A INFANCIA E SUAS LINGUAGENS
9 pág.

A INFANCIA E SUAS LINGUAGENS


DisciplinaPrática Interdisciplinar319 materiais550 seguidores
Pré-visualização2 páginas
A INFANCIA E SUAS LINGUAGENS
O BRINCAR
	Acadêmicos¹ 
Tutor Externo² 
RESUMO 
Quando falamos em linguagem é muito comum lembramos da linguagem verbal e escrita, as quais são importantes e acabam sendo muito priorizadas por alguns professores e com isso as outras formas de linguagem não são enaltecidas, privando nossas crianças de novas experiências e vivências que ampliem seus conhecimentos. Abordaremos a importância e as possibilidades de trabalhar essas formas de comunicações e expressões como linguagem na educação infantil.
Por isso, seja qual for o tempo e o espaço de comunicação, esta estará sempre em formação intelectual da criança que compreende a infância como uma categoria na estrutura social, sendo as crianças atores sociais sujeitos de direito que constroem culturas.
O conteúdo do presente artigo tem como objetivo apresentar e promover a reflexão sobre o tema: Linguagem do Brincar, jogos, contos de fada, brincadeiras presentes na educação das crianças.
Palavras-chave: brincar;jogar
 
INTRODUÇÃO
É de extrema importância que as crianças brinquem, inclusive no ambiente escolar pois através das brincadeiras a criança se comunica e se expressa, demonstra sua criatividade, se desenvolve, e aprende através da imaginação, aprende a dividir o brinquedo, a esperar sua vez de brincar, coisas importantes para a vida adulta.
O brinquedo é de suma importância para seu aprendizado, por exemplo: Ao brincar com uma boneca a criança está praticando o faz de conta onde a boneca é a filha, a criança é a mãe e age de tal forma como se fosse realidade. Ao analisarmos a maneira que ela brinca com a boneca podemos ver a linguagem que ela manifesta através desta brincadeira. 
 A forma como vai brincar e da brincadeira ocorre por meio da articulação entre a imaginação e a imitação da realidade e, para brincar é preciso que a criança tenha certa independência para escolher quais papéis irá assumir no interior de um determinado tema e enredo, cujo desenvolvimento depende somente da vontade de quem brinca.
Os brinquedos são os parceiros das crianças seja dando a vida à fantasia ou representando o mundo a sua volta, as crianças conseguem transformar qualquer objeto a sua volta em um brinquedo e diversão. Seja uma bola, um balde, massinhas de modelar, brinquedo reciclado, comidinhas de plástico e até mesmo uma panela. 
O brinquedo simbólico das crianças pode ser entendido como um sistema muito complexo de \u2018fala\u2019 através dos gestos que expressam a sua comunicação e indicam os significados dos objetos usados para ela brincar\u2019.
1 Nome dos acadêmicos 	
Rosicleia Rocha / Lisiane Goulart / Ana Paula Escobar Nunes / Gabriela Viera de Almeida
2 Nome do Professor tutor externo 
Andréa
Centro Universitário Leonardo da Vinci \u2013 UNIASSELVI - Curso (FLX1043) \u2013 Prática do Módulo IV \u2013 13/07/2019
2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 
 \u201c\u201c Coisa gostosa é brincar! Brinquedos dão alegria: bonecas, pipas, piões, bolas, petecas, balanços, escorregadores.... Os brinquedos podem ser feitos com os mais diferentes materiais: madeira, plástico, metal, pano, papel. \u201cMas há brinquedos que são feitos com algo que a gente não pode nem tocar e nem pegar: brinquedos que são feitos com palavras\u201d. (ALVES, RUBEM,).
 Brincar de Faz de Conta
Talvez já tenha acontecido de ver uma criança pela primeira vez brincando de \u201cpapai e mamãe\u201d, ou de médico com os bichinhos de pelúcia ou de casinha ou até de \u201ctrabalhar\u201d, fingindo que está no computador. Se você não passou por isso, com certeza passará, porque a brincadeira de faz de conta é parte da brincadeira de 100% das crianças em uma fase da infância.
Há quatro áreas do desenvolvimento que são estimuladas pelo faz de conta:
Intelectual \u2013 desenvolvendo habilidades como resolução de problemas, negociação, criatividade, organização e planejamento, retenção de tradições, costumes e cultura familiares, aplicação de conhecimento na prática e até matemática!
Físico \u2013 estímulo de coordenação motora e coordenação espacial.
Social \u2013 entendimento dos papeis sociais, visão do seu lugar na família, compartilhar, colocar-se no lugar do outro, cooperação, controle da impulsividade, reconhecer os pontos fortes do outro e lidar com desapontamentos.
Emocional \u2013 aumento da autoestima, orgulho próprio, desenvolvimento da sensação de segurança e proteção, desenvolvimento da independência, reconhecimento de sentimentos e de propósitos.
No faz de conta à criança entra em contato com regras e desenvolve a linguagem verbal, pois imaginando a criança se comunica e expressa desejos.
A brincadeira de faz de conta não acontece apenas no tempo livre da criança na escola, mas sim desde o nascimento, marcando sua interação com o mundo e o ingresso no mundo da linguagem.
Aos poucos a criança começa a imitar os gestos dos pais ou de pessoas com as quais mantém um vínculo importante, nessa fase, são comuns também as brincadeiras de ninar bonecas, empurrar carrinhos etc.
O estímulo que as crianças, vivam o faz de conta é essencial para seu desenvolvimento. É comum que as crianças usem esses jogos simbólicos para interpretar e ressignificar o mundo a sua realidade, é através das brincadeiras que elas podem comunicar o que sentem e reproduzir coisas de sua realidade, como sua vivência familiar.
\u201cA criança não brinca de ser criança, mas de vir ser aquilo que era no adulto. Ela sempre brinca de ser adulto, imitando o que aprendeu a conhecer da vida dos grandes\u201d.
 Brincar através dos jogos 
Jogos- Os jogos são uma ferramenta primordial no processo de desenvolvimento da criança e é considerado importante no que se refere à aquisição de conhecimento e desempenho no âmbito escolar, devem ser construídos de atividades permanentes nos espaços da educação infantil, pois por meio deles é possível que a criança trabalhe de forma integral, ou seja, nos aspectos físicos, psicológicos, cognitivos e sociais. É preciso também contemplar os jogos de exercícios, realizados com o próprio corpo, iniciando com movimentos simples e avançando para os mais complexos; os jogos sensoriais, que estimulam as experiências sensoriais e criatividade da criança; os jogos de linguagem, que auxiliam na comunicação (rodas, canções, apresentações faladas); e os jogos de regras. 
Trabalhar com a criança pequena é pensar nas diferentes linguagens... no choro, na birra, nas expressões, no balbucio, nos gestos, no movimento, na arte, na música, no desenho, na escrita, no brincar e em muitas outras... é compreender o que querem dizer os pequenos. \ufeff
Cada criança em suas especificidades transforma sua rotina num verdadeiro espaço, num mundo imaginário, querendo sempre transpor o que sente em um emaranhado de fantasias. O criar, o brincar, o sonhar, o estar com o outro, e tantas outras expressões contínuas das crianças esbarram em muitas ideologias do adulto: "agora não pode", "agora não é hora", "este não é um lugar para isto", no entanto elas persistem. Querer que as crianças esqueçam que são crianças, que o seu universo é rodeado de "inocências", é querer que sejam pensantes como adultos, é queimar suas fases, no objetivo de substituir o mundo delas pelo mundo próprio de adultos.
 É necessário como educadores, alguns pontos que são primordiais para nos tornemos alfabetizados nas múltiplas linguagens das crianças, são elas:
- A sensibilidade de ouvir e entender as crianças;
- Momentos de interação em que possamos viver e reviver a criança existente dentro de nós;
- Pedagogicamente sempre avançar para uma educação voltada à infância do que em querer alfabetizar adultocentricamente;
- Transformar o nosso mundo em universo infantil para assim, compreendermos as nossas crianças;
- Entender as cem linguagens das crianças, não podando suas capacidades de ver um mundo mais harmonioso e sem tantas dificuldades;
- Despertar nas crianças a compreensão de suas culturas para que vivenciem a sua infância.
\u201cKishimoto, 1993 diz que a criança procura o jogo como uma necessidade