Curso de Processo Penal Eugenio Pacelli 2014
1087 pág.

Curso de Processo Penal Eugenio Pacelli 2014


Disciplina<strong>processo Penal</strong>678 materiais528 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Curso de Processo Penal 
Eugênio Pacelli de Oliveira 
Mestre e doutor em Direito pela Universidade Federal de Minas 
Gerais (UFMG). Procurador Regional da República no Distrito 
Federal e Relator-Geral da Comissão de Anteprojeto do Novo 
Código de Processo Penal instituída pelo Senado da República 
1 Curso de Processo Penal 
18ª Edição 
Revista e Ampliada. Atualizada de acordo com as 
Leis n&quot;' 12.830, 12.850 e 12.878, todas de 2013 
SÃO PAULO 
EDITORA ATLAS 5.A. - 2014 
CI 2011 by Editora Atlas S.A. 
As 1 S primeiras edições são da Lumen Juris; 
16. ed. 2012; 17. ed. 2013; 18. ed. 2014 
Capa: Leonardo Hermano 
Projeto gráfico e composição: Set-up Time Artes Gráficas 
Dados Internacionais de catalogação na Publicação (CIP) 
(Câmara Brasileira do Livro, SP. Brasil) 
Oliveira, Eugênio Pacelli de 
Curso de processo penal I Eugênio Pacelli de Oliveira. -
18. ed. rev. e ampl. atual. de acordo com as leis n&quot;' 12.830, 
12.850 e 12.878, todas de 2013. - São Paulo: Atlas, 2014. 
Bibliografia. 
ISSN 978-85-224-8631-1 
ISSN 978-85-224-8632-8 (PDF) 
1. Processo penal 2. Processo penal - Brasil 1. Título. 
11-12156 
CDU-341.1 
Índice para catálogo sistemático: 
1. Processo penal : Direito penal 343.1 
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - \ufffd proibida a reproduçAo total 
ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio. A violação dos 
direitos de autor (lei n° 9.610198) é crime estabelecido pelo artigo 184 
do Código Penal. 
-
\..1 
EditoraAtlas S.A. 
Rua Conselheiro Nébias, 1384 
Campos Elísios 
01203 904 São Paulo SP 
011 3357 9144 
atlas. com.br 
Agradecimentos especiais à Anna e ao Renato, cuja 
dedicação na Procuradoria Regional da República ocupa posição 
de destaque na viabilidade desta edição. 
A L6, Pedro Ivo, Isabela e Gabriel, por todas as razões. 
1 Sumário 
Nota à rno. edição, xvii 
Introdução, 1 
O Processo Penal Brasileiro, 5 
1.1 O Código de Processo Penal, S 
1.2 A Constituição da República de 1988 e o Processo Constitucional, 8 
1.3 O sistema acusatório, 9 
1.4 Sistemas processuais incidentes: o modelo brasileiro, 13 
Leis e Processo Penal no Tempo e no Espaço, 17 
2.1 Tratados e convenções internacionais, 17 
2.2 A jurisdição dos tribunais penais internacionais, 19 
2.3 Leis processuais no espaço e no tempo, 23 
Sistema dos Direitos e Princípios Fundamentais, 31 
3.1 Estado democrático de direito e postulados de interpretação, 31 
3.2 Garantismo e intervenção penal, 33 
3.3 A base ou estrutura principiológica, 35 
3.3.1 O justo processo: devido processo legal, 37 
3.3.1.1 Juiz natural, 37 
3.3.1.2 Direito ao silêncio e não autoincriminação, 41 
3.3.1.3 Contraditório, 43 
3.3.1.4 Ampla defesa, 44 
viii Curso de processo penal \u2022 Pacelli 
3.3.l.5 Estado ou situação jurídica de inocência, 48 
3.3.1.6 Vedação de revisão pro societate, 49 
3.3.1.7 Inadmissibilidade das provas obtidas 
ilicitamente, 52 
4 A Fase Pré-Processual: a Investigação Criminal, 53 
4.1 Inquérito policial, 56 
4.1.1 Procedimento, 61 
4.1.2 Poder de polícia e representação ao juiz: capacidade 
postulatória?, 66 
4.1.3 Arquivamento, 67 
4.1.3.1 Arquivamento indireto, 74 
4.1.3.2 Conflito de atribuições no âmbito do Ministério 
Público, 75 
4.1.4 Inquérito policial e extinção da punibilidade, 78 
4.2 Investigações administrativas, 85 
Da Ação Penal, 97 
5.1 A estrutura dialética do processo: potencialização da ampla defesa, 97 
5.2 Ação e processo, 102 
5.2.1 Pretensão e lide, 102 
5.3 Condições da ação, 105 
5.3.l Interesse de agir, 106 
5.3.2 Legitimidade, 108 
5.3.3 Possibilidade jurídica do pedido, 109 
5.3.4 Condições de procedibilidade, 1 1 1 
5.3.5 A justa causa, 116 
5.4 Pressupostos processuais, 118 
5.4.1 Pressuposto de existência, 119 
5.4.2 Requisitos de validade, 121 
5.5 Ação penal pública incondicionada, 123 
5.5.1 Ação (penal) popular e crime de responsabilidade, 123 
5.5.2 Ação penal pública incondicionada: princípio fundamental: a 
obrigatoriedade, 126 
5.5.3 Indisponibilidade e outras regras processuais, 128 
5.5.4 Critério de definição da legitimação ativa, 129 
5.5.5 Discricionariedade regrada, 130 
5.6 Ação penal pública condicionada, 133 
5.6.1 Prazo decadencial da representação, 136 
5.6.2 Capacidade ou legitimação para representar, 137 
5.6.3 Retratação, 138 
5.6.4 Legitimação concorrente ou alternativa?, 140 
5.7 Ação penal privada, 141 
5.7.l Legitimação ativa, 144 
5.7.2 Disponibilidade, 147 
5.7.2.1 Renúncia, 147 
5.7.2.2 Perempção e desistência, 150 
5.7.2.3 Perdão, 151 
5.7.3 Indivisibilidade, 153 
5.7.4 Decadência, 157 
5.7.5 Crimes contra a dignidade sexual, 159 
5.8 Ação privada personalíssima, 163 
5.9 Ação privada subsidiária da pública, 164 
5.10 Denúncia e queixa, 168 
5.10.1 Crimes coletivos e individualização da conduta, 168 
5.10.2 Acusação genérica e acusação geral, 169 
5.10.3 Aditamento, 171 
5.10.4 Litisconsórcio, 173 
5.10.5 Prazo, 174 
5.10.6 Capitulação, 175 
5.10.7 Rejeição, 176 
5.10.8 Omissões, 178 
5.11 Extinção da punibilidade, 179 
Ação Civil Ex Delicto, 183 
6.1 Generalidades, 183 
6.2 Prejudicialidade, 185 
6.3 Objeto, 187 
6.4 Legitimação, 188 
6.5 Subordinação temática e eficácia preclusiva, 189 
6.5.1 Nas decisões condenatórias, 189 
6.5.2 Nas decisões absolutórias, 190 
6.5.3 A negativa de autoria, 192 
6.6 Responsabilidade civil de terceiros, 194 
6.7 A legitimação do Ministério Público, 197 
7 Jurisdição e Competência, 199 
7.1 Jurisdição e repartição de competência, 199 
Sumário ix 
7.2 Juiz natural e competência absoluta: competência de jurisdição, 202 
7.3 Prerrogativa de função (ratione personae), 203 
7.3.1 Crimes comuns e crimes de responsabilidade, 204 
7.3.2 Critério da simetria, 207 
7.3.3 Critério de regionalização, 212 
7.3.3.1 Deputados Estaduais e Prefeitos, 213 
7.3.3.2 A extensão dos foros privativos nas Constituições 
Estaduais, 215 
x Curso de processo penal \u2022 Pacelli 
7.3.4 Prerrogativa de função e natureza do crime, 219 
7.3.5 Processo e procedimentos, 221 
7.3.5.l Competência originária, 221 
7.3.5.2 O exercício efetivo do cargo, 223 
7.3.5.3 Foro privativo e procedimento, 225 
7.3.5.4 Prerrogativa de função, concurso de agentes e 
concurso de crimes, 226 
7.4 Imunidades materiais e imunidades formais ou processuais, 231 
7.5 Competência em razão da matéria (ratione materiae), 234 
7.5.l Competência da Justiça Federal, 235 
7.5.1.1 A casuística constitucional, 245 
7.6 Competência da Justiça Militar e da Justiça Eleitoral, 258 
7.7 A competência territorial, 261 
7.7.l Competência relativa e competência absoluta, 262 
7.7.2 Critérios de determinação da competência 
infraconstitucional, 264 
7. 7 .2.1 O lugar, 264 
7.7.2.2 A natureza da infração, 267 
7.7.2.3 O domicílio ou residência do réu, 269 
7. 7 .2.4 A prevenção, 269 
7.7.2.5 A disnibuição, 272 
7.8 Modificação de competência eperpetuatiojurisdictionis, 272 
7 .8.1 Desclassificação, 277 
7 .8.2 Conexão, 282 
7.8.3 Continência, 285 
7.8.4 Unidade de processo e de julgamento, 285 
7 .8.5 Eleição do juízo prevalente, 287 
7.8.6 Separação de processos conexos e/ou continentes, 290 
7.8.7 Prorrogação de competência, 291 
Das Questões e Processos Incidentes, 293 
8.1 Das questões prejudiciais, 293 
8.2 Dos processos incidentes, 296 
8.2.l Das exceções, 296 
8.2.1. l Exceção de suspeição, impedimento ou 
incompatibilidade, 298 
8.2.1.2 Exceção de incompetência, 301 
8.2.1.3 Demais exceções, 303 
8.3 Do conflito de jurisdição, 305 
8.4 Da restituição de coisas apreendidas, 312 
8.5 Das medidas assecuratórias, 314 
8.5.l Sequestro, 315 
8.5.2 Especialização de hipoteca, 318 
Sumário xi 
8.5.3 Arresto, 319 
8.5.4 Medidas assecuratórias previstas na lavagem de dinheiro 
e ativos (Lei nº 9.613/98, com redação dada pela