A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
Aula_08

Pré-visualização | Página 1 de 1

Conteúdo, Metodologia e
Prática de Ensino da Arte
PEDAGOGIA – PROF. ANA ELISABETE LOPES 
AULA 8
A Música na Escola 
Objetivo:
▪ identificar as contribuições da música na formação do 
educando;
▪ identificar as principais transformações nos modos de 
ensinar e aprender música no contexto educacional 
brasileiro;
▪ identificar encaminhamentos teóricos e metodológicos 
adequados para a construção de uma proposta 
pedagógica de ensino da música.
Música com produção social:
• Desde épocas remotas o homem se expressa através
da música, ou seja, através da produção e combinação
de sons e silêncios utilizando-se de diferentes recursos.
• A linguagem musical tem sido interpretada, entendida e
definida de várias maneiras, em cada época e cultura,
em sintonia com o modo de pensar, com os valores e as
concepções estéticas vigentes.
Música e Educação:
• Viabilizar o acesso dos educandos ao acervo de
produções musicais que encontramos nas diferentes
épocas e contextos:
- amplia o conhecimento sobre diferentes sociedades e
culturas
- contribui para estimular a investigação, a produção e
ampliar os meios e as mediações para o fazer musical.
- estimula a articulação entre o fazer musical, o pensar e
o conhecer a música.
Percepção musical e o
processo de ensino-aprendizado da música:
• estímulos sonoros e percepções.
• ampliação do universo sonoro.
• mediações que estimulem novas experiências.
• estímulos que favoreçam o conhecimento da linguagem, 
a percepção e a criação musical.
• desenvolvimento da capacidade de expressão e 
comunicação da criança através da música. 
Primeiros estímulos sonoros:
• Fontes sonoras: brinquedos, o próprio corpo, o corpo do
outro.
• Imitações: das falas ouvidas, músicas cantadas, sons
produzidos por diferentes meios de comunicação, etc.
• Processo de experimentação inicial e de classificação
dos sons é o primeiro estágio da educação musical
possibilita um tatear inconsciente das possibilidades
sonoras.
O papel do educador:
• transformar a relação do educando com a música, de
forma lúdica e criativa,
• motivar a investigação dos elementos sonoros, a criação
e o exercício de percepção do vasto universo sonoro
que nos envolve.
• explorar diferentes estímulos como elementos básicos
criadores de sons e de música, tais como, os ruídos do
cotidiano, da natureza e do próprio corpo humano, além
dos instrumentos mais tradicionais.
Desenvolvimento da musicalidade:
• deve ser estimulado em todas as crianças.
• contribui para o desenvolvimento de sua capacidade de 
concentração, habilidade motora, percepção auditiva e 
de criação.
• possibilita o conhecimento específico da linguagem e a 
expressão através da música. 
Elementos básicos da música:
• O som e o conhecimento sobre as qualidades do som
pode ser construído a partir de brincadeiras e jogos
sonoros que estimulem o reconhecimento dos diferentes
estilos, timbres, alturas e ritmos sonoros.
Parâmetros básicos da música:
• Duração- valores (curto e longo) e da velocidade ou
andamento do som ou da música.
• Altura- frequência do som, o universo do grave e do
agudo, que diz respeito às notas; quanto maior o
número de frequências por segundo mais agudo é o
som.
• Timbre- qualidade que personaliza cada som e depende 
dos materiais e do modo como é produzido.
• Intensidade do som- qualidade que diferencia as várias 
intensidades do som (do som forte, em progressão mais 
ou menos lenta, com a intensidade crescendo e 
decrescendo aos poucos).
Composição, apreciação e interpretação musical.
Propostas de ensino da música:
Proposta tradicional:
• ênfase na prática de um instrumento, no domínio da 
escrita e na leitura musical, na teoria e história da 
música. 
• objetivo central é o domínio de habilidades e 
informações pelo aluno.
• conhecimentos são transmitidos pelo professor que 
espera não ser questionado pelo aluno sobre sua 
finalidade, sobre o critério de seleção dos conteúdos e 
conhecimentos transmitidos.
Proposta centrada na criança:
• surge a partir do século XX, no Brasil.
• ênfase na expressão, no sentimento e na descoberta
que o aluno possa realizar.
• compreensão de que o aluno é construtor de seu próprio
conhecimento.
• proposta de atividades que envolvem composição e
improvisação musical com o objetivo de desenvolver a
criatividade e a autoexpressão de cada educando.
Ensino musical multicultural: 
• propostas que procuravam se contrapor ao ensino
tradicional e à influência européia no campo da música.
• resgate e ampliação do acesso do aluno às
manifestações culturais e às tradições musicais
asiáticas, africanas e de outros países fora do contexto
europeu.
• ampliação do acesso ao jazz, pop e rock valorizando a
diversidade cultural.
• Ênfase no contato dos alunos com outros repertórios,
instrumentos, formas de notação musical etc., evitando
perpetuar tendências únicas e determinados idiomas
musicais.
• A Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº 9.394, de
dezembro de 1996, contribui para que, no Brasil, o
ensino de música fosse reconhecido como área de
conhecimento na escola. A proposta apresentada prevê
a ênfase na apreciação e produção musical
contextualizada, em sintonia com as referencias
musicais dos alunos e com a diversidade de produções
encontradas no acervo acumulado mundialmente.
• Segundo os PCNs de Arte o convívio com a diversidade
desse repertório musical “permite ao aluno a construção
de hipóteses sobre o lugar de cada obra no patrimônio
musical da humanidade aprimorando sua condição de
avaliar a qualidade das próprias produções e as dos
outros.”
• Nova lei nº 11.769 (agosto de 2008)- torna o ensino de
Música obrigatório na grade curricular dos ensinos
fundamental e médio.
• A nova legislação altera a Lei de Diretrizes e Bases da
Educação (LDB), fazendo da música o único conteúdo
obrigatório, porém não exclusivo. As demais áreas
artísticas deverão ser contempladas dentro do
planejamento pedagógico das escolas. Até 2011, uma
nova política definirá em quais séries da educação
básica a música será incluída e em que freqüência.
Música e novas tecnologias:
• Modificação dos meios de produção e divulgação
musical com o advento das novas tecnologias de
reprodução e armazenamento do som e, assim,
influenciam no processo de ensino-aprendizagem e na
criação musical contemporânea.
• Democratização do acesso à produção musical permite
o maior convívio com um amplo repertório trazido para a
sala de aula como material a ser trabalhado no ensino
da música.
Processo de ensino-aprendizado
da música:
O aluno deve ter a oportunidade de participar de
experiências como:
• Ouvinte
• Intérprete
• Compositor
• Improvisador musical. 
Estratégias metodológicas:
• estimular a participação de shows, festivais, concertos,
eventos culturais e artísticos são essenciais para
estimular o processo de ensino-aprendizado.
• promover interações dos alunos com grupos musicais e
artísticos com o objetivo de desenvolver a percepção e
sensibilidade musical.
• estimular a escuta e o julgamento crítico e sensível co
sobre a qualidade das produções de diferentes
contextos e épocas.
• Pesquisando sons e silêncios, produzidos pela voz, pelo
meio ambiente, por instrumentos musicais, por meio
eletrônico ou por materiais sonoros não convencionais,
o educando pode ser estimulado a criar suas próprias
composições explorando infinitas combinações dos
parâmetros básicos da música.