d. As primeiras versões do DVD, da TV de tela plana e do tablet, por exemplo, foram vendidas a preços exorbitantes. 
Contudo, segundo Ian Cronin, autor do artigo, a vantagem da tecnologia 4.0 é que ela pode fazer muito sem que seja necessário "levar uma empresa à falência". "Com uma combinação de dados coletados pela internet das coisas, uma empresa pode fazer análises e se tornar muito mais eficiente e ágil", escreve ele para o Fórum Econômico Mundial.
Embora a compilação e a organização de dados exijam uma quantidade significativa de trabalho, o retorno vem em otimização de procesoss, redução de energia dispendida, qualidade do trabalho final, menor frequência de manutenção e maior eficácia do equipamento.
Mesmo quando consideramos investimentos mais robustos em tecnologia, como em robótica avançada, o custo/benefício permanece a favor da inovação.
SAIBA MAIS
Como garantir o sucesso de uma marca na quarta revolução industrial
"Foco da 5ª revolução industrial será salvar o planeta", diz fundador da Salesforce
Está sobrando emprego no Canadá
Quer produzir sua energia elétrica? Veja por que este é um ótimo momento
De acordo com Cronin, não só os preços dos robôs e da automação estão caindo, mas essa queda acontece à medida que os custos da mão de obra aumentam. Outro benefício é que a capacidade dos próprios robôs também está em alta.
Um estudo do McKinsey Global Instituteestima que os pioneiros na adoção da inteligência artificial terão um aumento do fluxo de caixa de 122% até 2030. Enquanto isso, aquelas empresas que seguirem a tendência geral com atraso verão um crescimento de 10%. Os altos custos da tecnologia, segundo o instituto, serão compensados pelos ganhos de produção. 
O preço da tecnologia avançada também está em queda no Brasil, conforme as empresas adotam novos recursos em larga escala. E o retorno justifica os gastos. "A vantagem da inovação se dá nas duas pontas do negócio: reduz custos operacionais e aumenta a eficiência da indústria", afirma Marcelo Graglia, professor do departamento de administração da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e especialista em transformação digital.
2. Indútria 4.0 vai causar desemprego generalizado
A quarta revolução industrial na manufatura é frequentemente associada a robôs e algoritmos inteligentes capazes de assumir as tarefas de humanos, criando fábricas nas quais os humanos não são mais necessários,