L I N F O M A S
2 pág.

L I N F O M A S


DisciplinaClínica de Pequenos Animais811 materiais5.808 seguidores
Pré-visualização1 página
L I N F O M A S 
É uma neoplasia maligna com origem nos órgãos linfoides. Ocorre uma proliferação 
de linfócitos malignos. 
 
L i n f o m a s N ã o H o d k i n 
São identificados pela presença de células de Reed \u2013 Stenberg, caracterizados por 
serem células gigantes, semelhantes a olho de coruja. Está presente em 90% das 
neoplasias de cães e gatos. Idosos normalmente são os mais acometidos. 
Caquexia: ocorrem devido ao IFN \u2013 \u3b1 e IFN \u2013 \u3b3 que aumentam o catabolismo 
muscular/adiposo. São substâncias anorexigênicas, e o animal não tem fome. 
 
LOCALIZAÇÕES 
Pode apresentar várias localizações anatômicas, sendo classificadas como: 
multicêntrico, mediastinal, alimentar, cutâneo e extranodal. 
 
\uf0b7 M U L T I C Ê N T R I C O 
É o mais comum em cães. Apresenta linfoadenomegalia generalizada ou 
regional. 
Sinais clínicos: dor, apatia, anorexia, emagrecimento e dor à palpação, pode 
surgir também edemas regionais ou anasarca. 
A maioria dos casos é assintomático. 
 
\uf0b7 M E D I A S T I N A L 
Atinge os linfonodos mediastinais, normalmente são neoplasias de células T, e 
são mais agressivos. Possui prognóstico desfavorável. 
 
\uf0b7 C U T Â N E O 
É a forma mais complexa da doença, podendo envolver a mucosa oral, 
linfonodos, baço, fígado e medula óssea. Pode ser dividido em: 
\uf0a7 Epiteliotrópico: presença de linfócitos T na epiderme. 
- Reticulocitose Pagetoide: epiderme 
- Síndrome de Sezary: sangue periférico \u2013 forma leucêmica. 
 
\uf0a7 Não Epiteliotrópico: presença de linfócitos B na derme. 
 
\uf0b7 E X T R A N O D A L 
Pode ocorrer em qualquer tecido ou órgão, mas atinge principalmente: sistema 
nervoso, coração, olhos, nasofaringe, ossos, testículos, vesícula urinária e pênis. 
 
\uf0b7 A L I M E N T A R 
Ocorre principalmente em gatos, acometendo o trato gastrointestinal e linfonodos 
regionais. 
Sinais Clínicos: êmese, diarreia, anorexia e perda de peso. 
Diagnóstico diferencial: doenças gastrointestinais inflamatórias. 
Diagnóstico: US + Histopatológico 
 
SINAIS CLÍNICOS 
Dor, apatia, febre, lifoadenomegalia, edema, anasarca, hepatoesplenomegalia, 
hiporexia, anorexia, êmese, síndrome da veia cava cranial (edema de cabeça por 
compressão da veia), dispneia, tosse, afogamento (compressão do esôfago), 
engasgos, regurgitação, disfagia, poliúria e polidpsia (devido a hipercalcemia), 
eritema, descamação, despigmentação, alopecia, placas, nódulos (linfoma 
cutâneo). 
 
D I A G N Ó S T I C O 
Citologia: PAAF, CAAF; Imagem: RX, US. 
 
Diagnóstico Diferencial: hemoparasitoses, doenças caquetizantes: doença renal, 
cardíaca. 
 
T R A T A M E N T O 
Poliquimioterapia: associação de mais de um quimioterápico. 
 
Protocolo 1: COP 
Ciclofosfamida 
Oncovin/Vincristina 
Prednisolona 
 
Protocolo 2: CHOP 
Ciclofosfamida 
H Doxorrubicina 
Oncovin/Vincristina 
Predinisolona 
 
Terapia de resgate: MOPP 
Metrocloretamina 
Oncovin/Vincristina 
Procarbazina 
Prednisolona 
 
Protocolo 3: LINFOMA ALIMENTAR EM GATOS 
Crorambucil + Prednisolona 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bibliografia: Livro Oncologia Veterinária Daleck 
 
Para reduzir os efeitos 
colaterais da quimioterapia, 
pode ser administrado: 
- Ondasentrona mg/kg - EV